Notícias

Focus: projeção do PIB avança para 1,68% em 2023, após dado forte do 1º trimestre

Já a expectativa sobre a inflação desacelerou para 5,69% em 2023 e 4,12% em 2024. Projeções para queda da Selic permanecem

Mercado; Moedas e calculadora no celular. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
O relatório Focus é publicado todas as segundas-feiras e lista as projeções do mercado financeiro para a economia brasileira. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

Os analistas do mercado financeiro elevaram as estimativas para o crescimento da economia brasileira em 2023. Pelas projeções, o Produto Interno Bruto (PIB) deve avançar 1,68% neste ano, ante 1,26% na semana anterior. É o que aponta o Boletim Focus do Banco Central, publicado nesta segunda-feira, 05/06.

A melhora na perspectiva para a atividade econômica acontece após o forte avanço de 1,9% no PIB brasileiro, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na semana passada. O ótimo resultado foi puxado pela agropecuária, que avançou 21,6% no período: a maior alta desde o quarto trimestre de 1996.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país num determinado período. Para 2024, a previsão de crescimento do mercado financeiro recuou de 1,30% para 1,28%. Para 2025, permaneceu em 1,70%.

O Focus é publicado às segundas-feiras. Foram ouvidas pelo Banco Central mais de 100 instituições financeiras até o fim da semana passada. O relatório é essencial para o investidor corrigir ou confirmar estratégias.

Queda nas expectativas de inflação

As projeções para a inflação do Brasil desaceleraram. Segundo o Focus, os analistas reduziram a estimativa de 5,71% para 5,69% neste ano.

Apesar da perda de ritmo, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) segue bem acima do teto da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 4,75%. Se essa estimativa for confirmada, este será o terceiro ano seguido no qual a meta de inflação ficará acima do teto.

Em 2024, a projeção do mercado financeiro para o IPCA caiu de 4,13% para 4,12%. Para 2025, ficou em 4%. Em ambos os períodos a estimativa de inflação segue superior à meta do BC, que é de 3% para os dois anos. No entanto, ela será considerada cumprida se oscilar entre 1,5% e 4,5%.

“Uma das questões centrais para a decisão do Banco Central sobre a Selic é acompanhar se a melhora observada nos indicadores correntes de inflação se traduz em expectativas mais baixas”, explica Felipe Salto, economista-chefe e sócio da Warren Rena.

Nas últimas semanas, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, passou a adotar uma fala mais otimista em relação à inflação. Esses sinais passaram a ser interpretados pelo mercado financeiro como o início de um ambiente para a redução dos juros. A Selic está atualmente em 13,75% ao ano, o maior patamar em seis anos e meio.

Na quinta-feira passada, 25/05, a prévia da inflação (IPCA-15) veio abaixo do esperado, com redução da pressão principalmente nos núcleos, que excluem itens mais voláteis e apontam uma tendência para o índice. Após esses números, Campos Neto afirmou que a atividade econômica brasileira e a perspectiva para a inflação melhoraram nas últimas semanas.

“Eu sempre digo que o cenário está clareando um pouco. Temos uma inflação que parece que vai engrenar uma melhora, mesmo que lenta. Ao mesmo tempo, a atividade econômica tem surpreendido para cima”, disse o presidente do BC na última segunda-feira, 29/05.

Selic

A percepção de que o ambiente econômico começa a melhorar e que os juros podem cair no curto prazo é compartilhada pelos economistas ouvidos pelo Focus.

Por mais uma semana, os analistas mantiveram a expectativa para a Selic no fim de 2023 em 12,5% ao ano. Para o fim de 2024, a estimativa ficou estável em 10% ao ano; e em 9% em 2025.

Dólar

A estimativa para a moeda americana no fim de 2023 recuou de R$ 5,11 para R$ 5,10. Para o fim de 2024, caiu de R$ 5,17 para 5,16. Para 2025, ficou em R$ 5,20.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.