Mercado

Mercado hoje: PIB do Brasil e payroll são destaques da agenda

Dados finais do índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial americano, brasileiro e global de agosto, além da balança comercial local, também serão divulgados

Bolsa. Foto: Pixabay
. Foto: Pixabay

Por Redação B3 Bora Investir

O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no segundo trimestre e o relatório de emprego (payroll) dos EUA de agosto são os destaques nos mercados neste primeiro dia de setembro.

Dados finais do índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial americano, brasileiro e global de agosto, além da balança comercial local, também estão previstos.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), o diretor de Política Monetária do Banco Central, Gabriel Galípolo, e o secretário do Tesouro, Rogério Ceron, participam de painéis na XP Expert.

No exterior

Estímulos ao setor imobiliário da China e o avanço do PMI da segunda maior economia mundial à zona de expansão em agosto deram impulso às bolsas chinesas. O governo chinês reduziu a entrada mínima para a compra da primeira e da segunda residências da população local.

A Reuters reportava a partir de fontes que mais medidas para apoiar o setor devem se concretizar nas próximas semanas. Entre papéis de imobiliárias, China Vanke subiu 3,0% e Poly Developments & Holdings, 1,9%.

O PMI da indústria chinesa subiu de 49,2 em julho a 51,0 em agosto, novamente acima da marca de 50, que separa expansão da contração econômica.

+ Inflação do consumo nos EUA tem alta modesta, dentro do esperado

Os investidores avaliam também sinais fracos da indústria na Europa em meio a expectativas pelo relatório mensal de empregos (payroll) dos Estados Unidos. A mediana de analistas aponta para criação de 175 mil empregos em agosto, ante 187 mil vagas abertas em julho.

O PMI da indústria da zona do euro subiu a 43,5 na leitura final de agosto, mas ficou um pouco abaixo da previsão de 43,7 dos analistas. O PMI industrial da Alemanha avançou a 39,1, como esperado, mas seguiu em nível bem abaixo da marca de 50, que separa contração da expansão da atividade. No Reino Unido, o PMI da indústria recuou a 43,0 em agosto, quando se previa 42,5. No atual contexto, a atividade fraca pode ser benéfica para o controle da inflação e permitir trajetória menos dura da política monetária, ajudando a apoiar os mercados acionários.

No Brasil

Investidores repercutem o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA), apresentado ontem ao Congresso. O PLOA foi apresentado ontem ao Congresso e prevê superávit primário de R$ 2,841 bilhões em 2024 (0,0% do PIB).

Ontem, o ceticismo dos investidores sobre o alcance desses objetivos pelo governo minou os ativos locais e também as incertezas no mês de agosto: o Ibovespa acumulou perdas de 5%, no primeiro recuo mensal desde março, o dólar à vista acumulou ganho mensal de 4,69% e os juros futuros subiram.

+ Por que o mercado está preocupado com o orçamento do governo em 2024? Entenda

Os ajustes hoje devem depender também da reação aos indicadores em meio a expectativas de desaceleração do PIB de abril a junho no País, de superávit na balança comercial de US$ 10,0 bilhões em agosto e para a inflação medida pelo IPC-S, cuja mediana do mercado indica recuo de 0,16%, após alta de 0,07% em julho.

Aprenda a investir em ações. Confira este curso gratuito disponibilizado pelo Hub de Educação Financeira da B3

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.