Organizar as contas

3 dicas para controlar os custos e evitar dor de cabeça em reforma

Uma obra pode ter muitos imprevistos, mas seguir essas dicas pode te ajudar a minimizar as chances de algo dar errado

Obra e reforma. Foto: Pexels
Definir prioridades deve ser o primeiro passo do planejamento. Foto: Pexels

Por João Paulo dos Santos

Não importa se é uma pequena reforma em um cômodo ou uma grande obra na sua casa: os custos são altos e, normalmente, maiores do que o esperado. Principalmente se o planejamento e o orçamento não forem feitos corretamente.

Porém, existem alguns passos que podem diminuir as chances de surpresas não desejadas. Confira dicas de Rafael Forato, arquiteto da GrowT, startup de projetos e engenharia, para evitar dor de cabeça com a reforma da sua casa!

1. Defina suas prioridades

Começo reformando o banheiro ou a cozinha? Ajeito primeiro os quartos ou a sala? Enfim, qual é a sua prioridade? Essa é a primeira pergunta a ser respondida quando você decide fazer uma obra.

“É através das prioridades que conseguimos definir os custos e o que é indispensável ou não. Se você deseja, por exemplo, reformar dois cômodos da sua casa, é necessário escolher qual é o mais urgente, para o caso de não ser possível arcar com os custos de duas reformas”, opina o profissional.

As prioridades também englobam a escolha de materiais, preferências por determinadas marcas e até o profissionalismo de quem fará a obra. “Cada detalhe de uma obra, independente do tamanho, pode fazer diferença na hora de fechar as contas”, complementa. 

+ 5 planilhas de gastos pessoais gratuitas para organizar o orçamento

2. Crie estratégias financeiras para a obra

Começar uma obra significa investir tempo e dinheiro. Por isso, criar uma estratégia financeira para não estourar o orçamento é essencial para evitar surpresas desagradáveis.

Sendo assim, com suas prioridades bem definidas, o próximo passo é questionar: quanto você pode gastar? O empréstimo bancário é uma opção? Você tem dinheiro guardado para isso?

“Com essas informações, você saberá quanto pode gastar naquela obra para evitar surpresas no meio do caminho. Ou seja, poderá ajustar o planejamento de acordo com objetivos definidos anteriormente”, explica.

Formar uma reserva de emergência é o primeiro passo para qualquer pessoa que começa a guardar dinheiro porque ajuda tanto com imprevistos quanto para gastos como esse.

+ Reserva de emergência: o que é e como montar a sua?

3. Contrate um especialista antes de reformar

Com um planejamento financeiro em mãos, é hora de contratar um profissional especializado, algo que muita gente deixa de lado justamente por achar que os custos serão ainda maiores. “Na verdade, quando você mostra seu planejamento para um arquiteto, ele saberá te orientar para que você não gaste mais do que deseja”, explica Rafael. 

De acordo com pesquisa recente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) em parceria com o Instituto Datafolha, a maioria dos brasileiros realiza obras e reformas sem auxílio de profissionais especializados, o que, de acordo com Forato, não é o ideal. 

Ainda segundo o arquiteto, o profissional precisa saber o que o cliente quer e trabalhar para que saia tudo exatamente como ele planeja. “O custo de uma obra é sempre uma incógnita, mas um arquiteto ajudará a evitar desperdício de materiais e direcionar o projeto para que o barato não fique caro no final das contas”, conclui o arquiteto.

Quer saber mais sobre finanças e investimentos? Acesse ao Hub de Educação Financeira da B3 e tenha conteúdos gratuitos para aprender e se aprofundar nos mais diversos assuntos.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.