Mercado

Mercado hoje: PIB nos EUA e juros na Europa guiam mercados

Dados do Caged, o resultado primário do Governo Central em junho e uma entrevista do secretário do Tesouro, Rogério Ceron, serão também analisados pelos investidores

Fachada B3.
Fachada da B3: veja como a bolsa funcionará nos feriados ao longo do ano

Por Redação B3 Bora Investir

Os mercados devem repercutir hoje a primeira leitura do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos do segundo trimestre e o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) do mesmo período, além de outros indicadores americanos.

São aguardados também a decisão de juros do Banco Central Europeu (BCE) e uma entrevista coletiva da presidente, Christine Lagarde.

Os dados do Caged, o resultado primário do Governo Central em junho e uma entrevista do secretário do Tesouro, Rogério Ceron, serão analisados ainda pelos investidores, antes da publicação de balanços do segundo trimestre de Vale e Intel, entre outras empresas locais e americanas.

No exterior

Nos Estados Unidos, investidores esperam o PIB americano e balanços após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) elevar juros ontem em 25 pb, à faixa de 5,25% a 5,50% como o esperado pelo mercado. O BC não se comprometeu com os passos seguintes, condicionando a decisão ao desempenho da atividade e inflação à frente.

Na Europa são divulgados vários balanços com resultados mistos antes do anúncio da decisão do BCE. Ações de Telefónica, Iberdrola e BNP Paribas registraram ganhos nas bolsas da Espanha e Paris, enquanto as de Shell e Barclays recuaram em Londres. Para o BCE, se as expectativas de uma nova elevação de 25 pb for confirmada, uma alta de 25 pb elevaria a taxa de refinanciamento de 4,00% para 4,25%, a de depósitos, de 3,50% para 3,75%, e a de empréstimos, de 4,25% para 4,50%.

No Brasil

Na bolsa, a valorização externa pode renovar o ânimo local em meio a repercussões de balanços, como os de Assai e GPA. Os papéis da Petrobras podem se beneficiar ainda da valorização do petróleo, mas também devem depender da recepção no mercado dos dados de produção da estatal no segundo trimestre.

Lá fora, o dólar pode apoiar o real em meio a esperanças de anúncio de novos estímulos na China e se o apetite por risco lá fora perdurar ao longo dos negócios. Ontem, o dólar à vista caiu 0,46%, a R$ 4,7282 – a nova mínima do ano no fechamento e o menor nível desde 20 de abril de 2022 (R$ 4,6204). O movimento foi impulsionado pelo otimismo do mercado pela perspectiva de que o aumento de 25 pontos-base nos juros americanos anunciado ontem possa ter marcado o fim do ciclo de aperto, além da melhora do rating brasileiro pela Fitch, de ‘BB-‘ para ‘BB’, com perspectiva estável.

O ministro da Secretaria de Comunicação, Paulo Pimenta, confirmou nesta quarta-feira que o economista Marcio Pochmann será o presidente do IBGE, gerando reações divergentes no mercado. Ainda não há data para a posse.

*Com informações da Agência Estado

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias