Organizar as contas

Não recebeu o 13° salário? Veja o que fazer

O 13° salário pode ajudar a desafogar dívidas e impulsionar planos para o futuro

Cofrinho em forma de porco, em pedaços e sobre um monte de moedas
Apesar de saber que o mercado financeiro oferece perdas e ganhos, ninguém que entra nele está preparado o tempo todo para ter prejuízos. Foto: Adobe Stock

Por Guilherme Naldis

O objetivo principal do 13° salário, que é garantido por lei para quem trabalha no regime CLT, é cobrir as despesas extras de final de ano. Por isso, em alguns lugares ele é chamado de gratificação natalina ou subsídio de Natal. O valor pode chegar a até um salário mensal completo. Mas o que fazer se você tem o direito ao 13° e ele não for pago? 

“No Brasil, uma grande parte das pessoas utiliza o 13° para pagar as dívidas que foram feitas no decorrer do ano, o que acaba sendo um alívio para a situação financeira que se arrasta há vários meses”, conta Eduardo Reis Filho, educador financeiro e especialista em investimentos da Ágora

Por isso, a falta de pagamento do salário extra pode ser uma tragédia para o planejamento financeiro de alguém endividado. A situação é ao menos desconfortável, pois muita gente já estava esperando o valor extra. Bora entender o que fazer!

O que fazer se o 13° não for pago?

Se o valor recebido for menor por motivo de erro de cálculo da empresa, a orientação de Reis é que procure o RH para esclarecimentos e, na melhor das hipóteses, um acerto de contas. O melhor é que a solicitação seja feita via e-mail ou pelos canais oficiais da empresa, de modo que a mensagem tenha valor oficial e possa ser utilizada como prova, se necessário.

Se o RH não ajudar, é preciso acionar o sindicato da empresa ou da classe trabalhista para registrar uma denúncia. Se, mesmo assim, a requisição não andar, o próximo passo é fazer uma denúncia pelo canal do Ministério Público do Trabalho. Lá o trabalhador poderá fazer a queixa que, se não for atendida, servirá de base para um processo trabalhista.

“Agora, se o recebido foi menor de acordo com sua avaliação e os cálculos estiverem corretos, temos dois cenários: o primeiro é que você não deveria ter comprometido um valor sem ter certeza dele. Nesse caso, não adianta chorar pelo leite derramado. O segundo cenário é se adaptar à realidade caso tenha gastado mais do que a receita. A saída é utilizar uma parte das suas reservas ou até mesmo buscar alguma solução de crédito que se adeque a sua realidade de pagamento”, afirma o especialista. 

13º salário, férias, recesso… 7 respostas para as dúvidas comuns de fim de ano

Ele ressalta que o produto correto de crédito faz toda a diferença. Para prazos mais curtos, o cheque especial pode ser uma saída com menos burocracias que um contrato de crédito específico. Mas se a conta será paga ao longo de vários meses, a recomendação é fazer uma pesquisa por melhores linhas de crédito pessoal.

Como o 13° salário é calculado?

O valor do 13º pode chegar a se igualar ao salário, desde que o funcionário tenha ficado 12 meses na empresa, de janeiro a dezembro.

Nos casos em que o funcionário tenha começado a trabalhar depois, o valor do 13° será calculado de acordo com o número de meses trabalhados. Funciona assim: cada mês de serviço equivale a 1/12 do total do salário extra.

Se você entrou em março, por exemplo, receberá 10/12 do salário regular. Suponha que o salário seja de R$ 3 mil. Dividido por 12, o valor de cada mês trabalhado é de R$ 250. Para saber quanto vai receber, basta multiplicar os R$ 250 (valor equivalente a cada mês trabalhado) por 10 (número de meses trabalhados). Ou seja, o 13º nesse caso seria de R$ 2.500. Uma graninha, né?

Vale lembrar, no entanto, que há descontos no 13º salário, como imposto de renda, FGTS e INSS.

Devo incluir o 13° no meu planejamento financeiro?

Para que o recurso seja utilizado da melhor maneira possível, é importante que seja gasto com as necessidades e desejos verdadeiros, mas também de acordo com as estratégias traçadas no planejamento financeiro.

É importante lembrar que, no começo do ano, as despesas aumentam consideravelmente, diz Nayra Sombra, sócia da HCI invest

Recebi o 13º salário: o que faço primeiro com esse dinheiro extra?

“Devemos listar todas essas contas e analisar se faz sentido parcelar ou pagar à vista com desconto. Uma parte do 13º pode ser destinado para ‘desafogar’ as contas do início do ano para não começarmos 2024 com novas dívidas”, afirma.

Como gastar bem o salário extra?

A prioridade de qualquer dinheiro extra é quitar as dívidas ou reduzir o saldo devedor. Mas, se você não está endividado, o 13° pode servir para impulsionar a poupança de longo prazo e para realização de objetivos. 

“Para aqueles que já atingiram o equilíbrio das contas no dia a dia e já poupam para o futuro, sempre tem um mês ou outro que fica apertado e não se consegue investir o proposto. O 13° pode compensar essa diferença”, diz Clay Gonçalves, planejadora financeira CFP pela Planejar

Ela também afirma que o valor pode ser um aporte extra na previdência, seja para aumentar o saldo ou para completar as aplicações necessárias para os 12% da renda tributável no PGBL.

Já tem uma reserva de emergência e precisa aprender melhor sobre investimentos? Os cursos gratuitos do Hub de Educação da B3 podem te ajudar nisso, confira!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias