Fundos de Investimento

Fundos caixa: o que são e como viraram alternativa à poupança

Fundos caixa crescem em aporte e atraem investidores avessos ao risco de crédito privado corporativo

Foto: Pixabay
Os fundos caixa são fundos de investimento de baixo risco, com alta liquidez e rentabilidade próxima ao CDI. Foto: Pixabay

Por João Paulo dos Santos

No Brasil, a poupança ainda é massivamente utilizada para guardar dinheiro. Mas, cada vez mais, as pessoas vêm buscando melhores opções no mercado. Nesse cenário, os fundos de investimento vêm ganhando destaque, como opção à poupança, mais especificamente, os fundos caixa.

“Por ora, acho dinheiro em caixa bom. Não quero possuir dívida, títulos, esse tipo de coisa”. A declaração não é de uma pessoa comum, mas sim do bilionário Ray Dalio, fundador da Bridgewater Associates, o maior fundo de investimentos hedge do planeta.

Ao falar caixa, o bilionário está se referindo a deixar os seus recursos em ativos de curto prazo e liquidez imediata do mercado monetário. Já no Brasil, aplicações similares a esta são os fundos cash ou fundos caixa.

+ 4 opções de investimento para tempos de queda da Selic

O que são fundos caixa?

Os fundos caixa são fundos de investimento de baixo risco não expostos a crédito corporativo privado, com alta liquidez e rentabilidade próxima ao CDI. Por suas características de segurança e retorno é considerado um paralelo à poupança.

Disponíveis para aplicações a partir de R$ 100,00, a maioria dos fundos caixa está categorizada na renda fixa, mas ainda existem cinco classificados como multimercados

Eles podem combinar títulos públicos pós-fixados com títulos privados, que podem ser de diferentes graus de risco e com a utilização de diferentes indexadores (pós-fixado, prefixado ou atrelados à inflação).

“Rendendo mais e dando segurança similar à da poupança, os fundos caixa se tornam a melhor alternativa à poupança para quem deseja mais rentabilidade com risco controlado. Tais fundos exibem baixíssima volatilidade e não há sobressaltos com cotas negativas, como vimos nos fundos com risco de crédito privado que sofreram perdas com as crises de Light e Americanas”, ressalta Fernando Camargo Luiz, gestor da Trópico Investimentos.

Luiz ainda destaca que a liquidez quase que imediata dos fundos e o valor mínimo a ser investido são os adendos que estão tornando os fundos de caixa cada vez mais populares. “Vem acontecendo tanto entre os investidores conservadores, quanto entre os profissionais que precisam ter um porto seguro para estacionar o dinheiro enquanto buscam oportunidades no mercado”.

Fundos de caixa como investimento

Buscar este tipo de investimento tem sido uma tendência tanto no mercado internacional quanto no Brasil. Dados mostram que a categoria tem crescido, na contramão de outros fundos de investimento.

Segundo informações da Comdinheiro, no primeiro semestre os fundos caixa brasileiros captaram R$ 23,37 bilhões, contrastando com a indústria como um todo que, segundo a Anbima, registrou mais resgates do que aportes e acumulou uma perda acima de R$ 200 bilhões em igual período. 

A pesquisa da Comdinheiro analisou o desempenho de 128 fundos de investimento, dos 25 mil existentes e, para chegar neste número, utilizou como métricas: volatilidade anualizada abaixo de 0,5%, número mínimo de 500 cotistas, além de zero exposição ao crédito privado. 

“Estamos vendo o investidor mais seletivo, buscando opções no mercado que deem rentabilidade alinhada ao CDI, com baixo risco e que não exibam sobressaltos de rentabilidade”, afirma o diretor da Comdinheiro, Filipe Ferreira.

O movimento de alta dos fundos caixa podem também estar ligados à fuga dos fundos ligados ao crédito privado. A saída dos fundos expostos a crédito privado foi mais intensa nos primeiros meses do ano por conta da crise de crédito que assolou as empresas, principalmente aquelas ligadas ao varejo

+ Quais são os investimentos que garantem uma renda mensal em dólar

Quem pode e como investir em fundos caixa?

Pela suas características, os fundos caixa se encaixam bem na categoria de perfis mais conservadores. Contudo, pode ser uma alternativa de diversificação para todos os investidores.

Para investir no fundo o passo a passo é o mesmo de outros investimentos. Escolha uma corretora, consulte as opções de fundos caixa disponíveis, e, por fim, veja qual se encaixa no seu perfil e objetivos.

Quer tudo sobre fundos de investimento? Confira o curso gratuito do Hub de Educação da B3!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias