Organizar as contas

Solteiros são mais endividados que os casados. Confira dicas de como organizar as contas

Pesquisa do Serasa mostra que 44% dos endividados são solteiros, enquanto casados representam 37%

Solteiros bebendo. Foto: Pexels.
Solteiros bebendo. Foto: Pexels.

Por João Paulo dos Santos

As vidas dos solteiros e dos casados têm diversas diferenças. E se engana quem acha que pelo aumento de compromissos, os casados se endividam mais. Atualmente, curtir a solteirice tem custado caro no País, ou melhor, está endividando os brasileiros. Pelo menos é o que mostra a pesquisa realizada pelo Serasa.

Segundo a instituição, 44% dos endividados no Brasil se declaram solteiros, contra os 37% dos casados. Divorciados correspondem a 11% e viúvos 2%. Foram entrevistados 5.225 pessoas, de forma online, na base de endividados do Serasa.

Motivos para o endividamento de solteiros e casados

De acordo com a pesquisa, o principal motivo (29%) do endividamento é o desemprego. Os mais impactados são os jovens de até 30 anos (33%) e as mulheres (31%). 

Na sequência dos motivos, 12% assumem o endividamento por conta da redução na receita, 11% fizeram compras no nome de outra pessoa e o responsável não pagou, 8% emprestaram o nome e 8% confirmam falta de controle dos gastos. 

Fernando Lamounier, educador financeiro e diretor da Multimarcas Consórcios, explica que é perigoso emprestar nome ou cartão a terceiros. “É necessário ter o controle dos gastos da sua linha de crédito, ao emprestar a um terceiro, você perde esse limite e corre o risco de ter dívidas fora do seu orçamento, caso a pessoa não pague. Com isso, é importante evitar essa situação”. 

Onde estão os principais gastos de solteiros e casados

Se endividar para comer é o que tem acontecido com 87% da população brasileira, entre os que usam o cartão de crédito para compras de alimentos (65%) ou para despesas em fast foods e delivery. 

Outro dado alarmante da pesquisa é que 41% dos entrevistados se endividam com compras de remédios ou tratamentos médicos. 

Ainda de acordo com a base de dados, 85% das dívidas por empréstimo de nome estão atrasadas há mais de um ano, 64% delas há mais de dois anos. Muitos brasileiros desconhecem as taxas de juros, os valores das dívidas e como são cobrados. 59% dos entrevistados não têm conhecimento de nenhuma dessas informações. 

“Deve-se ler atentamente os contratos, cláusulas de cartões de créditos e informativos da fatura, acompanhando assim as receitas e o mercado”, destaca Lamounier.

Como cuidar das finanças sendo solteiro ou casado

O especialista garante que é possível ter uma vida social sem entrar no vermelho. Veja algumas dicas, especialmente para os solteiros: 

Analise suas finanças

Muitos brasileiros possuem o hábito de fazer rodízio de contas, ou seja, escolher qual dívida irá pagar no mês, o que acaba comprometendo o orçamento a longo prazo. Para que isso não ocorra é necessário mapear a renda total e organizar as despesas fixas e variáveis, dívidas e pagamentos. A análise inicial faz com que o consumidor visualize o panorama da sua realidade financeira.

Planeje suas despesas

Com o orçamento mapeado, o próximo passo é inserir em seu planejamento regras que ajudem a manter a organização. Uma delas é a 50, 30, 20, sendo 50% para gastos fixos, 30% gastos variáveis e 20% investimentos ou fundo de reserva, que visa priorizar as despesas mais importantes. 

Faça uma reserva de emergência

Criar a reserva emergencial é fundamental para uma vida financeira equilibrada. A reserva fornece tranquilidade psicológica, pois funciona como um seguro que pode ser utilizado para cobrir despesas inesperadas, principalmente em épocas de grandes gastos. 

Reserva de emergência: o que é e como montar a sua?

Evite parcelamentos

O cartão de crédito é um meio de pagamento frequentemente utilizado pelos brasileiros. No entanto é preciso cautela para que o acúmulo de parcelas não pese no valor total da fatura. Diante disso, é preferível que o consumidor realize compras à vista como uma forma de manter o orçamento organizado e evitar possíveis problemas no futuro. 

Estabeleça metas

O estabelecimento de metas e objetivos ajuda a manter o planejamento financeiro anual ativo. Além disso, ter objetivos claros auxilia no cotidiano e faz com que o consumidor não gaste por impulso.

“É possível ser solteiro e ter estabilidade através do planejamento financeiro. Além de prevenir obstáculos e problemas, ajuda a evitar o endividamento através da reserva de emergência”, destaca o especialista.

Para continuar aprendendo sobre finanças pessoais, que tal ter acesso a um material completo? Confira este curso gratuito sobre como começar sua organização financeira!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias