Notícias

‘Prévia’ do PIB: economia cresce 2,9% em 2022; 4º tri fecha em queda

IBC-Br desacelerou em relação a 2021 e caiu 1,46% no último trimestre do ano passado em meio a um cenário de juros altos para combater a inflação.

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
O resultado foi considerado positivo por agentes do Mercado Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central (BC), considerado a “prévia” do Produto Interno Bruto (PIB), registrou crescimento de 2,9% em 2022. O índice foi divulgado nesta quinta-feira, 16/02.

Apesar do avanço, houve uma desaceleração em relação a 2021, quando a prévia do PIB subiu 4,68%. Importante analisar que esse crescimento em 2021 veio, após uma queda forte de 4,2% em 2020 por conta da pandemia. Ou seja, apesar da perda de ritmo do ano passado na comparação com o anterior, o resultado é considerado muito positivo pelos economistas.

O que é a curva de juros e como ela afeta meus investimentos?

“Esse é o maior crescimento da economia brasileira desde 2013. Fazia muito tempo que não tinha um crescimento de 3%. As pessoas nem se lembravam mais o que era o PIB crescendo. Então é um dado bom que coloca também o embalo. Apesar do juro altíssimo para 2023, pelo menos o nível de desemprego está mais baixo e tem uma inércia boa de crescimento”, explica o Paulo Gala, economista-chefe do Banco Master.

Evolução do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br)
Fonte: Banco Central

            O crescimento em 2022 é resultado da normalização das cadeias produtivas no pós-pandemia e da reabertura das atividades – principalmente no setor de serviços. Além disso, houve injeção de dinheiro na economia com os diversos estímulos do governo federal como a liberação de verbas do FGTS e programas sociais turbinados em meio a disputa eleitoral.

            No entanto, a desaceleração do crescimento aconteceu diante da escalada dos juros, que desde agosto do ano passado estão em 13,75% ao ano – maior patamar em seis anos. E da inflação elevada que encerrou 2022 em 5,79%, acima do teto da meta perseguida pelo BC que era de 5%.

Mercado financeiro hoje: reunião do Conselho Monetário Nacional 

O resultado oficial do PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país, será divulgado no dia 2 de março pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Economia perde força no 4º trimestre

Em dezembro, o IBC-Br cresceu 0,29% em relação ao mês anterior. O avanço interrompe quatro taxas negativas consecutivas. O resultado veio acima das expectativas dos analistas que previam alta de 0,1%. Na comparação com novembro do ano anterior, o IBC-Br teve alta de 1,42%.

Previa do PIB
Fonte: Banco Central

“O avanço do IBC-Br no mês foi sustentado principalmente pela alta de 3,1% [dezembro 2022] do setor de serviços – que se beneficiou dos eventos da Copa e da Black Friday sobre os subsetores de alojamento e alimentação, transporte de passageiros e atividade turística. A alta, no entanto, acabou sendo amenizada pela performance da indústria extrativa [-1,1% no último mês do ano passado] e do varejo restrito”, explicam os analistas do Banco Original em nota.

            Apesar da alta, a prévia do PIB encerrou o 4º trimestre com retração de 1,46% – o que mostra uma perda da força da economia que avançou nos três trimestres anteriores. Pesaram no fim do ano passado, o encarecimento do crédito diante dos juros elevados e as incertezas da pauta econômica e fiscal do governo eleito.

Previa do PIB
Fonte: Banco Central

Para 2023, os economistas do mercado financeiro ouvidos pelo boletim Focus, do Banco Central, esperam um leve crescimento do PIB na ordem de 0,76%.

IBC-BR x PIB

O cálculo do Índice de Atividade Econômica e do Produto Interno Bruto são um pouco diferentes. O indicador do Banco Central incorpora as estimativas do setor de serviços, indústria, agropecuária, além dos impostos. Mas não considera o lado da demanda – que é incorporado ao cálculo do IBGE. A ótica da demanda inclui dados de consumo das famílias, do governo, investimentos, exportações e importações.

O IBC-Br é uma das ferramentas usadas pelo BC para definir a taxa básica de juros.

Para saber mais sobre investimento e mercado de capitais acesse os conteúdos gratuitos do Hub de Educação Financeira da B3!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.