Notícias

Prévia do PIB avança 2,41% no 1º trimestre, mas cai em março e contraria expectativas

IBC-BR mostra aceleração da economia brasileira, na comparação com 4º trimestre de 2022. Em março, índice ficou abaixo da expectativa do mercado com queda de 0,15%

Letreiro na fachada do BC onde se lê Banco Central do Brasil. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
A expansão do IBC-BR nos primeiros três meses de 2023 representa o maior avanço trimestral desde o 4º trimestre de 2020. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

O Índice de Atividade Econômica (IBC-BR) do Banco Central, considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), fechou o 1º trimestre do ano em forte aceleração, com avanço de 2,41%. O resultado divulgado nesta sexta-feira, 19/05, mostra uma melhora da economia brasileira, após a queda de 1,65% do indicador no 4º trimestre de 2022.

+ IBC-Br: como funciona esse indicador da economia brasileira?

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país num determinado período e serve para medir a evolução da economia. O resultado oficial, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), será divulgado em 1º de junho.

PRÉVIA DO PIB, IBC-BR (TRIMESTRE MÓVEL)

Fonte: Banco Central

A expansão do IBC-BR nos primeiros três meses de 2023 representa o maior avanço trimestral desde o 4º trimestre de 2020 (3,93%), ou seja, em pouco mais de dois anos. Apesar do bom resultado trimestral, em março o índice caiu 0,15% após avançar 2,53% em fevereiro, abaixo da expectativa do mercado. Em relação ao mesmo período de 2022, no entanto, houve avanço de 5,46%. Em 12 meses, o IBC-Br subiu 3,31%.

Para os economistas da Nova Futura Investimentos, a queda em março reflete o menor ímpeto de consumo no setor de serviços, além de devolver parte da forte alta do mês anterior. No entanto, o resultado do trimestre foi considerado positivo. “Ao fechar o 1º trimestre com expansão de 2,4%, o índice mostra o reflexo do bom momento do comércio externo, a safra recorde e a resiliência do consumo das famílias”.

+ Vendas do varejo crescem em março e fecham 1º trimestre no positivo

Na média móvel trimestral do índice, que é usada para captar tendências, o IBC-Br teve alta de 1,03% em relação aos três meses encerrados em fevereiro, segundo o Banco Central.

O economista-chefe do Banco Master, Paulo Gala, explica que nem sempre o IBC-Br converge com o PIB medido pelo IBGE. No entanto, acredita que se o crescimento de 2,5% se confirmar, trará um resultado “espetacular” no trimestre em relação ao quarto trimestre de 2022.

“Os dados de vendas de varejo e de serviços vieram muito bons em fevereiro e março, o que mostra um primeiro trimestre bem melhor do que se imaginava. O resultado mostra que o PIB brasileiro deve finalmente retomar ao pico entre 2011 e 2013”.

IBC-BR x PIB

O cálculo do Índice de Atividade Econômica e do Produto Interno Bruto são um pouco diferentes.

O indicador do Banco Central incorpora as estimativas do setor de serviços, indústria e agropecuária, além dos impostos. Contudo, não considera o lado da demanda – que é incorporado ao cálculo do IBGE. A ótica da demanda inclui dados de consumo das famílias, do governo, investimentos, exportações e importações.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias