Investir melhor

Abono salarial PIS/Pasep 2023: saiba como começar a investir com pouco

Pagamento do PIS/Pasep é oportunidade de organizar contas e começar a investir com renda extra que entra no orçamento

Abono salarial PIS/Pasep. Foto: Adobe Stock
O valor do benefício recebido pode ser de até R$ 1.320, o equivalente ao salário mínimo atual. Foto: Adobe Stock

O Governo Federal começou a pagar, neste mês de maio, mais uma parte do abono salarial PIS/Pasep. Desta vez, 3,9 milhões de trabalhadores nascidos nos meses de julho e agosto foram contemplados. Pode-se dizer, que é sempre uma boa hora para receber um dinheiro extra. Pois, caso haja dívidas, a renda pode ajudar a quitá-las, mas se as contas estão em dia, é uma ótima oportunidade para começar a investir. 

O valor do benefício recebido pode ser de até R$ 1.320, o equivalente ao salário mínimo atual, e será proporcional ao período em que o trabalhador esteve empregado com carteira assinada em 2021. 

Quem tem direito ao PIS/Pasep?

Tem direito ao PIS/Pasep o trabalhador que atende os seguintes critérios:

  • Trabalhar de carteira assinada há pelo menos 5 anos;
  • Receber no máximo dois salários mínimos;
  • Ter trabalhado no mínimo 30 dias no ano-base (2021);
  • Ter seus dados informados corretamente pelo empregador ao governo.

Oportunidade para começar a investir

Uma entrada de renda extra é uma excelente oportunidade para se organizar e quem sabe investir uma parte dessa quantia, principalmente se ainda não investe.

Segundo Thaíne Clemente, executiva de Estratégias e Operações da Simplic, fintech de crédito pessoal 100% online, é necessário que os brasileiros comecem a observar seu consumo e mudar hábitos. “É um momento propício para reorganizar suas contas e redefinir prioridades. Uma vez que este dinheiro entra como um extra, é uma excelente oportunidade para começar a investir com segurança, mesmo com pouco”, sugere Thaíne.

A especialista separou algumas dicas para quem quer começar a se capitalizar, seja com a quantia que for. Confira:

Defina um objetivo ou tenha um bom motivo

Estabeleça o motivo pelo qual está poupando e entenda que poupar é abrir mão de certos “luxos” com o intuito de guardar um dinheiro a mais no final do mês, como possível garantia de conforto para um futuro breve ou de longo prazo. Seu objetivo pode ser comprar um carro, uma casa, fazer uma viagem ou simplesmente guardar pensando em uma reserva de emergência

Tenha consciência do seu gasto fixo mensal

Ao começar o mês, já coloque na ponta do lápis os gastos essenciais mensais. Calcule também o quanto pode usar em 4 semanas para diversão e já tire o restante da conta corrente para não ter o risco de usar. Uma vez com essas anotações, passa a ser possível analisar se consegue cortar alguns desses gastos ou adiá-los, ajudando a juntar ainda mais a cada mês.

Defina um valor mensal para poupar

Depois de registrar as contas fixas, estabeleça um valor mensal confortável para retirar e, se possível, investir. Não importa que sejam R$ 30, R$ 50 ou R$ 100, o importante é se educar e criar o hábito de poupar impreterivelmente todo mês. 

+ Como começar a investir com R$ 1, R$ 10 ou pouco mais de R$ 100

Se for possível reservar uma quantia além do valor estabelecido, melhor ainda. O que não pode acontecer é não reservar ou reservar menos do que o combinado consigo mesmo. Pense nele como uma dívida pessoal, com a diferença que este montante estará rendendo e se acumulando para você ao longo do tempo.

Faça um investimento

Não é recomendável guardar dinheiro vivo na gaveta ou separar uma conta poupança. Na gaveta, ele perde seu valor; na poupança, o rendimento é muito pequeno, geralmente abaixo da própria desvalorização da moeda. Mesmo assim, se essa for a alternativa mais acessível, já é melhor do que não guardar absolutamente nada.

O mais recomendado é fazer um investimento. Para isso, avalie seu perfil de investidor com um profissional da área, que irá te instruir sobre aportes seguros e acessíveis. A ideia é aplicar o dinheiro assim que receber a renda mensal.

Não crie novas dívidas e evite cartões de crédito

Policie-se para não incluir um novo gasto mensal desnecessário que coloque em risco o investimento estabelecido, ou, ainda pior, que se transforme em uma dívida. Além disso, evite ter o cartão de crédito como uma opção de fácil acesso. Assim, não se perde o controle daqueles gastos mensais registrados. A ideia é separar o dinheiro de cada data, conta ou “evento” e manter esse compromisso com você mesmo de maneira consistente e habitual.

Veja o calendário de pagamentos do PIS/PASEP:

O calendário de pagamento do abono salarial PIS, com ano-base em 2021 é formado com base na data de aniversário do trabalhador. Confira as datas de pagamentos feitos ao longo de 2023:

Nascidos emRecebem a partir deRecebem até
Janeiro15 de fevereiro28 de dezembro
Fevereiro15 de fevereiro28 de dezembro
Março15 de março28 de dezembro
Abril15 de março28 de dezembro
Maio17 de abril28 de dezembro
Junho17 de abril28 de dezembro
Julho15 de maio28 de dezembro
Agosto15 de maio28 de dezembro
Setembro15 de junho28 de dezembro
Outubro15 de junho28 de dezembro
Novembro17 de julho28 de dezembro
Dezembro17 de julho28 de dezembro

Já o calendário de pagamentos do Pasep, que são feitos aos funcionários públicos, é organizado com base no número final da inscrição de cada trabalhador. Confira:

Nº final da inscriçãoRecebem a partir deRecebem até
015 de fevereiro28 de dezembro
115 de março28 de dezembro
217 de abril28 de dezembro
317 de abril28 de dezembro
415 de maio28 de dezembro
515 de maio28 de dezembro
615 de junho28 de dezembro
715 de junho28 de dezembro
817 de julho28 de dezembro
917 de julho28 de dezembro

Como consultar se tem direito

As informações sobre o abono salarial PIS/Pasep podem ser consultadas desde o dia 5 de fevereiro na Carteira de Trabalho Digital, no portal gov.br ou pelo telefone 158. Entre as informações disponíveis estão o valor do benefício, data e banco de recebimento.

Como sacar o PIS/Pasep

Os trabalhadores da iniciativa privada com conta corrente ou poupança na Caixa Econômica Federal receberão o crédito do PIS automaticamente no banco. Já os demais beneficiários receberão os valores por meio da poupança social digital, que pode ser movimentada pelo aplicativo Caixa Tem.

Caso não seja possível a abertura da conta digital, o saque poderá ser realizado com o Cartão do Cidadão e senha nos terminais de autoatendimento, unidades lotéricas, Caixa Aqui ou agências, também de acordo com o calendário de pagamento escalonado acima.

Já o pagamento do abono do Pasep ocorre via crédito em conta para quem é correntista ou tem poupança no Banco do Brasil. O trabalhador que não é correntista do BB pode efetuar a transferência via TED para conta de sua titularidade por meio dos terminais de autoatendimento, pelo site www.bb.com.br/pasep ou nos caixas das agências.

Quer saber mais sobre finanças e como começar a investir? Não deixe de visitar o Hub de Educação da B3, onde existem diversos conteúdos gratuitos sobre o assunto.