Organizar as contas

Score de crédito em termos práticos: o que é? é possível aumentá-lo?

Entenda como a pontuação atribuída a cada consumidor pode influenciar nos juros pagos

Pessoa sacando dinheiro do caixa eletrônico.
O empréstimo pessoal é considerado um dos modelos de crédito mais simples de ser contratado.

Por Redação B3 Bora Investir

Você já escutou o termo score de crédito? Sabia que ele pode afetar sua vida quando precisar de um empréstimo? Pois é, o score de crédito é uma pontuação que cada pessoa recebe e influencia na concessão ou não de empréstimos, nas taxas de juros que serão cobradas, na concessão ou não de cartões de crédito e seus limites, entre outros.

Por isso é importante conhecer e acompanhar seu score de crédito, já que ele pode ajudar no planejamento financeiro e nas tomadas de decisão quando se precisar de um dinheiro extra.

Mas quem calcula o score de crédito? Instituições como Serasa, SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e Boa Vista fazem a análise da relação dos consumidores com o mercado financeiro e atribuem uma nota ou score de 0 a 1.000 pontos, considerando fatores como:

  • pagamentos de contas em dia;
  • histórico de dívidas negativadas;
  • relacionamento financeiro com empresas;
  • dados cadastrais atualizados.

Como funciona?

Cada fator citado acima é analisado e comparado com o comportamento histórico de grupos de indivíduos não-identificados. Esses grupos são compostos por pessoas com características financeiras parecidas.

Estatisticamente, é possível comparar os resultados obtidos por um consumidor específico com outros do mesmo grupo para o cálculo do score. Até 300 pontos há alto risco de inadimplência, médio risco para pessoas que têm entre 300 e 700 pontos e baixo risco para quem acumula pontuação acima de 700.

Assim, quanto mais alta a pontuação, melhor a avaliação. Como consequência, mais fácil será o acesso do cliente a crédito, empréstimo e outros serviços.

Com o score mais baixo, a pessoa terá mais dificuldade em obter esses serviços e, quando o fizer, pode ser em condições menos favoráveis, com juros mais altos, por exemplo, devido ao risco maior de não pagar a dívida.

Empréstimo: quais tipos de crédito existem?

Como fazer para aumentar o score?

O score é dinâmico e avaliado no momento da consulta, considerando as informações disponíveis na base de dados da instituição que está gerando a pontuação. Assim, ele poderá melhorar com uma mudança de comportamento do consumidor, tais como:

  • Limpar o nome
  • Pagar as contas em dia
  • Manter dados cadastrais atualizados

Para consultar o score de crédito, as pessoas precisam se cadastrar nas plataformas das instituições que, de forma gratuita, informam ao consumidor a sua pontuação.

Confira seu score no site da Serasa, SPC e Boa Vista clicando nos nomes.

Vale lembrar que cada instituição financeira, empresas ou outras entidades de crédito possuem critérios próprios de avaliação de crédito, ou seja, não há um padrão de mercado. Por isso um cartão de crédito pode, por exemplo, fornecer um limite maior e mais barato para uma pessoa e menor ou nulo para outra, da mesma faixa etária, por exemplo.

Como limpar o nome e acabar com as dívidas?

Primeiro, é importante entender que ter uma dívida não faz de você alguém inadimplente. Inadimplência é o atraso no pagamento de um compromisso, seja conta de luz, fatura do cartão ou parcela de consórcio. É justamente nesse caso que o nome do consumidor pode parar nos serviços de proteção ao crédito como mau pagador.

Atualmente, quatro em cada dez brasileiros adultos estão negativados, um número recorde de pessoas inadimplentes no país, segundo dados da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) de setembro deste ano.

Se você quer saber se está na lista e o que fazer para tirar seu nome de lá, siga esses passos:

Etapa 1: Mapeamento

– Mapeie o que deve: faça uma lista de todas as contas e parcelas atrasadas e valores;

– Se você já não souber mais quantos e quais são os boletos e carnês não pagos, cheques devolvidos e outros, entre no serviço online gratuito do Banco Central chamado Registrato, que gera gratuitamente um relatório com possíveis pendências financeiras do CNPJ ou CPF;

– O SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e a Serasa Experian são duas empresas particulares que podem ou não cobrar uma pequena taxa para permitir uma checagem online sobre a situação do seu CPF ou CNPJ.

Etapa 2: Priorização

– Coloque no topo da lista dos débitos as contas que você precisa quitar com urgência por serem essenciais (água, gás e luz, por exemplo) ou porque incidem juros estratosféricos, (cartão de crédito e cheque especial, por exemplo);

– Caso tenha encontrado a dívida no Serasa, procure no site o serviço chamado “Limpa Nome”, que indica as pendências e os nomes das respectivas empresas credoras, além de oferecer uma proposta de acordo para você quitar o pagamento – em geral, com descontos;

Etapa 3: Negociação

– Com a dívida negociada, é preciso pagar o boleto da dívida atualizada ou da primeira parcela da renegociação. A baixa dos débitos ocorre em até 5 dias;

– Somente após a quitação integral ou o pagamento da primeira parcela é que o nome do devedor sairá no cadastro de inadimplentes dos órgãos de proteção ao crédito.

Etapa 4: Organize-se

– Para evitar fazer novas dívidas que você não consiga pagar, é preciso organizar as contas e entender melhor quanto você realmente recebe e quanto gasta para, assim, saber o que precisa mudar financeiramente para ter as contas em dia;

– Esse planejamento começa com uma tabela de duas colunas: à esquerda, coloque tudo que entra na sua conta bancária e, à direita, todos os gastos no período de um mês;

– Provavelmente, você se deparará com uma quantidade de gastos maior que o valor da receita. É hora de pensar em como cortar gastos e/ou como aumentar sua renda.

Separamos, a seguir, três materiais que podem te ajudar na sua jornada financeira:

Vídeo: Aprenda mais sobre como diminuir suas despesas, sem deixar de fazer o que você gosta.

Artigo: Como fazer um orçamento mensal e não dever nunca mais?

Curso gratuito: Como organizar suas finanças

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.