Objetivos financeiros

Geração Z investe menos em poupança; compra de imóvel ainda é maior sonho entre jovens

Jovens aplicam mais em bancos digitais e se informam pelas redes sociais sobre investimentos

Homem segurando celular sorrindo
Homem com celular: ter uma reserva de emergência é fundamental para o profissional freelancer. Foto: Adobe Stock

A geração Z é a que menos investe na poupança, e, ao mesmo tempo, é a que mais investe em outros produtos financeiros, como fundos, moedas digitais e ações. Junto com essa geração, os millennials e a geração X esperam usar o dinheiro investido na compra de imóveis.

É o que mostra a pesquisa feita pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) em parceria com o Datafolha divulgada nesta quarta-feira (3)

Chamada de Raio X do Investidor, o estudo ouviu 5.818 pessoas de todas as regiões do País entre os dias 9 e 29 de novembro de 2022. Foram entrevistados brasileiros economicamente ativos com 16 anos ou mais de diferentes classes sociais. A margem de erro é de um ponto porcentual, para mais ou para menos.

Menos jovens na poupança

A caderneta de poupança é menos citada na pesquisa entre as gerações mais novas, que incluem os millennials e Z. Mesmo assim, esse é o instrumento de investimento mais usado em todas as faixas etárias.

Entre a população de 41 e 75 anos, que engloba as gerações X e boomers, a poupança aparece em destaque e é usada por 31% e 30% dos entrevistados, respectivamente.

Os demais produtos financeiros – fundos, moedas digitais, ações — são mais utilizados pelos jovens, ainda que em um patamar abaixo de dois dígitos.

A pesquisa mostra que a principal vantagem percebida de aplicar o dinheiro em produtos financeiros é o retorno do investimento, que aparece em primeiro lugar para os investidores da geração Z, com índice de 37%, seguido de segurança financeira. O resultado foi o inverso do registrado no ano anterior, quando a segurança era a principal vantagem de se investir para esse grupo.

Para as gerações mais velhas, no entanto, segurança, com a possibilidade de conseguir juntar uma reserva financeira, figura no topo, com percentuais de 42% (millennials), 50% (geração X), 47% (boomers) e 48% (76 anos ou mais), cenário já constatado em 2021.

A geração com maior porcentual de pessoas com conta ou poupança em bancos tradicionais é a dos millennials, com 75%, e vale ressaltar que, nessa mesma parcela da população, os bancos digitais também tiveram um índice relevante: 51%.

Jovens à procura de um imóvel

Quando questionados sobre o destino que darão ao retorno das aplicações, a população dos 16 aos 60 anos – gerações Z, millennials e X – citam em primeiro lugar a compra de um imóvel. Já para os mais velhos, de 61 anos em diante, manter o dinheiro aplicado para emergências e estabilidade financeira é o mais importante.

Para a geração Z, em segundo lugar aparece o desejo pela compra de carro ou moto; em terceiro, manter o dinheiro aplicado e, em quarto, vem a educação, com o objetivo de fazer um curso, por exemplo.

Para a população com 76 anos ou mais, aparecem ainda com destaque as atividades de lazer/viagens (18%) e deixar para os filhos (17%), ambos com o maior percentual entre todas as gerações.

Como se informam?

A geração Z é a que menos se interessa ou confia em buscar, presencialmente, informações para decidir o melhor produto financeiro, seja com gerentes ou especialistas de investimento. Sua principal fonte de informações são sites de notícias e amigos e parentes, com percentuais de 21% cada. 

Já as pessoas a partir de 26 anos admitem que, quando o assunto é investimento, ainda confiam mais em gerentes e assessores/especialistas para receber orientação presencialmente, com índices acima de 22%.

Os influenciadores continuam exercendo um papel importante como principal meio de busca de informações, especialmente entre as pessoas da geração Z, que registraram em 2022 os mesmos 12% de preferência de 2021. O conteúdo das postagens desses formadores de opinião é o que chama mais a atenção desse público.

A pesquisa mostra que os millennials e a geração X, que englobam as pessoas dos 26 aos 60 anos, acompanham os influenciadores digitais para se manterem atualizados, ter mais conhecimento e aprender a investir. Elas citam também a forma mais objetiva, simplificada e fácil de entender como as razões principais para seguir esses criadores de conteúdo.

Entre os canais de comunicação favoritos para se informar sobre investimentos, YouTube e Instagram tiveram percentuais acima de 50% nas preferências da geração Z, seguidos de portal/sites (32%) e podcasts (24%). Televisão ainda foi a escolha preferida para as gerações X, boomers e os 76 anos ou mais, assim como visto na edição anterior. Jornais/revistas, WhatsApp e rádio também se destacaram entre os boomers.

Para ir além das dicas financeiras, vale a pena analisar seus próprios investimentos. Acesse este curso do Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias