Mercado

Mercados financeiros hoje: meta fiscal e balanços ficam no foco

No exterior, mercado espera reunião entre Biden e Xi Jinping

Um homem olhando para várias telas de computadores e analisando gráficos
Tem dúvidas sobre qual ETF escolher?

Por Redação B3 Bora Investir

A agenda da semana traz os dados de inflação ao consumidor (CPI) e ao produtor (PPI) dos Estados Unidos, além de vendas no varejo e produção industrial americanos e da China, e a segunda prévia do PIB da zona do euro do 3º trimestre. Uma reunião entre os presidentes dos EUA, Joe Biden, e da China, Xi Jinping, também é esperada. Os mercados devem monitorar também comentários dos presidentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) em Cleveland, Loretta Mester, e em Nova York, John Williams, entre outros. O segundo turno das eleições presidenciais na Argentina será no domingo, 19.

7 fatos e frases que resumem a segunda semana de novembro na economia e no mercado

No Brasil, os destaques são o volume de serviços em setembro, IBC-BR, IGP-10 de novembro e balanços, entre eles de CSN, BRF, XP, JBS, Magazine Luiza, Azul e Nubank.

O diretor de Regulação do BC, Otávio Damaso, fala hoje por videoconferência em evento da Febraban e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, faz palestra em seminário organizado pelo Estadão. Os mercados de juros, câmbio e a B3 não terão negociações no feriado da Proclamação da República, na quarta-feira.

No exterior, mercado espera reunião entre Biden e Xi Jinping

Os mercados adotam sinais mistos no exterior, com os futuros de Nova York em baixa, após a Moody’s alterar a perspectiva dos EUA para negativa, enquanto os juros dos Treasuries têm altas moderadas e o dólar recua frente outros pares rivais. A Moody’s alerta que a crescente polarização política no Congresso dos Estados Unidos exacerba os riscos fiscais, em um fenômeno que tende a limitar a capacidade das autoridades de lidar com a deterioração da sustentabilidade da dívida pública.

No sábado, o presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Mike Johnson, divulgou a proposta da maioria republicana para manter temporariamente o financiamento das atividades federais, em um esforço para evitar a paralisação do governo. A resolução consiste em um projeto de duas etapas, que incluiria recursos para militares e o Departamento de Energia até 19 de janeiro e garantiria o orçamento para outras áreas até 2 de fevereiro. Nenhuma das legislações traria mais dinheiro para apoio militar a Israel ou Ucrânia, de acordo com a CNN.

O Dow Jones Futuro tenta subir, ajudado pelo salto de 3,10% da ação da Boeing no pré-mercado por volta das 6h30, reagindo à notícia de que a China está considerando retomar compras dos aviões 737 Max.

Na Europa, as Bolsas, o euro e a libra avançam, se recuperando parcialmente de perdas na sessão anterior, com investidores à espera de uma reunião nesta semana entre os presidentes Joe Biden e Xi Jinping.

O petróleo tem leve alta, revertendo perdas de mais cedo após ganhos de sexta-feira, em meio a crescentes preocupações com a demanda de EUA e China e um alívio nos riscos geopolíticos ligados ao conflito entre Israel e o Hamas.

No Brasil, foco segue na meta fiscal

A cautela em Nova York deve pesar nos mercados locais, inibindo o desempenho da Bolsa, após o Ibovespa alcançar o maior nível desde agosto na sexta-feira, em meio a repercussões de balanços e expectativas de uma definição do governo a respeito de mudança ou não da meta de déficit fiscal zero em 2024.

Após o alívio na sexta-feira com o IPCA de outubro abaixo do esperado, as atenções na semana ficam também nos dados de atividade IBC-Br e de volume de serviços. Mas a incerteza sobre mudança na meta fiscal e a elevação moderada dos juros dos Treasuries nesta manhã podem elevar os juros futuros.

Já o mercado de câmbio tende a oscilar entre margens estreitas, diante dos sinais mistos do dólar em relação a moedas emergentes e ligadas a commodities.

Com a meta no foco, os investidores vão monitorar o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, que tem reunião convocada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto, com a presença do vice-presidente, Geraldo Alckmin, e outros ministros e, à tarde, recebe os líderes do Governo no Parlamento.

A Frente Parlamentar do Empreendedorismo realiza um jantar hoje com presidentes de outras bancadas temáticas do Congresso para tratar da proposta do governo que limita a dedução de subvenções do ICMS a grandes empresas da base de cálculo para o pagamento de impostos federais. A medida é a principal aposta agora do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para aumentar a arrecadação federal.

*Agência Estado

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias