Mercado

Mercado eleva para 5,39% estimativa de inflação para 2023, aponta Focus

Valor estoura o teto da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional que é de 4,75%. Projeção de crescimento do PIB neste ano ficou em 0,77%

Letreiro no prédio-sede do Banco Central do Brasil, em Brasília
Na Pesquisa Focus, o Banco Central traz as expectativas do mercado para os principais indicadores. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

Pela quinta semana consecutiva, os economistas do mercado financeiro ouvidos pelo Banco Central (BC) elevaram a estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2023. O valor subiu de 5,36% para 5,39%, segundo o boletim Focus divulgado nesta segunda-feira, 16/01. O resultado segue bem acima da meta de 3,25% e do teto da meta (4,75%) definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

A previsão de IPCA para 2024 ficou estável, mas subiu 0,2 pontos percentuais em 2025 (3,50%) – acima da meta de 3%. Segundo analistas, esse avanço mostra cautela dos investidores diante da capacidade do governo de implementar um pacote de medidas para redução do déficit público – o que ajudaria a inflação.

O relatório Focus é publicado todas as segundas-feiras e divulga as estimativas do mercado financeiro para a economia brasileira. O Banco Central ouviu mais de 100 instituições financeiras até o fim da semana passada. O relatório é essencial para o investidor pautar as suas conversas no início da semana e corrigir ou confirmar estratégias no mercado de ativos.

No ano passado, pressionada pelos preços dos alimentos, a inflação fechou em 5,79% – acima da meta (3,5%) e do teto da meta (5%) definidas pelo CMN. Diante desse estouro, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, enviou uma carta ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad, onde explicou os cinco fatores que pressionaram os preços em 2022.

  • Inércia da inflação do ano anterior (processo de ajuste automático dos preços);
  • elevação dos preços de commodities, em especial do petróleo;
  • desequilíbrios entre demanda e oferta de insumos e gargalos nas cadeias produtivas;
  • choques em preços de alimentação, resultantes de questões climáticas;
  • retomada na demanda de serviços e no emprego, impulsionada pelo acentuado declínio da quantidade de casos de Covid-19 e consequente aumento da mobilidade.

Produto Interno Bruto

Para o Produto Interno Bruto (PIB), o mercado financeiro diminuiu um pouco a previsão de crescimento para a economia brasileira neste ano de 0,78% para 0,77%. Para 2024, a previsão permaneceu estável em alta de 1,5%.

A estimativa para 2022 teve um novo ajuste, de 3,03% para 3,02%. O resultado completo do PIB em 2022 será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no dia 02 de março.

O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, num determinado período, e serve para medir a evolução da economia.

Taxa de Juros

Para a Selic, a expectativa do mercado foi elevada de 12,25% para 12,50% ao ano para o fim de 2023. Para 2024, a taxa básica de juros foi mantida em 9,25% ao ano.

A taxa básica de juros está hoje está em 13,75% ao ano. A manutenção nesse patamar foi decidida em dezembro pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Dólar

A estimativa para a moeda americana no fim de 2023 ficou em R$ 5,28.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias