Notícias

Focus: mercado reduz estimativa da Selic em 2023 para 12% e IPCA cai abaixo de 5%

Nova desaceleração na projeção da taxa básica de juros acontece após mudança no regime de metas de inflação e Copom mais aberto a cortes. Inflação deve ficar em 4,98%

Selic, PIB. Moedas e calculadora no celular. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
O relatório Focus é publicado todas as segundas-feiras com as projeções do mercado financeiro para a economia brasileira. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

Após mudanças de tom do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre o início de corte da taxa básica de juros, o mercado financeiro voltou a reduzir a estimativa para a Selic no fim de 2023.

A projeção para a taxa básica de juros desacelerou de 12,25% ao ano para 12% ao ano em 2023. É a segunda vez, em menos de um mês, que o mercado reduz essa projeção. Hoje a Selic está em 13,75% ao ano.

A mudança veio também após o Conselho Monetário Nacional (CMN) anunciar um ajuste no sistema de metas de inflação. Pelo novo modelo, a partir de 2025 o atingimento da meta terá um horizonte de cumprimento mais flexível (meta de inflação contínua).

Para o economista-chefe do Banco Master, Paulo Gala, a projeção do Focus é compatível com o corte de 0,25 ponto percentual da Selic na próxima reunião do Copom em agosto. Isso porque o movimento também se reflete no mercado de juros futuros.

“O janeiro 2026 [DI, juros futuros] está próximo de 10% e tem grandes chances da curva mergulhar. Seria a primeira vez que a gente veria essa curva de juros em um dígito, porque faz mais de dois anos que isso não acontece”.

Para o fim de 2024, a estimativa para a Selic ficou estável em 9,5% ao ano; e em 9% em 2025.

O Focus é publicado às segundas-feiras. Foram ouvidas pelo Banco Central mais de 100 instituições financeiras até o fim da semana passada. O relatório é essencial para o investidor corrigir ou confirmar estratégias.

Expectativas de inflação abaixo de 5%

Os agentes econômicos ouvidos pelo Boletim Focus apontam para a sétima redução consecutiva nas expectativas de inflação neste ano, de 5,06% para 4,98%.

Mesmo abaixo do patamar psicológico de 5%, a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) segue acima do teto da meta definida pelo CMN, o valor de 4,75%. A meta é de 3,25%.

Para Gala, a surpresa do corte nos preços da gasolina pela Petrobras na sexta-feira, como forma de compensar a alta de remuneração dos impostos, também ajudou na queda da expectativa de inflação.

“O mercado já está fazendo as contas e colocando a inflação em 4,75%, que seria o teto da banda. Não é nenhum absurdo imaginar que se possa chegar a esse patamar com essas novidades que a gente teve”, conclui o economista-chefe do Banco Master.

Para 2024, a projeção do mercado financeiro para o IPCA caiu de 3,98% para 3,92%. Para 2025, voltou a desacelerar de 3,80% para 3,60%. Mais do que a desaceleração das expectativas de inflação neste ano, o Copom está de olho na redução do IPCA em prazos mais longos.

Apesar das estimativas estarem abaixo de 4%, elas seguem superiores à meta perseguida pelo Banco Central, que é de 3% para os dois anos. Ela será considerada cumprida se oscilar entre 1,5% e 4,5%.

Projeções para o PIB têm leve avanço

Os economistas do mercado financeiro voltaram a elevar, desta vez de forma mais leve, as estimativas para o crescimento da economia brasileira em 2023.

Pelas projeções, o Produto Interno Bruto (PIB) deve avançar para 2,19%, ante 2,18% na semana anterior. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país num determinado período.

A melhora na perspectiva para a atividade econômica acontece após o forte avanço de 1,9% no PIB brasileiro. O resultado foi puxado pela agropecuária, que avançou 21,6% no período: a maior alta desde o quarto trimestre de 1996.

Para 2024, a previsão de crescimento do PIB subiu de 1,22% para 1,28%. Para 2025, caiu de 1,83% para 1,81%.

Dólar

A estimativa para a moeda americana no fim de 2023 ficou estável em R$ 5. Para 2024, reduziu de R$ 5,10 para R$ 5,08 entre uma semana e outra. Para 2025, avançou de R$ 5,15 para R$ 5,17.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias