Tesouro direto

Tesouro Direto lança financiamento coletivo e cadastro rápido para o Tesouro Educa+

Objetivo da iniciativa é facilitar e incentivar a poupança para financiamento de ações educacionais

Adorable hispanic toddler playing with supermarket toy sitting on floor at kindergarten

Por Guilherme Naldis

Agora é possível investir coletivamente no futuro dos mais novos. O Tesouro Nacional lançou, nesta quinta-feira, 19/10, a funcionalidade Tesouro Direto Coletivo, que permite que amigos e familiares contribuam com os aportes feitos no Tesouro Educa+, dedicado à formação de renda complementar para custear os estudos dos jovens no futuro.

É como uma vaquinha: os pais ou responsáveis criam uma campanha com o CPF da criança, que estará atrelada a um título do Tesouro com um prazo e um rendimento específico. Depois, é gerado um link pelo qual outras pessoas podem contribuir com a arrecadação de maneira bem simples: só é preciso se identificar e fazer a transferência, dispensando cadastro nas plataformas.

Tesouro Educa+: quanto poupar para pagar a faculdade do seu filho

Neste momento inicial, é possível lançar uma campanha de arrecadação através da corretora Órama e do banco Inter, mas outras instituições financeiras já estão se mobilizando para aderir ao sistema, disse Felipe Paiva, diretor de relacionamento com clientes e pessoas físicas da B3.

Como vai funcionar?

Com o Tesouro Direto Coletivo, os pais e responsáveis podem criar, a partir de um objetivo definido, uma campanha colaborativa na corretora parceira. A campanha deve ter um nome e uma descrição, que ficarão visíveis para os apoiadores. Após essa etapa, amigos e familiares poderão contribuir via Pix e ajudar a financiar coletivamente o futuro educacional da criança cadastrada.

Tesouro Educa+: novo título garante dinheiro para a faculdade dos filhos

“Cerca de 70% dos estudantes estão no setor privado, e o Educa+ é uma iniciativa para encarar essa realidade da melhor forma”, disse Gregório Grisa, secretário-executivo adjunto do Ministério da Educação.

Os pais poderão acompanhar na plataforma do Tesouro Direto Coletivo todo o andamento da campanha e conferir os aportes já recebidos e o quanto falta para alcançar o objetivo estabelecido. Além disso, quem ajudou na “vaquinha” também poderá ver a progressão da carteira.

“Agora, cada um pode colocar a partir de R$ 30. Chama a vovó, o vovô, os tios, e aos poucos é possível obter um valor relevante”, diz Rogério Ceron, secretário do Tesouro Nacional.

Cadastro para crianças

O Tesouro também abriu a possibilidade de abrir uma conta em nome do menor de idade dentro do Tesouro Direto através do cadastro rápido, conhecido como Cad&Pag. O sistema integra os sistemas do Tesouro Direto, do Gov.br e das instituições financeiras em um processo unificado.

Até então, o processo para criar contas de investimento, de qualquer tipo, para crianças, era lento e demorado. “Muitas vezes, era necessário comparecer presencialmente à instituição para conseguir abrir a conta para um filho”, conta Ceron.

Para continuar aprendendo sobre finanças pessoais, que tal ter acesso a um material completo? Confira o Hub de Educação da B3 que disponibiliza um curso gratuito de finanças pessoais!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias