Notícias

Caged: o que você precisa saber sobre o indicador de desemprego

Geração de novos empregos é um dado importante na hora de avaliar como aplicar seus recursos

Funcionários trabalham em empresa de telemarketing
O setor de serviços é um dos que mais gera postos de trabalho no mundo. Foto: Divulgação/Atento

O Ministério do Trabalho e Previdência divulgou nesta segunda-feira (29) o saldo de empregos com carteira assinada no Brasil, num total de 218.902 vagas criadas no mês de julho. O levantamento é extraído do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Trata-se de um indicador do governo federal que considera apenas as contratações e as dispensas de funcionários informadas pelas próprias empresas e considerando apenas os contratos sob as regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Naquele mês, os setores da economia que mais geraram vagas formais foram o de serviços (81.873 postos formais), seguido pela indústria geral (50.503 vagas), o comércio (38.574 vagas), a construção civil (32.082 vagas) e a agropecuária (15.870 vagas). No acumulado dos últimos 12 meses (agosto de 2021 a julho deste ano), foram gerados 2,5 milhões de postos de trabalho.

Com relação aos salários, houve um aumento de 0,8% no valor oferecido aos novos contratados. Na média, o salário estava em R$ 1.926,54.

E o que seu bolso tem a ver com o Caged?

Ficar de olho nos índices de emprego e renda no País é importante para os investidores, que precisam escolher um produto financeiro para alocar seus recursos dentre as diversas opções disponíveis no mercado.

Tanto os números do Caged quanto os indicadores sobre a população ocupada divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são termômetros importantes para medir a recuperação econômica. Afinal, quanto mais gente trabalhando, mais chance de aumentar o consumo, as empresas lucrarem e os seus investimentos renderem mais.

Num cenário de aumento de vagas de emprego, alguns investimentos tendem a ser mais beneficiados do que outros, como é o caso dos ativos de companhias listadas na B3 no setor de serviços – o que mais gerou vagas de acordo com os dados do Caged –, por exemplo: as concessionárias de rodovias, as empresas de telecomunicações, de mídia, de locadoras de veículos, as fornecedoras de softwares e outras.

Quanto mais diretamente ligados à economia doméstica – isto é, negócios que não dependem da exportação nem da variação do preço internacional, como as commodities –, maior a probabilidade de as receitas da empresa crescerem com a geração de novas vagas. 

Como os níveis de emprego afetam a renda fixa?

Além das ações de companhias listadas na Bolsa de Valores, os títulos de renda fixa também são afetados pelos índices de emprego e desemprego. O aumento do consumo (gerado pelo maior número de pessoas ocupadas) pode gerar um aumento da inflação no Brasil. A inflação é causada, entre outros fatores, por uma maior demanda versus a oferta de produtos e matérias-primas no mercado.

Em períodos em que o emprego está em alta, os títulos de renda fixa e outros ativos que usam o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) como referência se tornam opções interessantes, já que a inflação tende a subir –elevando a rentabilidade desses investimentos. E mais: se a pressão inflacionária se mantiver, o Banco Central tende a subir a taxa básica de juros (Selic) – o que significa que títulos atrelados a esse indicador também podem oferecer uma maior rentabilidade.

O que a taxa Selic tem a ver com a inflação? Confira em vídeo no hub de educação da B3.

Quanto aos ativos impactados pelo preço das  commodities, esses costumam sofrer menos impacto com os indicadores de emprego e desemprego. Afinal, a variação das commodities no mercado é determinada de acordo com o cenário global e, por isso, pouco afetada pelas mudanças macroeconômicas internas. 

Por isso, apesar de o emprego e desemprego mexerem com o preço de ativos de algumas empresas listadas na B3, o índice oficial da Bolsa de Valores (Ibovespa B3) não replica a mesma volatilidade, já que sua composição também traz companhias exportadoras de commodities – como a Vale, de minério de ferro, a Petrobras, de petróleo, e a Klabin, de papel e celulose – , que não são afetadas por essas notícias.

Cabe lembrar que, além de uma boa avaliação sobre o cenário econômico do Brasil, estudar as características particulares de cada setor e os fundamentos de cada empresa é uma regra de ouro antes de investir. Se os produtos financeiros desejados estiverem de acordo com o seu perfil de tolerância ao risco, sua expectativa de rentabilidade, seus prazos e objetivos, siga em frente na alocação dos recursos.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias