Notícias

Entenda por que a OCDE prevê PIB forte para o Brasil em 2022 e desaceleração em 2023

Entidade elevou a previsão de crescimento para o país de 0,6% para 2,8% neste ano. No mundo, economia deve desacelerar no ano que vem, mas recessão está descartada

Três moedas de um real
O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país num determinado período, e serve para medir a evolução da economia.

Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) ampliou a previsão do crescimento da economia brasileira neste ano, mas já projeta uma desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB) em 2023 diante da evolução dos gastos públicos que pressionam a inflação. Os dados divulgados nesta terça-feira, 22/11, estimam que o PIB passará de 2,8% em 2022 para 1,2% no ano que vem.

“A política fiscal tem sido expansionista e tem contribuído para as pressões inflacionárias por meio do aumento da demanda. É necessária uma estratégia de consolidação abrangente para reduzir o déficit e restaurar a credibilidade do quadro orçamental. Reduzir a rigidez orçamentária e limitar os gastos obrigatórios do governo melhoraria a eficiência dos gastos”, afirmou a OCDE no comunicado. 

No estudo, a organização alertou ainda que o país precisa melhorar a gestão dos investimentos públicos e fazer uma reforma das transferências sociais. A entidade pede ainda maiores incentivos de sustentabilidade para o setor agrícola. “O agronegócio pode impulsionar o crescimento e ao mesmo tempo melhorar as finanças públicas”, explica.

A melhora da previsão de crescimento para este ano, que está ligada ao bom resultado da economia no 1º e 2º trimestres, é apoiada pelos programas de transferência de renda mais elevados e pelo vigoroso crescimento do mercado de trabalho. A OCDE, no entanto, alerta para a desaceleração do ritmo no 3º trimestre puxado por um cenário global mais desafiador.

 “Preços de commodities mais baixos e desaceleração nos principais parceiros comerciais reduzirá a demanda externa. Condições de crédito mais apertadas limitarão o consumo das famílias, juntamente com uma desaceleração na criação de empregos em 2023”, diz a entidade no comunicado.

+ Teto de gastos: o que é e como afeta a economia do Brasil

Economia Mundial

 As novas projeções da OCDE publicadas hoje apontam para um crescimento mundial de 3,1% neste ano – a estimativa anterior era de 3% – desacelerando para 2,2% no ano que vem e voltando a subir para 2,7% em 2024.

A organização descartou uma recessão global, mas alertou que o mundo passa por um cenário econômico muito difícil com inflação alta na maioria dos países. A guerra na Ucrânia também é um fator para a desaceleração da economia global.

“Nestes tempos difíceis e incertos, a política tem mais uma vez um papel crucial a desempenhar: um maior aperto da política monetária é essencial para combater a inflação, e o apoio à política fiscal deve se tornar mais direcionado e temporário. Acelerar o investimento na adoção e desenvolvimento de fontes e tecnologias de energia limpa será crucial para diversificar o fornecimento de energia e garantir a segurança energética”, publicou a OCDE no estudo.

Quer saber como proteger seus investimentos? Este vídeo pode te ajudar:

Para entender mais sobre investimentos e macroeconomia, confira os conteúdos gratuitos do Hub de Educação Financeira da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias