Fundos de Investimento

Fundos imobiliários: qual é o melhor momento para comprar cotas?

Programa apresentado por Arthur Vieira de Moraes convidou Danilo Barbosa, do Clube FII, e Ricardo Figueiredo, da Spiti

FII. Foto: Adobe Stock
A principal fonte de lucro dos FIIs acontece por meio do recebimento de distribuição de resultados. Foto: Adobe Stock

As cotas de fundos imobiliários estão em alta? É momento para comprar? Estas são perguntas frequentes dos investidores aos especialistas e, por isso, o Clube FII Entrevista abordou este tema para o público.

Os convidados do apresentador Arthur Vieira de Moraes, sócio-diretor de Educação e Comunicação do Clube FII, foram Danilo Barbosa, sócio-diretor de Research da plataforma e Ricardo Figueiredo, gerente de Fundos Imobiliários da Spiti.

Barbosa começou com a explicação de que a ‘puxada’ nos preços das cotas teve início com a corrida eleitoral, em 2022.

+ Fundos imobiliários estão com os maiores descontos em cinco anos. É hora de investir?

“As valorizações começaram a ficar expressivas e as pessoas ficavam se perguntando se haviam ‘perdido alguma pernada’”.

Qual é o melhor momento para comprar FIIs?

Moraes perguntou aos convidados sobre o melhor momento de compra de cotas de FII.

De acordo com Barbosa, a proximidade dos 3 mil pontos do IFIX, o Índice de Fundos Imobiliários da B3, leva o mercado a avaliar o momento em que isso ocorreu e em qual cenário.

“O primeiro cenário foi pré-eleição e começou em 2019 com um desconto de 3%. Hoje, a gente chega a este patamar, mas há um desconto de 11%”.

O desconto é a diferença entre os valores das cotas de mercado – negociadas na bolsa brasileira – e as cotas patrimoniais – relacionadas aos ativos dos portfólios dos fundos.

+ Como operam os FIIs de imóveis residenciais para venda

“Os fundos evoluíram. A gente ainda tem um valor patrimonial, em média, maior que o valor de mercado. Na minha visão, o que passou parece causar uma dor no investidor de não ter aproveitado o momento. Mas, pensando na valorização que houve e nos próximos 10 anos, qual a diferença na vida de alguém valores como R$ 2, R$ 3 ou R$ 5 ‘perdidos’ diante da possibilidade de ganhos no futuro?”.

Na opinião de Figueiredo, o investidor precisa também se preocupar em ter uma alocação estrutural em vez de ficar atento ‘à bola da vez’.

“Se ele tivesse uma alocação estrutural, teria comprado a cota do fundo na baixa, ou seja, dentro de uma carteira estruturada com uma fatia destinada a Fundos Imobiliários. Existiriam valores delimitados para o investimento em cada FII de modo a fazer as alocações segundo este planejamento. Se ainda não tem a alocação estrutural, que tal desenvolver isso a partir de agora?”.

O programa completo pode ser assistido pelo vídeo em destaque nesta matéria e também no canal do Clube FII no Youtube.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias