Objetivos financeiros

Dá para ganhar dinheiro (ou perder menos) com a volatilidade do dólar?

O real valorizou 4,2% em relação ao dólar em janeiro, mas já devolveu parte dos ganhos no começo de fevereiro. A IF ouviu especialistas para saber o que esperar do câmbio

Rolo de cédulas de Real cruzada sobre notas de Dólar
Real é a 7ª moeda mais valorizada em 2023; veja o ranking. Foto: Adobe Stock

Um levantamento com base em dados da Bloomberg mostra que o real foi a moeda que mais valorizou frente ao dólar no mês de janeiro.

A pesquisa levou em consideração 11 países e também a zona do euro. Aliás, os números mostram que a valorização do real foi de 4,2%, seguida do dólar australiano (3,6%) e do peso mexicano (3,5%).

No iniciou do ano a cotação era de 1 dólar para R$ 5,36, chegando a R$ 5,06 no final do mês passado. Já em fevereiro, a curva voltou a subir e a moeda fechou a R$ 5,19 em 8 de fevereiro. 

O que explica a valorização do real?

Para analistas de mercado, a valorização da nossa moeda em janeiro está ligada às taxas elevadas de juros no país, à perspectiva de estabilidade dos juros nos Estados Unidos e na Europa a médio prazo e ao novo ciclo das commodities (matérias-primas).

Além disso, a aproximação de paridade entre o dólar e o euro, mais recentemente, também ajudou na valorização do real frente à moeda europeia

Com relação aos números, o fluxo cambial vem seguindo no azul. Em janeiro, o país registrou fluxo positivo de U$$ 4,176 bilhões, segundo o Banco Central (BC). 

Já nos primeiros três dias de fevereiro, de acordo com o último dado disponível pelo Banco Central, o valor também é positivo. Isto é, em U$$ 1,027 bilhão. Com isso, o saldo no ano é de U$$ 5,203 bilhões. 

Por outro lado, no ano passado, o fluxo ficou no vermelho. Os números foram corrigidos este mês, passando de uma entrada líquida de US$ 9,574 bilhões para uma saída de US$ 3,233 bilhões, segundo o BC, por conta de uma “falha na rotina de compilação”.

De acordo com analistas, parte desse fluxo negativo foi decorrente do processo eleitoral e das incertezas quanto ao futuro presidente. Após o atual governo ter dado sinais de que manteria os fundamentos da economia, o capital voltou a fluir no sentido positivo.

O que é ter uma moeda forte?

No entanto, para o Banco Daycoval, maior correspondente cambial do país, a valorização de janeiro foi insuficiente para se falar em impactos a longo prazo.

“Impactos na economia são sentidos quando você tem uma valorização ou desvalorização persistente, permanente. O que a gente viu em janeiro foi uma valorização importante, porém que não acabou se materializando, não persistindo”, explica o head de investimos do banco, Mauro Rached.

O executivo explica que, considerando a taxa de fechamento de ontem (8), a valorização foi de apenas 1,6%.

“Uma valorização de 10% mais ou menos seria mais benéfica do que maléfica para a economia na minha avaliação. Principalmente sobre os efeitos da taxa de investimento e sobre a própria visão de solidez, de robustez que essa valorização traria para a imagem da macroeconomia brasileira”, afirma.

O que significa para o seu bolso a valorização do real?

De acordo com analistas, os principais impactos imediatos, caso a valorização do real se mantenha, estão nos índices de inflação, nos preços de matérias-primas e no fluxo de transações comerciais do país.

“A grande vantagem da valorização de uma moeda frente ao dólar é ajudar no controle da inflação, o que os economistas chamam de âncora cambial. Mas esse fenômeno precisa ser consistente e não uma valorização esporádica, como foi o caso de janeiro”, afirma Alexandre Espirito Santo, Economista-Chefe da Órama e professor do IBMEC-RJ.

Outro efeito é sobre os preços das matérias-prima, explica o diretor de Alocação e Distribuição da InvestSmart, André Meirelles.

“Boa parte das matérias-primas e das commodities são cotadas em dólar. Por isso, quando a moeda americana se torna mais ‘barata’ em relação ao real, há uma queda no preço desses produtos em reais. Sendo assim, um real mais valorizado tende a reduzir a pressão sobre a inflação e beneficiar empresas importadoras via redução de custos, por exemplo”.

Ou seja, suas compras em dólar e viagens ao exterior ficariam mais baratas. No entanto, ainda é cedo para comemorar. A avaliação do mercado é que esses efeitos ainda não estão no horizonte. De acordo com o último relatório do Boletim Focus, a estimativa para o IPCA em 2023 subiu de 5,74% para 5,78%, oitava alta seguida.

Por que o real está valorizando?

Alguns pontos explicam o motivo dessa valorização do real frente ao dólar. Vamos a eles:

1. Juros altos

Para Elcio Cardozo, especialista em investimentos e sócio da Matriz Capital, a valorização está ligada à Selic .

“Hoje, o Brasil está com a maior taxa de juro real do mundo, se considerarmos as economias mais desenvolvidas. Isso incentiva o investidor estrangeiro a vir para o Brasil e, com o maior fluxo de moeda estrangeira entrando no país, o dólar cai”, explica.

2. Novo ciclo das commodites

Outro ponto que pode favorecer a valorização do real em 2023 é um novo ciclo de commodities em 2023. Segundo o Goldman Sachs, a tendência é de alta de mais de 40%. Produtos básicos como minério e soja formam o principal componente da pauta de exportações brasileiras.

Além disso, com a expectativa de maior abertura da economia chinesa após o relaxamento da política de covid zero, a tendência é aumento no consumo de commodities brasileiras como minério e soja, atraindo mais dólares para o Brasil.

3. Inflação nos EUA e na Europa

Já para Gustavo Cruz, Estrategista Chefe da RB Investimentos, a valorização do real no início do ano está relacionada às últimas notícias de inflação nos Estados Unidos e na Europa. “Quando estes números começam a vir mais fracos, aí também vêm os da Europa mais fracos, tem-se uma leitura de que não vai ser necessário subir tantos os juros nesses bancos centrais”, diz.

Segundo ele, a direção do real, na verdade, será determinada pelas decisões de juros nos Estados Unidos e qual vai ser a nova regra fiscal no Brasil.

Em mensagem aos trabalhos de abertura do Congresso na última semana, o presidente Lula disse que ainda no primeiro semestre enviará ao legislativo “novas regras fiscais que assegurem previsibilidade e credibilidade ao nosso País”. A ver.

Como ganhar dinheiro com a valorização do real?

Caso a tendência de valorização do real se confirme, ganha quem investe no mercado de ações.

“Existe uma tendência de descorrelação entre dólar e bolsa. Normalmente, quando a bolsa sobe, o dólar cai. Neste sentido, com uma valorização do real frente ao dólar, entendemos que muito provavelmente as ações listadas em bolsa tenderão a valorizar”, explica Elcio Cardozo, especialista em investimentos e sócio da Matriz Capital.

Quem perde dinheiro com a valorização do real?

Por outro lado, perde quem aplica em títulos atrelados à Selic (taxa básica de juros), em função da queda dos índices de inflação e com o espaço que se abre à queda dos juros.

Mas nem todos se beneficiam com essa mecânica, como explica Hugo Baeta, head de ações da AF Invest.

“Muitas companhias, que têm receita em dólar, tendem a ter um um resultado inferior. Na outra ponta, empresas que têm receitas em reais e custos em dólar têm resultados superiores”, diz

Ele explica que um outro ponto a atentar são quanto as empresas têm dívida em dólar. “Em um cenário em que o real valoriza, essas empresas vão reduzir bastante o endividamento, principalmente se a parte dos resultados delas forem mais ligados ao real”, afirma.

É o que também fala André Meireles, diretor de Alocação e Distribuição da InvesSmart. “A valorização do real pode impactar o mercado de ações, pois tende a reduzir custos de empresas importadoras e impactar na receita de empresas exportadoras, por exemplo. Caso tenha um efeito significativo nos preços, também pode ter impacto no mercado de renda fixa”, diz.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias