Investir melhor

3 mudanças econômicas que devem mexer com os investimentos no Brasil

Fim do mecanismo de Juros sobre Capital Próprio em 2024, tributação sobre fundos exclusivos e offshores estão na mira do governo, que precisa aumentar a arrecadação

Dados com setas exemplificam o aumento e baixa de juros; renda fixa. Foto: AdobeStock
A Selic é taxa básica de juros do Brasil, e grande parte dos investimentos de renda fixa se baseiam nela

Por Redação B3 Bora Investir

O governo lançou recentemente um pacote de propostas para aumentar a arrecadação com o objetivo de tornar crível as novas regras fiscais e tentar atingir a meta de zerar o déficit das contas públicas no ano que vem.

O ministério do Orçamento e Planejamento afirmou, no fim do mês passado, que o governo federal precisa de R$ 168 bilhões em novas arrecadações para igualar receitas e despesas em 2024. 

Para atingir esse objetivo, o Planalto anunciou três medidas que mexem com o mercado de capitais e tem potencial para arrecadar R$ 30,3 bilhões. São elas:

  • regulamentação da tributação dos fundos fechados no Brasil (onshore);
  • regulamentação da tributação dos fundos no exterior (offshore), as duas somadas com potencial de arrecadar R$ 20,3 bilhões;
  • fim da dedutibilidade do Juros Sobre Capital Próprio (JCP), R$ 10 bilhões.

O B3 Bora Investir fez um resumo dos principais pontos de cada uma das propostas. Acompanhe.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.