Organizar as contas

Como funcionará o crédito consignado para os beneficiários do Auxílio Brasil

Empréstimo tem juros baixos, mas exige cuidados

Mulher branca sexagenária vestindo blusa verde, em frente a um notebook , olhando pensativamente ao longe com caneta e papel em mãos.
É preciso adotar alguns cuidados para que a solução não se torne um problema. Foto: Adobe Stock

O crédito consignado voltou às manchetes nesta semana, graças ao anúncio do Ministério da Cidadania sobre a definição da taxa de juros para os beneficiários do Auxílio Brasil. Desse modo, quem recebe o benefício poderá contratar o empréstimo consignado por meio de uma instituição financeira. A taxa de juros ficou estabelecida em 3,5% ao mês.

O percentual é o limite máximo que poderá ser cobrado pelas instituições. Portanto, os juros cobrados mensalmente podem ser menores que o estabelecido, dependendo das negociações feitas pelo tomador do empréstimo.

Por meio do site oficial do governo, é possível consultar a relação completa das instituições habilitadas a cederem o empréstimo, entre outras informações.

Mas você sabe quais são as vantagens e riscos do crédito consignado? Confira a seguir mais detalhes sobre o assunto.

Como funciona o crédito consignado? 

O que diferencia o consignado de outros tipos de empréstimo é a forma de cobrança. As parcelas do crédito contratado são descontadas no contracheque, holerite ou – no caso de aposentados e pensionistas – benefício do INSS. No caso de beneficiários do Auxílio Brasil, as parcelas serão descontadas do valor pago pelo programa social.

Desse modo, o banco fornecedor do empréstimo tem garantia de recebimento, o que reduz a burocracia da contratação de empréstimo consignado.

Outras características desse tipo de empréstimo são as taxas de juros reduzidas – no geral, costumam ser as mais baratas entre os tipos de crédito – e o prazo estendido para o pagamento da dívida; há situações em que os bancos oferecem até dez anos.

A facilidade de contratação, os juros baixos e longos prazos de pagamento levam várias pessoas ao crédito consignado. Porém, é preciso adotar alguns cuidados para que a solução não se torne um problema.

Quais são os riscos do crédito consignado? 

Como qualquer outro tipo de empréstimo, o risco mais imediato é o endividamento; isso acontece quando, por algum imprevisto ou falta de planejamento, o pagamento das parcelas se torna impossível.

A situação é muito comum no Brasil, país onde a taxa de inadimplência é elevada. Segundo dados do Serasa Experian, 2022 alcançou a marca de 66,6 milhões de nomes negativados por dívidas; esse é o maior número da série histórica iniciada em 2016. 

É esse quadro de endividamento que justifica o maior risco do crédito consignado: a reestruturação de dívidas. Segundo o professor da B3 Educação, André Massaro, isso acontece quando alguém faz um empréstimo desse tipo para pagar uma outra dívida, feita anteriormente. Como os juros do consignado são baixos, é comum que pessoas o utilizem para pagar os juros mais altos de outras dívidas.

“Mas se não sobra dinheiro para pagar as parcelas do empréstimo consignado, então é quase impossível encontrar um crédito mais barato que esse. Portanto, o empréstimo consignado deve ser visto como um último recurso”, conclui Massaro.

O professor também lembra que as parcelas previstas no começo podem ter aumento de valor durante o período de empréstimo, variando de acordo com a redefinição da taxa básica de juros (Selic).

Como se proteger do crédito consignado? 

A recomendação de Massaro é fazer um planejamento financeiro antes de contratar o crédito consignado; com isso, fica fácil visualizar se haverá dinheiro em caixa para quitar o empréstimo. 

No caso de um trabalhador comum, em que as parcelas são descontadas do holerite, Massaro recomenda que se avalie se há estabilidade no emprego, já que uma demissão pode acabar com a fonte de pagamento do empréstimo.

Nessa mesma situação, e lembrando que o crédito consignado acontece por meio de convênio entre um banco e a empresa empregadora, o departamento de RH pode ser de grande ajuda ao trabalhador, podendo esclarecer dúvidas e apontar qual o melhor estratégia de contratação.

Por fim, é importante lembrar que diferentes bancos oferecem diferentes taxas, o que torna importante pesquisar entre diferentes instituições para escolher o melhor negócio. Também são vários os bancos que oferecem mecanismos de simulação de empréstimos, o que pode facilitar a tomada de decisão.

Quer saber mais sobre educação financeira? A B3 oferece um curso completo com o tema: como organizar suas finanças.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias