Mercado

Mercado hoje: Relatório do Banco Mundial e reforma tributária entram no radar

Banco Mundial atualiza suas projeções para a economia global, enquanto Grupo de Trabalho da Reforma Tributária deve apresentar um parecer com as propostas

Painel de ações na B3. Foto: Divulgação/B3.
Ibovespa mergulha nesta segunda-feira repercutindo expectativas sobre a decisão do Copom de amanhã. Foto: Divulgação/B3.

Por Redação B3 Bora Investir

O IGP-DI de maio é um dos destaques da agenda desta terça-feira. Outro evento que deve ser monitorado pelos investidores é a apresentação de um parecer com as propostas da Reforma Tributária pelo seu Grupo de Trabalho.

O diretor do BC, Diogo Guillen (Política Econômica), participa de coletiva sobre o Relatório de Economia Bancária. Também hoje, o Banco Mundial atualiza suas projeções para a economia global.

No exterior

As vendas no varejo da zona do euro ficaram estáveis em abril ante março, abaixo da expectativa de analistas de alta de 0,1%. Já as encomendas à indústria da Alemanha caíram 0,4% em abril ante março, também abaixo das expectativas, que eram de alta de 3,9%.

Por fim a taxa anual de inflação ao consumidor (CPI, pela sigla em inglês) dos países que integram a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) desacelerou para 7,4% em abril, ante 7,7% em março. No entanto, a taxa anual do núcleo, que exclui as voláteis categorias de energia e alimentos, permaneceu no elevado nível de 7,1% em abril, desacelerando apenas marginalmente ante março.

O BC da Austrália (RBA) decidiu inesperadamente elevar seu juro básico para 4,10% e alertou sobre mais possíveis aumentos. “Os desdobramentos afastam expectativas do mercado de que o RBA havia atingido o fim de seu ciclo de aperto (monetário)”, comentou Lee Hardman, analista de câmbio sênior do MUFG, em nota a clientes.

No Brasil

O tom mais cauteloso dos mercados internacionais tende a influenciar as ações brasileiras em dia de agenda pouco robusta. A deflação esperada de 1,88% do IGP-DI em maio, após queda de 1,01% em abril, pode ter efeito limitado. Contudo, deve corroborar para as apostas de que o Banco Central pode ter espaço para começar a cortar a Selic no segundo semestre.

Além da tramitação do arcabouço fiscal no Senado, o investidor olha o andar da reforma tributária.

Segundo o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), o texto do arcabouço fiscal pode sofrer mudanças no Senado. Entretanto, haveria uma negociação com a Câmara para evitar que a matéria volte à Casa.

+ Confira o funcionamento da bolsa no feriado de Corpus Christi

Lira disse ontem ter pedido ao presidente Lula uma maior “ajuda” do governo na aprovação da reforma tributária e prometeu pautar a matéria ainda neste semestre, antes do recesso parlamentar. Contudo, disse que não poderia assumir o compromisso de aprovação da proposta.

Já o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse ontem que o relatório da reforma tributária vai avançar e desconversou sobre o governo ajudar a capitalizar o Fundo de Desenvolvimento Regional (FDR), que na prática funcionará como compensação para Estados e municípios.

*Com informações da Agência Estado

Quer aprender a fazer análise técnica de ações? Veja este curso oferecido pela B3

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias