Notícias

MP da Subvenção é aprovada; relembre outras medidas para aumentar a arrecadação

Proposta corrige impacto de descontos do ICMS na arrecadação e faz mudanças nos Juros Sobre Capital Próprio. Medida pode render R$ 35 bi ao governo para melhorar as contas públicas

Fernando Haddad. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Fernando Haddad. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

A Medida Provisória das Subvenções, que corrige o impacto de descontos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) concedidos por estados na arrecadação federal, vai a sansão do presidente Lula, após aprovação pelo Senado.

Essa prática adotada pelas Unidades da Federação reduz o imposto cobrado sobre determinado bem ou serviço, a fim de manter empregos e empresas nos seus estados.

O benefício tem impacto indireto na arrecadação do governo federal já que muda a base de cálculo de tributos como o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e o PIS-Cofins.

Pela proposta aprovada, o Executivo valida essa redução dos impostos federais a partir do desconto no ICMS, mas apenas quando a margem adicional das empresas for usada para investimentos.

A MP era a maior aposta da equipe econômica, já que pode aumentar a arrecadação em R$ 35 bilhões. A medida também ajuda a cumprir a meta de déficit zero das contas públicas em 2024. (ver mais abaixo)

Importante pontuar que o governo precisou fazer algumas concessões para aprovar o texto. Isso pode diminuir essa previsão de arrecadação. Dentre elas está o desconto de 80% sobre o estoque a ser regularizado, que poderá ser parcelado em até 12 meses.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, comemorou o resultado, mas afirmou que a meta zero é um “processo”, voltando a indicar que poderá tomar novas medidas para alcançar o objetivo.

“Precisamos aguardar que as projeções da Receita e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional se concretizem. A Receita faz um trabalho técnico, não inventa número. Podem errar? Podem. Se estiverem errados para mais, melhor. Antecipamos a meta. Se estiverem para menos, terei de tomar providências”, afirmou.

Mudanças nos Juros Sobre Capital Próprio

A MP aprovada fez alterações nos Juros Sobre Capital Próprio (JCP), forma de distribuição dos lucros de empresas de capital aberto aos seus acionistas, para remunerar o capital investido.

A dedutibilidade foi mantida como prevista atualmente em lei, mas a MP restringe os valores que as empresas podem considerar para a base de cálculo dos JCP. Ou seja, será mais restrita a forma como essa despesa será deduzida da base de cálculo dos tributos federais.

A diminuição de deduções fiscais em Juros Sobre Capital Próprio pode render aos cofres públicos até R$ 10 bilhões.

Medidas para aumentar a arrecadação

No orçamento para 2024 enviado pelo governo ao Congresso em agosto, o executivo calculou que precisava de R$ 168 bilhões em receitas extras para zerar o déficit em 2024.

Com exceção do projeto que tributa apostas esportivas, que passou apenas pela Câmara e portanto ainda está em tramitação, todos os outros textos foram chancelados pelo Congresso.

Acompanhe abaixo a lista completa e quanto devem render de arrecadação extra para o governo.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias