Notícias

IPCA-15: conta de luz e alimentos puxam deflação de 0,07% em julho

Após 9 meses, prévia da inflação entrou no campo negativo. Como consequência, o IPCA-15 ficou abaixo da meta de 3,25% perseguida pelo BC nos últimos 12 meses

Apesar de parecidos, os termos inflação, deflação e desinflação significam fenômenos econômicos distintos, que o IPCA-15 mede. Foto: Adobe Stock

Por Redação B3 Bora Investir

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação, mostrou uma deflação de 0,07% em julho após a leve alta de 0,04% no mês anterior. É o que publicou nesta terça-feira, 25/07 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa foi a menor taxa registrada pelo indicador desde setembro do ano passado. O índice ficou mais de nove meses consecutivos no positivo. Em junho de 2022, o IPCA-15 registrou leve alta de 0,13%. No acumulado do ano, a prévia da inflação subiu 3,09%.

Em 12 meses, o IPCA-15 registra alta de 3,19%, abaixo da meta perseguida pelo Banco Central, que é de 3,25%.

Para o economista, André Perfeito, a deflação no IPCA-15 surpreendeu o mercado, assim como outros indicadores, como o recuo das projeções de inflação medidas pelo boletim Focus, também divulgado nesta terça-feira.

“Houve uma melhora qualitativa do indicador que viu seus núcleos [que medem a tendência dos preços] retrocederem, em especial Serviços Subjacentes [indicador do setor que apresenta menos volatilidade]. Teve também o IGP-M aprofundando sua deflação (-2,92%)”.

Segundo o analista, todo esse cenário sacramenta de vez o corte da taxa básica de juros, a Selic, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) na semana que vem.

“Reitero o cenário de corte em 0,50 ponto percentual e a taxa Selic em 11,75% ao final deste ano”.

Fonte: IBGE

Quatro dos nove grupos pesquisados pelo IBGE tiveram queda no mês, com a maior variação negativa vinda do grupo Habitação (-0,94%). (ver mais abaixo)

Energia elétrica e gás mais barato puxam deflação

O principal impacto para a deflação do índice veio da retração nos preços da energia elétrica residencial, que caíram 3,45% após a incorporação do Bônus de Itaipu, creditado nas faturas de julho.

A Tarifa Bônus de Itaipu decorre de saldo positivo na Conta Comercialização da Energia Elétrica de Itaipu em 2022. São beneficiários os consumidores do Sistema Interligado Nacional pertencentes às classes residencial e rural, que tiveram consumo inferior a 350 KWh em ao menos um mês de 2022.

Inflação, deflação e desinflação: entenda as diferenças

A queda nos preços do botijão de gás (-2,10%) também influenciou a retração do grupo Habitação, um dos que mais impactaram o índice geral. Vale lembrar que, no início do mês, a Petrobras reduziu em 3,9% o preço do gás de cozinha (GLP) para as refinarias.

Alimentos consumidos em casa ficam mais em conta

A prévia da inflação de julho também ficou no campo negativo impactada pela deflação nos preços dos alimentos e bebidas (-0,40%).

Houve deflação também na alimentação no domicílio (-0,72%), puxada principalmente pela queda nos preços do feijão-carioca (-10,20%), óleo de soja (-6,14%), leite longa vida (-2,50%) e carnes (-2,42%).

Na contramão, ficaram os preços da batata-inglesa (10,25%) e do alho (3,74%). Assim como o lanche, com forte alta de 1,02%, e a alimentação fora do domicílio, que avançou 0,46%.

Gasolina mais cara puxa transportes de volta para o positivo

Após cair na prévia da inflação de junho, os preços do grupo Transportes aceleraram 0,63% nesse mês. O principal impacto veio do aumento nos preços da gasolina (2,99%) e das passagens áreas, que avançaram 4,70% após subirem 10,70% em junho.

IPCA, IGP-M, INPC, IPC: conheça os índices de inflação do Brasil

Do lado das quedas, destacam-se o automóvel novo (-2,34%), o usado (-1,05%), o óleo diesel (-3,48%) e o etanol (-0,70%).

Menor índice de difusão desde 2020

Os números do IPCA-15 trouxeram um resultado ainda mais positivo que a deflação no índice geral. Isso porque a inflação se espalhou menos pelos produtos que compõem o índice de julho.

O chamado Índice de Difusão, que mede a proporção de bens e serviços que tiveram aumento de preços, caiu de 50,7% para 48% em julho. É o resultado mais baixo desde junho de 2020 (47,1%).

Veja a variação em julho de todos os grupos do IPCA-15:

  • Alimentação e bebidas: -0,40%
  • Habitação: -0,94%
  • Artigos de residência: -0,40%
  • Vestuário: 0,04%
  • Transportes: 0,63%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,07%
  • Despesas pessoais: 0,38%
  • Educação: 0,11%
  • Comunicação: -0,17%

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias