Organizar as contas

Recebi meu primeiro salário. E agora, como cuido das finanças?

O primeiro salário é um grande rito de passagem para a vida adulta, veja como gastá-lo bem e investir no seu futuro

Primeiro salário
O primeiro salário é uma conquista importante na vida financeira. Foto: Adobe Stock

Por Guilherme Naldis

Chegou o grande dia. Você chegou, se adaptou, aprendeu muito e trabalhou. Veio a recompensa: o seu primeiro salário. Agora que a grana caiu, o sentimento é de alívio e dever cumprido. Sair para comemorar é uma boa ideia, assim como comprar algo que está na sua lista há muito tempo. Mas, segundo as especialistas ouvidos pelo Bora Investir, a celebração precisa ter limite.

“O jovem nunca viu tanto dinheiro na mão de uma vez. Então, quando ele recebe o salário, é natural que ele queira aquilo que os pais nunca quiseram ou nunca puderam dar. Contanto que seja somente o primeiro salário, não tem problema torrar. Mas, a partir do segundo, já é necessário separar uma parcela para ajudar em casa e outra para os projetos pessoais”, recomenda Nayra Sombra, sócia da HCI Invest.

Ela explica que, independentemente da fase da vida, investir em lazer e autocuidado é uma parte importante de qualquer orçamento equilibrado. Mesmo assim, é necessário ter autocontrole e não deixar as prioridades se inverterem.

O que fazer com o primeiro salário?

Se você queria fazer uma festa em casa ou visitar um restaurante diferente, a hora é agora. Afinal, não é todo dia que se recebe o primeiro salário. “É quase um ritual de passagem e de entrada na vida adulta. Quando se sabe que os próximos devem ser usados com planejamento e consciência, é válido”, diz Taís Magalhães, planejadora financeira da SuperRico.

Assim, o ideal é alimentar o hábito de planejar as compras e os investimentos desde já. Faça uma lista com as coisas que você quer e as ordene de acordo com a prioridade e o preço. As mais baratas não precisam de tanto preparo, enquanto as mais caras vão requerer um pouco de paciência.

+ Morar sozinho: tudo o que você precisa antes desse passo

Magalhães afirma que, nesta fase da vida, o poder de compra ainda não é tão alto. Por isso, o melhor é evitar qualquer tipo de dívida, por menor que seja. Assim, a melhor alternativa para gastos que comprometem muito do seu orçamento mensal é guardar recursos mensalmente para, daqui a um tempo, comprar o produto à vista.

“Antes de saber por onde começar a organizar as finanças ou quais investimentos fazer, o jovem precisa saber que ele está em um momento muito estratégico e benéfico da vida financeira: o começo”, diz a planejadora. Por isso, a fase pode ser muito proveitosa e render frutos interessantes no futuro, ao passo que não será necessário abrir mão de tanta coisa.

Como organizar meu orçamento com o primeiro salário?

Passada a euforia da primeira gastança, é hora de olhar para frente e se imaginar no futuro. Para Magalhães, a primeira orientação para alguém que está começando sua vida financeira e profissional é saber que tipo de vida que se quer levar. 

Ela conta que, muitas vezes, seguimos o caminho que todo mundo está trilhando. “E, aí, começamos a ter dívidas muito altas e compromissos financeiros relevantes. Mas, se você tem clareza sobre os sonhos que quer alcançar, fica mais fácil saber quais sacrifícios terão de ser feitos e quais os passos necessários. Assim, a jornada financeira se torna assertiva e menos passiva”, afirma.

Em segundo lugar, é necessário ter um estilo de vida bastante enxuto e que seja muito flexível. Evite que os custos se inchem muito, porque isso vai engessar o orçamento e impossibilitar a realização dos sonhos. “Ter gastos fixos mínimos é o que vai dar a liberdade para arriscar e ousar”, diz.

Quais investimentos devo fazer para o meu futuro?

Magalhães acredita que os melhores gastos que uma pessoa jovem pode fazer são os investimentos consigo. “Antes de pensar em renda fixa e variável, pense em investir tempo e dinheiro em estudo e títulos para que ter uma bagagem e um currículo estratégico para o estilo de vida e para a carreira que se quer ter”, recomenda. 

“Com o avanço da educação financeira, alguns jovens podem achar que são os investimentos que vão deixá-los ricos. Mas não são! O que torna alguém rico é o trabalho e a ascensão profissional”. Assim, ela diz que este é o momento de investir em cursos de idiomas e de profissionalização, além de viagens e encontros que possam agregar para a carreira.

O momento em que ainda se vive com os pais é muito interessante para acelerar este processo já que, idealmente, não existem despesas com financiamento, aluguel ou empréstimo. O seu dinheiro deve ser usado para investir em si!

+ Você sabia? Jovem investe mais, mas cuida menos das próprias contas, diz Serasa

O que evitar agora que você é um jovem adulto

É bom manter os gastos burocráticos pequenos, mas também é necessário criar independência dos pais com os gastos pessoais. Afinal, você não é mais um neném, né?

“É claro que você ainda não tem independência e liberdade financeira total. Mas agora é a hora de começar a desabonar os pais de contas como celular, internet, roupas, lazer…”, diz Magalhaes.

Ela também recomenda evitar fazer empréstimos para comprar coisas caras, como um celular novo ou um carro. “As dívidas longas nunca são boas, por que engessam o orçamento que não vai começar muito grande”. 

Passo a passo para definir prioridades com o seu primeiro salário

A sócia da HCI Invest, Nayra Sombra, listou os passos para fazer uma boa gestão de recursos e começar a vida financeira com o pé direito. Veja:

  1. Descubra o valor do salário líquido (aquele que cai na conta, já com os descontos)
  2. Liste todas as suas despesas fixas, como transporte, alimentação, educação, contas em casa etc.
  3. Elenque as despesas variáveis, como lazer, que devem ter um valor aproximado mensal 
  4. Faça um fluxo financeiro, subtraindo as receitas das despesa
  5. Em seguida, vêm os projetos
    • Veja o quanto é necessário gastar para alcançá-lo
    • Em quanto tempo se deseja alcançar o objetivo
    • O quanto há disponível por mês para somar a este montante 

Qual é o melhor investimento para conquistar independência financeira? Confira neste curso gratuito disponibilizado no Hub de Educação Financeira da B3

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias