Organizar as contas

Independência financeira: 6 passos para alcançar a sua!

O ano novo ajuda a traçar metas — e a independência financeira pode ser uma delas

Homem deitado com notebook na praia
Para chegar à tão desejada independência financeira, o especialista resume em uma frase: “Investir o excedente”.

Por João Paulo dos Santos

O ser humano gosta de repetições, já que essas trazem a sensação de controle. Esse sentimento é o motivo das pessoas adorarem ciclos, sejam eles diários, semanais, mensais ou anuais. Por esse motivo, o ano novo é um grande momento para fazer novas metas, resoluções e traçar objetivos. Um deles pode ser a independência financeira

Segundo o educador financeiro do C6 Bank, Liao Yu Chieh, o ano novo ajuda a traçar metas também financeiras, já que ele nos força a pensar e refletir sobre a situação atual e sobre novos objetivos.

O caminho até essa tão desejada conquista é resumida pelo especialista em uma orientação bem curta e desafiadora: invista o excedente. Segundo ele, a frase mostra que para traçar a rota da independência financeira é preciso ter um excedente de dinheiro, ou seja, ganhar mais do que gasta.  

“Essa é premissa inicial para conseguir alcançar a independência financeira. Só que apenas isso não basta. O dinheiro excedente precisa ser investido, colocado em ativos que gerem juros, aluguel, ou dividendos”, afirma Liao.

+ 11 apps gratuitos para controle e organização financeira

6 passos até a conquista da independência financeira 

Sabendo dessa premissa básica, você já pode se preparar para os passos importantes que terá de dar até lá. Para o educador financeiro da C6, há três macro tópicos que devem fazer parte desse caminho. São eles: a segurança financeira, a liberdade financeira, e enfim, a independência.

1. Segurança financeira

A segurança financeira só se torna real quando você sabe que uma emergência, um imprevisto, não vai te “quebrar” ou trazer ainda mais estresse financeiro, porque você conseguirá resolver com certa tranquilidade e facilidade.

Ela acontece quando se tem uma reserva de emergência, ou seja, quando você guarda um dinheiro para resolver contratempos que aparecem, como um carro quebrado ou uma compra de emergência.

Ter essa estabilidade para os momentos que fogem do seu controle é o primeiro passo para você conseguir alcançar os demais. 

2. Liberdade financeira

Quando você pode tomar decisões sem se sentir restrito pela sua situação financeira, você já tem uma certa liberdade financeira. “É quando você pode escolher onde vai almoçar, onde quer passar o final de semana ou o quem quer presentar, sem ter que ficar contando moedinhas”, diz Liao. 

Esse é um estágio difícil de ser alcançado porque envolve muito planejamento, além de aspectos comportamentais. Envolve abrir mão de satisfações de curtíssimo prazo para que esse dinheiro possa ser guardado, investido, e assim, te proporcionar o prazer da escolha sobre as situações do dia a dia.

3. Independência financeira

Esse seria o terceiro passo, já que segundo o especialista, não é possível conquistar independência sem segurança, nem liberdade. “Imagina que você é livre para ir e vir, tem liberdade, mas as ruas são super perigosas. Então você não tem segurança, não tem poder de decisão. Por outro lado, imagine que as ruas onde você quer ir são super seguras, mas você está preso, não consegue sair de onde está. Com nossas finanças funciona do mesmo jeito, por isso a necessidade dos dois passos anteriores”, explica. 

A independência financeira acontece quando você tem investimentos que geram renda via aluguel, juros, e dividendos superiores a quanto você gasta. Então você tem mais renda sendo gerada pelos seus investimentos, do que tem de gastos mensais.

Planejamento é essencial

Agora que você já sabe o caminho até os três pilares essenciais para a conquista da liberdade, é preciso começar a planejar suas finanças. Dentro da meta de chegar a independência financeira, existem outros três pontos importantes para realizá-la, que são:

4. Traçar metas específicas

Segundo Liao, não adianta falar: ‘o ano que vem eu quero reduzir meus gastos’ porque isso é genérico demais. É preciso saber o que fazer no seu dia a dia para realizar essa ação, então ela precisa ser específica – quanto mais, melhor. 

Tente ser o mais objetivo possível, planeje algo como: ‘Eu quero reduzir a minha conta de luz. Eu quero reduzir a quantidade de vezes que eu peço comida’.

5. Ter metas mensuráveis

Colocar um espaço de tempo para a conquista de cada objetivo facilita na hora de exercê-lo.

Definir metas como ‘investir R$ 50 toda semana’ ou ‘uma vez por semana quero aplicar R$ 50 em um ativo’, torna sua meta mensurável, mais real e, por isso, mais fácil de ser controlada.

6. Criar metas atingíveis

Outro ponto essencial é pensar em metas que sejam atingíveis, alcançáveis.

“Metas muito irreais, como ‘eu quero reduzir pela metade meus custos’, ou ‘quero ganhar 50% ao ano investindo’ não funcionam e podem te desestimular”, afirma o educador.

+ Orçamento mensal: o que é? Veja como fazer!

Onde investir para conquistar a independência financeira

Beleza, mas agora você deve estar se perguntando sobre o que fazer com o dinheiro excedente que precisa virar ativos que gerem juros, aluguel, ou dividendos, certo? Nesse ponto é essencial saber mais sobre investimentos, que podem ser imóvel, ações, fundos imobiliários, e outros, desde que cumpram seu objetivo.

“Colocar esse excedente numa casa própria, numa reforma, em roupa nova, em uma viagem, pode trazer uma satisfação quase imediata, mas não leva à independência financeira. É preciso saber equilibrar os aportes de curto prazo, com os de longo prazo, pois esses sim vão te gerar renda com o tempo” explica.

Precisa saber mais sobre como e onde investir? Esse curso sobre Investimentos, além da poupança pode te ajudar.

O vídeo a seguir traz orientações sobre planejamento financeiro, se você precisa começar desse ponto:

Quer saber mais sobre como ter sua independência financeira? Confira o curso do gratuito com Gustavo Cerbasi ‘Os 8 pilares para viver de renda’!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.