Mercado

Mercado hoje: investidores monitoram dados sobre emprego nos EUA

Aqui, a Petrobras e o Bradesco realizam teleconferências para comentar os resultados do segundo trimestre.

Números sendo mostrados em uma tela
Bolsa de valores. Foto: Adobe Stock

Por Redação B3 Bora Investir

O relatório de emprego dos Estados Unidos de julho, o payroll, deve orientar os mercados nesta sexta-feira de agenda esvaziada. A reunião da Opep também é esperada, após anúncios ontem de novas restrições à oferta por Arábia Saudita e a Rússia.

Aqui, a Petrobras e o Bradesco realizam teleconferências para comentar os resultados do segundo trimestre.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, reúne-se com o ex-ministro e diretor de estratégia Econômica e Relações com Mercados do Banco Safra Joaquim Levy e a economista alemã Isabella Weber, da Universidade de Massachusetts Amherst.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva embarca nesta manhã para Parintins, no Pará, onde lançará a nova edição do programa Luz Para Todos e deve inaugurar a ligação dos municípios de Itacoatiara (AM), Parintins (PA) e Juriti (PA) ao Sistema Interligado Nacional (de produção e transmissão de energia elétrica).

No exterior

Nos EUA, investidores aguardam o payroll, que é determinante para a trajetória dos juros americanos em meio a promessa de mais estímulos na China.

A expectativa é de que a economia dos Estados Unidos gerou 205 mil empregos em julho, a taxa de desemprego deve ter se mantido em 3,6% e o salário médio por hora deve ter crescido 0,3% ante o mês anterior e 4,2% na comparação anual. Caso se confirme, o resultado de criação de vagas praticamente repetirá os 209 mil postos gerados em junho, após o setor privado no país ter criado 324 mil empregos em julho, bem acima da expectativa de analistas (183 mil postos).

Os dados ajudarão a nortear a decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) em setembro, após elevação de juros em 25 pb, à faixa de 5,25% a 5,50% no fim de julho e deixar em aberto a possibilidade de novo aumento ainda este ano, a depender da evolução dos dados econômicos.

Na Europa, houve um inesperado aumento nas encomendas à indústria da Alemanha. Porém, as vendas no varejo caíram 0,3% em junho na zona do euro, frustrando as expectativas de alta de 0,2%.

Na China, as bolsas subiram após o banco central local, o PBoC, prometer de ser mais flexível e usar instrumentos de política monetária, incluindo cortes de compulsórios, para garantir liquidez “razoavelmente ampla” no sistema bancário.

No Brasil

A promessa de mais estímulos na China é um bom prenúncio para a B3, mas o humor deve depender ainda das reações dos investidores a uma série de balanços de empresas e bancos, como Petrobras e Bradesco. No caso da estatal, além da forte queda no lucro, as atenções ficam sobre os dividendos e a decisão do conselho de administração sobre negociação com credores da Sete Brasil.

Na quarta-feira, o colegiado do Banco Central cortou a taxa Selic em 50 pb, para 13,25% ao ano, mais do que o previsto pela maioria dos analistas nas vésperas do encontro. A expectativa é que a ata traga os argumentos que embasaram a decisão, o ponto de vista dos diretores que votaram por um corte menor de 0,25 ponto, dado o placar dividido (5X4), e possíveis citações ao cenário fiscal, que não constou no balanço de riscos do comunicado da reunião, afirmam economistas.

*Com informações da Agência Estado

Conheça mais sobre o mercado de ações. Confira este curso gratuito oferecido pelo Hub de Educação Financeira da B3

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.