Mercado

Mercado financeiro hoje: agenda inclui IGP-M e prévia do PIB nos EUA

Volume de serviços em fevereiro, os dados de março do Caged e do governo central completam a agenda nacional. Nos EUA, balanços também são monitorados

Bolsa. Foto: Pixabay
. Foto: Pixabay

Por Redação B3 Bora Investir

As prévias do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no primeiro trimestre e do índice de preços de gastos com consumo (PCE) vão calibrar as expectativas econômicas nesta quinta-feira, 27/04.

Ambos os indicadores serão divulgados em meio à tensão bancária, riscos de recessão e antes da decisão de juros do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), na próxima semana.

Balanços do primeiro trimestre de bancos europeus já publicados e de empresas americanas, como Amazon e Intel, também devem nutrir as expectativas dos investidores.

+ “Não consigo dizer quando juros vão cair, mas estamos no caminho certo”, diz presidente do BC

Já a agenda local traz uma série de indicadores, como o IGP-M de abril, o volume de serviços em fevereiro, os dados de março do Caged e do governo central.

Por fim, os ministros da Fazenda, Fernando Haddad, e do Planejamento, Simone Tebet, debatem sobre “Juros, Inflação e Crescimento” com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. O evento acontece no Senado e é aderente às regras de silêncio que antecedem os encontros do Copom, na terça e quarta-feira que vem.

No exterior

Nos Estados Unidos há um apetite leve por risco. O movimento acontece após a aprovação do projeto de lei do teto da dívida pela Câmara dos Representantes dos EUA e com o salto da ação da Meta (Facebook) no pré-mercado, ecoando o balanço divulgado no fim da tarde de ontem.

Os investidores americanos estão em compasso de espera pelos resultados das “big techs” em meio a receios sobre o impacto das turbulência no setor bancário americano no crescimento. Ontem, a ação do First Republic Bank, um dos bancos regionais americanos que mais sofreram após a quebra do Silicon Valley Bank (SVB), teve queda de cerca de 30% em Nova York.

+ Balanços corporativos mexem com o mercado externo; bancos e big techs estão no foco

As previsões são de desaceleração da economia americana sob impacto do aperto de juros. Os dados de inflação PCE devem subsidiar também as apostas para o Fed, decrescentes, porém ainda majoritárias, de alta de 25 pontos no dia 3 de maio.

Na Europa, as bolsas repercutem os balanços de Unilever, Deutsche Bank e Barclays acima das previsões de lucro no 1º trimestre.

No Brasil

O ambiente positivo lá fora pode não ser suficiente para compensar uma esperada reação negativa dos investidores ao balanço da Vale. No câmbio, o dólar pode continuar instável antes da definição da taxa Ptax do fim de abril, nesta sexta-feira.

Após a desaceleração do IPCA-15, as quedas nas cotações de grãos também devem contribuir para que o retorno dos preços ao produtor voltarem ao terreno negativo no IGP-M de abril.

Já a desaceleração da atividade no País deve contribuir para um saldo menor de empregos no Caged de março. Por outro lado, o setor de serviços deve voltar a crescer em fevereiro, embora em ritmo lento.

Pode animar o Ibovespa, pelo lado fiscal, a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por unanimidade, de autorizar a cobrança de IRPJ e CSLL sobre benefícios fiscais de ICMS. A decisão é favorável ao governo e, de acordo com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, permite a arrecadação de R$ 90 bilhões para a União.

O ministro está tomando as medidas para que a reforma tributária seja aprovada ainda no primeiro semestre pelo menos na Câmara. Também busca fazer com que o arcabouço receba o aval dos parlamentares.

*Com informações da Agência Estado

Como funciona uma bolsa de valores? Veja nesta curso oferecido pela B3

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias