Organizar as contas

Como planejar uma viagem internacional gastando pouco?

Buscar passagens mais baratas e comprar a moeda estrangeira aos poucos pode te ajudar a viajar para outro país gastando pouco

Avião da Azul decola do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e passa por cima de avenida
Aeronave da Azul decolando do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Fellipe Gualberto, especial pro Bora Investir

Destinos internacionais procurados pelos brasileiros, como Miami, Santiago e Cancun, estarão com passagens mais baratas no final do ano. Isso é o que afirma o relatório Travel Report, produzido pela KAYAK. Segundo a pesquisa, uma passagem para Santiago, no Chile, pode sair 22% mais em conta que no mesmo período do ano passado.

Mas claro que a passagem aérea não é a única preocupação de um viajante. Existem outras despesas que também devem ser consideradas antes de sair do país, como a compra da moeda local, a reserva de um hotel, o custo dos passeios, etc.

No entanto, segundo Rico Gelli, especialista em milhas que ajuda diversas pessoas a economizar em suas viagens, com um bom planejamento é possível até não pagar pela passagem aérea ou pelo hotel.

“Mas isso não é a realidade da maioria dos turistas porque depende muito dos gastos da pessoa e do quanto ela está disposta a estudar sobre milhas, aplicar as estratégias e planejar com antecedência esse projeto”, afirma ele.

+ Consórcio de viagens vale a pena? Entenda como funciona

Vamos te ajudar a entender como planejar uma viagem internacional e encontrar as melhores formas de cortar gastos. Confira a seguir!

Busca de destinos e passagens baratas

Em primeiro lugar, é preciso saber que existem alguns destinos internacionais que são mais baratos que outros. A Argentina, por exemplo, está se tornando cada vez mais requisitada pelos brasileiros devido à desvalorização do peso. Porém, de acordo com Gelli “nem sempre os destinos mais baratos são aqueles em que o real é mais valorizado, mas é fácil citar destinos muito procurados onde o Real vale muito, como Colômbia, Egito, Tailândia, Bolívia, e até alguns na Europa como Albânia”.

Além dos países mencionados acima, a pesquisa realizada pela KAYAK cita outras localizações que, no final do ano, terão passagens aéreas mais baratas do que no mesmo período do ano passado.

  • Miami (Estados Unidos), com redução de 9%
  • Orlando (Estados Unidos), com redução de 5%
  • Nova York (Estados Unidos), com redução de 23%
  • Santiago (Chile), com redução de 22%
  • Cancun (México), com redução de 20%

Gelli defende que é possível viajar para qualquer destino pagando pouco na passagem. Para isso “é preciso entender a diferença entre os valores das passagens em milhas e em dinheiro.

“Com isso, a pessoa saberá analisar quando a passagem está mais barata e vai conseguir identificar se os valores ofertados por agências de turismo ou perfis de viagens no Instagram estão muito fora do padrão e evitar golpes”, diz o especialista.

+ Entenda o caso da 123 Milhas e por que o modelo de pacotes flexíveis se esgotou  

Para cortar gastos, juntar milhas por conta própria pode ser uma boa escolha. De acordo com Gelli, “ao fazer estratégias para acumular e multiplicar seus pontos, você pode conseguir descontos de até 90% na emissão de passagens”. 

Para aqueles que têm dificuldades em lidar com milhas, a solução é buscar agências de viagens que tenham credibilidade. “O maior problema das pessoas que buscam passagens aéreas baratas é que elas estão querendo realizar um sonho a qualquer custo. E não pode ser assim, o barato sai caro quando você leva um golpe”.

Qual a melhor forma de comprar moeda

Vale lembrar que as passagens aéreas são apenas uma das despesas em viagens internacionais. Sendo assim, a pessoa também tem a oportunidade de economizar ao comprar moedas estrangeiras, por exemplo.

Ricardo Amaral, presidente da Western Union no Brasil, recomenda que o viajante faça a compra da moeda local aos poucos. Boas práticas incluem ficar de olho no preço do câmbio e “fazer a aquisição da moeda estrangeira mês a mês, além de diversificar a forma como você adquire essa moeda”, afirma Amaral.

Deixou para comprar a moeda na última hora? Nesse caso, ainda há como pagar menos. Segundo o presidente da Western Union, no exterior “a recomendação é evitar aeroportos e locais turísticos, já que as taxas de câmbio nesses locais costumam ser menos favoráveis”.

Como economizar com acomodação

Além de usar milhas para economizar nas passagens aéreas, também é possível obter descontos nos hotéis. Diversos estabelecimentos no Brasil e no exterior aceitam abater parte do valor da diária com as milhagens.

+ Viagem dos sonhos: 15 dicas para acumular milhas e economizar com passagens

Quanto guardar para viajar?

Essa pergunta não tem uma resposta simples. Ricardo Amaral defende que “a quantidade de dinheiro que uma pessoa deve guardar varia de acordo com o destino e programação”. Gelli concorda e acrescenta que os valores gastos também dependem da época do ano em que a viagem é realizada.

Portanto, o ideal é planejar com antecedência e colocar todos os gastos na ponta do lápis. Os dois entrevistados recomendaram que os viajantes levem em conta fatores como:

  • Translado (da casa para o aeroporto, do aeroporto para o hotel, etc)
  • Passagens
  • Chip de internet
  • Vacinas
  • Hospedagem
  • Alimentação no exterior
  • Compras na viagem
  • Passeios e atividades planejadas (ingressos de museus, shows, etc)
  • Seguro na viagem (obrigatório para a entrada em alguns países)
  • Emergências (recomendável que seja em dinheiro vivo)

Segundo Amaral, antes de viajar, “o ideal é criar um orçamento detalhado que leve em consideração todos esses fatores e, como falado antes, comprar a moeda local aos poucos, de modo que não influencie no orçamento do mês”.

Sendo assim, as pessoas interessadas em sair do país devem economizar com antecedência e, até mesmo considerar investir em aplicações com liquidez diária ou que possam ser sacados antes da viagem.

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias