Tesouro direto

Tesouro Direto lança aplicação em investimento via Pix

O Cad&Pag, novo cadastro simplificado, traz possibilidade de aporte via Pix sem sair do site do TD

Homem utilizando um notebook
As novas funcionalidades tornam possível a realização de investimentos em menos de cinco minutos.

Por João Paulo dos Santos

O Tesouro Direto lançou nesta quarta-feira, 7, a possibilidade de realizar a aplicação no investimento por meio de Pix. O Cad&Pag é a fusão do novo cadastro simplificado lançado pelo TD e o método de pagamento. 

As novas funcionalidades tornam possível a realização de investimentos em menos de cinco minutos, sem a necessidade de ir a uma instituição financeira ou outras burocracias, agora também podendo realizar o aporte por meio de Pix. Tudo isso sem sair do site do Tesouro Direto.

O novo cadastro simplificado do Tesouro Direto facilita o registro de novos investidores no programa, permitindo o primeiro investimento de forma fácil e rápida. Ele integra os sistemas do Tesouro Direto, do Gov.br e das instituições financeiras em um processo unificado, o que simplifica desde o cadastro das informações pessoais até a criação da sua conta com o banco ou corretora – com a qual você vai fazer seu investimento.

O processo utiliza o portal autenticador central de acesso aos serviços do governo, o Gov.br. Os níveis de autenticação dão segurança para sua identidade, ou seja, garantem que quem está acessando o serviço digital é você mesmo. Para poder acessar o Tesouro Direto o investidor terá que ter pelo menos o padrão Prata de confiabilidade. Caso não possua, será encaminhado para o Gov.br para enriquecer sua conta.

Já o método de pagamento utilizado é o PagTesouro, da Secretaria do Tesouro Nacional, sistema que permite os pagamentos pelo Pix. Todos os investidores que se cadastrarem pelo caminho simplificado terão acesso a essa ferramenta.

+ Pix faz 2 anos e deve ganhar função débito automático em breve

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto, programa da Secretaria do Tesouro Nacional do Brasil implementado em 2002 em parceria com a B3, é uma modalidade de investimento muito usada por quem ainda não está familiarizado com o mercado financeiro. Isso porque os riscos são muito baixos e é possível saber qual é o rendimento ou, ao menos, como ele será calculado.

Quando alguém investe em títulos do Tesouro Direto está, na prática, emprestando dinheiro ao governo federal e lucra com a taxa de empréstimo, que varia conforme o tipo de título e o prazo da dívida. O risco da aplicação é o risco de o país “quebrar” e tornar-se incapaz de pagar o que deve aos investidores, que é remoto.

A previsibilidade de retorno do investimento é maior porque os títulos do Governo Federal são de renda fixa, isso é, seu rendimento é dado por uma taxa pré-fixada ou varia de acordo com um indexador já conhecido no momento da compra do título. Saiba mais!

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.