Tipos de investimentos

Empresas e setores que mais pagaram dividendos nos últimos anos

Recebimento de dividendos é uma das formas de garantir renda extra nos investimentos

Painel de ações da B3, a Bolsa do Brasil, localizada em São Paulo. Foto/divulgação: B3
Para que uma companhia possa pagar dividendos para os investidores, é necessário que ela registre lucro contábil com suas operações trimestralmente. Foto/divulgação: B3

Já pensou receber uma renda extra mensalmente sem precisar sair de casa ou fazer grandes esforços? No Brasil, uma forma muito comum de pensar em renda extra é por meio dos aluguéis de imóveis, ou seja, alguém tem dois ou mais imóveis e aluga um deles para outra pessoa morar (ou, até mesmo, para uma empresa desenvolver suas atividades) e, com essa prática, a pessoa recebe um dinheiro a mais mensalmente.

A renda extra, no entanto, pode ser obtida por meio de outras formas no mundo dos investimentos. Há diversos produtos financeiros disponíveis no mercado, da renda fixa à renda variável, que podem fornecer retornos atraentes ao investidor. Neste texto, vamos falar especificamente sobre os dividendos, que são uma parcela dos lucros de uma empresa listada na Bolsa de Valores que é dividida entre seus acionistas.

Para que uma companhia possa pagar dividendos para os investidores, é necessário que ela registre lucro contábil com suas operações trimestralmente.

Se em um determinado período de três meses os resultados forem negativos e a empresa tiver prejuízo, torna-se inviável a distribuição de dividendos.

Diante disso, pode parecer uma tarefa desafiadora escolher quais ações ter na carteira a fim de receber essa renda extra – para além da rentabilidade com a valorização do preço dos papéis no mercado. Afinal de contas, se a distribuição dos dividendos depende dos resultados da empresa (mais especificamente, depende de que esses resultados sejam de lucro), que garantias há de que a empresa escolhida será capaz de oferecer essa renda extra ao acionista recorrentemente?

A verdade é que não há garantias, já que os balanços corporativos dependem de uma série de variáveis – das questões micro, de dentro da empresa, até o cenário macroeconômico, com suas condições de inflação, juros e crescimento da atividade do País. Algumas empresas, em contrapartida, são reconhecidas por serem boas pagadoras de dividendos e, se sua intenção é ter uma renda passiva, vale a pena olhar com atenção para elas.

Mas, antes de revelar quais são essas boas pagadoras de dividendos, é importante ressaltar que a diversificação dos investimentos pode ajudar bastante na hora de contar com uma renda extra. Dividir os recursos disponíveis entre diferentes papéis possibilita ao investidor receber dividendos de mais de uma empresa – e, assim, minimizar os riscos.

Além disso, o objetivo deste texto é apenas informativo, sem configurar, de forma alguma, uma recomendação de investimento. Os ativos que compõem a sua carteira como investidor devem ser escolhido com base no seu perfil, objetivos e tolerância à riscos.

Ações que distribuem proventos todos os meses

Os melhores pagadores de dividendos do Brasil na atualidade são os bancos e outras instituições financeiras. Embora os dividendos sejam pagos, no máximo, trimestralmente (eles podem ser distribuídos, também, de forma semestral ou anual), outra forma de uma empresa bonificar seus acionistas com a divisão de seus lucros é com os Juros Sobre Capital Próprio (JCP).

A diferença é que, enquanto os dividendos são classificados dentro dos lucros da companhia, o JCP é registrado como uma despesa. Se os dividendos são isentos para os acionistas (já que a empresa já arcou com o Imposto de Renda), no caso do JCP quem arca com o Imposto de Renda é o acionista, que tem 15% do valor retido na fonte.

Entre 2017 e 2021, apenas três empresas registraram mensalmente a distribuição de algum provento para os seus investidores, seja por meio de dividendos ou de JCP, segundo um levantamento feito pela XP Investimentos. Foram elas: Itaú, Bradesco e Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes).

Outras ações que distribuem seus lucros com regularidade

Ainda no setor financeiro, Banco do Brasil e Itaúsa pagaram proventos aos seus acionistas pelo menos seis vezes por ano entre 2017 e 2021.

Também se destacam pela regularidade na distribuição de dividendos empresas do setor de commodities e utilities (na tradução, as empresas de utilities são aquelas que trabalham em setores de utilidade pública, como saneamento básico e distribuição de energia). A Vale, que é uma das queridinhas dos investidores quando se fala em proventos, distribuiu dividendos semestralmente aos seus investidores nos últimos cinco anos, assim como a Klabin, do segmento de papel e celulose. Já a Taesa, de energia elétrica, entrega proventos pelo menos quatro vezes por ano.

Ao longo do último ano e nos primeiros meses de 2022, o ranking das ações que mais pagam dividendos conta com a presença desses três setores da economia: financeiro (com destaque para os bancos), commodities e energia elétrica.

Empresas desses setores tendem a ser boas pagadoras de dividendos porque prestam serviços ou entregam produtos essenciais para a sociedade, ou seja, cuja demanda se mantém mesmo em momentos de crise.

Assim, por mais que o lucro nunca seja uma garantia, é mais difícil ver tais companhias registrarem prejuízo do que aquelas que estão inseridas em setores mais voláteis da economia, como o varejo e a tecnologia, por exemplo.

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias