Objetivos financeiros

Como não deixar as festas de final de ano virarem ressaca financeira?

Planejamento antecipado é fundamental para não gastar além do necessário

Homem navegando em barco de papel feito com dinheiro
O primeiro passo para controlar os gastos do Natal é estabelecer limites de verba para diferentes categorias de despesas. Foto: Adobe Stock

O período de final do ano é ideal para momentos de confraternização e muitas pessoas se organizam para receber convidados em casa, seja na ceia de Natal ou na de Réveillon.

Mas para que os custos dessas festas não comprometam o orçamento do ano que termina e também do que começa é preciso planejamento e controle de gastos. Confira a seguir algumas dicas de Carol Stange, educadora e planejadora financeira.

Como gastar menos no Natal?

O primeiro passo para controlar os gastos do Natal é estabelecer limites de verba para diferentes categorias de despesas. “Se a ideia é presentear entes queridos, então vale a pena pensar num valor ideal e dividi-lo pelo número de pessoas que receberão presentes. Isso evita um desequilíbrio de gastos e o risco de que algumas pessoas recebam presentes e outras só lembrancinhas”, aconselha Stange.

A ceia deve ser planejada de forma semelhante. “Os limites de verbas destinadas a comida e bebida devem sempre ser calculados com uma margem maior. Isso evita desconforto no caso de imprevistos, como um convidado que aparece de última hora”, considera Stange.

+ Orçamento mensal: o que é? Veja como fazer!

Se o orçamento está apertado, então a sugestão da educadora financeira é organizar uma ceia colaborativa, em que cada convidado fica responsável por um item e os gastos são divididos entre todos. Também vale lembrar que itens congelados podem ser adquiridos antes de dezembro para evitar o aumento sazonal de preços.

Como planejar uma viagem de final de ano?

Para aquela viagem tão esperada de final de ano, planejar com antecedência é muito importante. “No planejamento financeiro, enxergamos cada objetivo como um pote onde vai se guardando dinheiro. Quanto antes esses depósitos para cada fim começam, mais os gastos são diluídos e a conta pesa menos no bolso”, afirma Stange.

+ Férias sem estresse: como planejar suas finanças?

Nessa época do ano é comum que as viagens sejam de última hora. “Em caso assim, é preciso ter consciência de que os gastos vão ser maiores. Também mostra a importância de ter um investimento com liquidez diária, como o Tesouro Selic, por exemplo,” observa a educadora financeira.

Investimentos com liquidez diárias são aqueles cujos rendimentos podem ser resgatados a qualquer instante, o que pode funcionar quando há objetivos inesperados, como viagens de fim de ano. Além de alguns títulos do Tesouro Direto, outros investimentos oferecem liquidez diária, como alguns tipos de CDB.

+ Como avaliar um título de CDB?

Para quem possui investimentos com liquidez diária e embarcou numa viagem de última hora, a educadora financeira ensina uma conta para saber se o resgate é vantajoso: “se o valor à vista das diárias é menor que o retorno do investimento, então pode valer a pena. Se o valor é igual ou maior, pode ser melhor guardar a remuneração e parcelar a hospedagem.”

Para mais conteúdos de finanças pessoais, não deixe de conferir os cursos gratuitos do HUB de Educação Financeira da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias