Tipos de investimentos

Debêntures: o que são e como investir?

Esses títulos de renda fixa têm riscos baixos e permitem ao investidor prever seus ganhos

Empresário com a mão estendida e pilha de moedas (Fonte: Adobe Stock)
As debêntures são uma forma das empresas privadas captarem recursos. Fonte: Adobe Stock

Manter ativos de renda fixa na carteira é uma estratégia adotada por muitos investidores, pois a modalidade possibilita prever exatamente os ganhos ou, pelo menos, saber com antecedência como eles serão calculados. As opções mais comuns são os CDBs, as LCIs e LCAs e as debêntures, cujo número de investidores cresce em ritmo acelerado no Brasil.

Nos últimos três anos, o volume investido por pessoas físicas na bolsa cresceu 32%, considerando a mediana para o período.  Um aumento proporcional maior do que o do CDB, produto de renda fixa mais popular entre as pessoas físicas, que cresceu 16% ao ano no mesmo período, também na mediana.

Apesar do nome estranho, quem investe nas debêntures pode ser chamado de debenturista, mas o conceito é bem simples. Elas são uma forma das empresas privadas captarem recursos. Quando um investidor compra debêntures, ele está, na prática, emprestando dinheiro para a empresa emissoraque estabelece os juros e o prazo de pagamento dessa dívida.

Há duas formas principais de encontrar debêntures para investir: no mercado primário, isto é, quando a empresa emite as debêntures. Nesse caso, o investidor ou investidora geralmente toma conhecimento por meio de sua corretora de valores.

Outro meio é no mercado secundário, onde o investidor tem as debêntures já lançadas pelas empresas no passado, mas que estão sendo revendidas. São também as corretoras que informam os clientes sobre o mercado secundário.

Qual é o rendimento médio das debêntures?

O rendimento das debêntures é definido pelas próprias empresas que as emitem. No geral, o que acontece é uma taxa de rentabilidade fixa (5%, por exemplo) somada a um indexador, como o IPCA (inflação).

Em um quadro hipotético em que a taxa fixa de uma debênture é 5% e o IPCA corresponde a 10%, o cálculo do rendimento é feito da seguinte maneira: 5% + 10% = 15%.

Importante lembrar que muitas delas pagam juros semestralmente e o investidor já pode ir recolhendo uma parte do dinheiro que investiu. Outra observação é a de que algumas debêntures são apenas pré-fixadas, regidas apenas pela taxa de rentabilidade fixa.

As debêntures comuns são tributadas no Imposto de Renda com taxas decrescentes, quanto maior o prazo de permanência:

  • De 0 até 180 dias: 22,5%;
  • De 181 até 360 dias: 20%;
  • De 361 até 720 dias: 17,5%;
  • Acima de 720 dias: 15%.

O que são debêntures incentivadas?

As debêntures incentivadas são aquelas sem cobrança de Imposto de Renda (IR). A isenção vem do princípio de que esses ativos recolhem recursos para melhorar a vida da população, por exemplo, no caso de uma construtora que faz obras de infraestrutura e saneamento básico.

Para saber ainda mais, confira o vídeo que a B3 preparou sobre como investir em debêntures.

Quais os riscos de investir em debêntures?

Como em outros investimentos em renda fixa, os riscos de investir em debêntures são baixos, mas existem. O maior deles é a falência da empresa emissora das debêntures.

Felizmente, os riscos podem ser previstos. Em primeiro lugar, quem emite debêntures são, em geral, grandes empresas, com pouco risco de quebrar. Por outro lado, debêntures não são cobertas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), associação civil que indeniza acionistas prejudicados por quebra de empresas.

+ 11 tipos de debêntures no mercado para quem quer investir

É por isso que, na hora de escolher uma debênture, o investidor deve se atentar ao rating, isto é, uma avaliação de risco da empresa – quanto melhor a avaliação, menor será o risco de investir.

O rating costuma ser fornecido pelas corretoras e é feito por agências internacionais de avaliação. A nota de risco é expressa por letras e números e segue o padrão de cada agência. Mas, de forma geral, o rating AAA representa a qualidade mais alta – e o menor risco. Quanto mais perto de C e D, por outro lado, menor a qualidade da empresa emissora – e maior o risco para o investidor.

Conheça os mitos e as verdades sobre as debêntures no Hub de Educação Financeira da B3.

Quando retirar o dinheiro investido?

As debêntures costumam ser investimentos de longo prazo, com período de retirada do dinheiro investido superior a um ano.

É possível vender as debêntures antes do vencimento no mercado secundário, mas há risco de prejuízo – se estiver valendo menos do que o preço de compra – e de não existir demanda para a debênture adquirida.

Quer se aprofundar ainda mais nesse conteúdo? Confira o vídeo tudo sobre debêntures, disponível no Hub da B3 – bolsa de valores!

E aí, gostou desse conteúdo? Aproveite para conferir muito mais matérias navegando em nosso site. Até a próxima!

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias