Notícias

Brics anuncia ampliação do bloco e estudos de moeda comum de pagamentos

Irã, Arábia Saudita, Egito, Argentina, Etiópia e Emirados Árabes são aprovados para ingressar no grupo em 2024. Nos EUA, pedidos de seguro-desemprego vem baixo do esperado

Brics
Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, participa da Sessão I do Diálogo de Amigos do BRICS, BRICS-Africa Outreach e BRICS Plus. Foto: Ricardo Stuckert/PR

Por Redação B3 Bora Investir

A 15ª Cúpula do Brics anunciou nesta quinta-feira, 24/08, a ampliação do bloco com o convite para a entrada de mais seis países, a partir de janeiro do ano que vem. O encontro termina hoje.

Irã, Arábia Saudita, Egito, Argentina, Etiópia e Emirados Árabes ainda precisam cumprir algumas exigência para aderir a aliança. Dentre elas, à proposta brasileira de reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU).

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que participa da Cúpula em Joanesburgo, na África do Sul, comemorou e deixou a porta aberta para novos membros. “A relevância do BRICS é confirmada pelo interesse crescente que outros países demonstram de adesão ao agrupamento”

Pelo lado econômico, passará a integrar os Brics o maior exportador de petróleo do planeta (Arábia Saudita) e o país com mais reservas de gás natural do mundo (Irã). Na contramão da Argentina, que vive uma crise sem precedentes.

Pelo lado político, o bloco entra em um terreno mais arenoso, diante das monarquias absolutistas da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes. 

Criado em 2009, o Brics é formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Além do objetivo comercial, a aliança de economias emergentes tenta ser uma voz unânime de contraponto e reinvindicações aos países desenvolvidos.

Nova ordem mundial e moeda comum

No discurso do último dia do encontro, o presidente Lula voltou a falar em uma “nova ordem econômica mundial. “Agora, o PIB dos BRICS eleva-se para 36% do PIB global em paridade de poder de compra e 46% da população mundial”, disse Lula.

A cúpula também aprovou uma resolução para estudar a criação de “uma nova moeda de pagamentos, para as transações entre os países do Brics. A proposta já havia sido defendida pelo presidente Lula no dia anterior.

Zona do Euro, FMI, OMC, OCDE: quem é quem na economia mundial

“Aprovamos ainda a criação de um Grupo de Trabalho para estudar a adoção de uma moeda de referência do BRICS. Essa medida poderá aumentar nossas opções de pagamento e reduzir nossas vulnerabilidades”, disse Lula.

Emprego nos EUA segue forte

Ainda no cenário internacional, os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caíram 10 mil na semana passada para 230 mil. Os dados foram divulgados hoje pelo Departamento do Trabalho americano.

O resultado veio abaixo do esperado pelos analistas, o que mostra um mercado de trabalho ainda forte, o que acende o alerta dos investidores para possíveis novas altas dos juros nos país.

Inflação controlada: como os Bancos Centrais definem a taxa de juros?

Diante desse quadro, os rendimentos dos títulos americanos voltaram a subir nesta quinta-feira. Ao meio-dia, os rendimentos do Tesouro de dois anos – mais sensíveis aos movimentos de juros do Federal Reserve, o banco central americano – oscilavam perto de 5%.

O próximo foco dos investidores será o discurso do presidente do Fed nesta sexta-feira, 24/08. Jerome Powell vai falar na reunião dos principais banqueiros centrais em Jackson Hole, Kansas City, no Missouri (EUA).

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.