Investir melhor

Onde investir reserva de emergência: Tesouro, CDB, fundo, LCIs, conta remunerada ou ETF?

Cada vez mais existem no mercado opções que reúnem segurança. liquidez e indexação à Selic. Então, qual é a melhor?

Investir em BDR é um assunto que ainda gera muitas dúvidas. Foto: Adobe Stock

Segurança, liquidez e indexação à Selic, essas são as três características que um investimento para a reserva de emergência deve reunir. Mas cada vez mais existem no mercado opções que reúnem estes atributos. Então, qual é a melhor?

As aplicações mais recentes a entrarem no radar de quem monta a reserva de emergência são o ETF Tesouro Selic (LFTS11) e as LCIs e LCAs com liquidez diária após 90 dias.

+ Quanto guardar para ter uma reserva de emergência de R$ 80 mil?

Os já clássicos investimentos direto em títulos do Tesouro Selic e fundos Tesouro Selic Simples com taxa de administração zero continuam na lista. E, cada vez mais, CDBs com liquidez diária e contas que remuneram 100% do CDI também vêm sendo utilizados para este fim.

Para Marília Fontes, sócia da casa de análises Nord Research, qualquer que seja a alternativa escolhida, o investidor terá segurança e rentabilidades semelhantes.

Veja abaixo as vantagens e desvantagens de cada aplicação e saiba onde investir a reserva de emergência:

Título Tesouro Selic

Vantagens: indexado 100% à Selic, não tem come-cotas, o que permite que, em prazos mais longos, seu rendimento ultrapasse os de fundos Tesouro Selic simples.

Desvantagens: cobra 0,20% de taxa de custódia por ano para investidores que tenham mais de R$ 10 mil investidos. Para valores menores, o investimento é isento da taxa

Fundos Tesouro Selic simples com taxa zero de administração

Vantagens: liquidez diária e praticidade: dispensa a compra de diversas frações de títulos

Desvantagens: tem come-cotas

Conta corrente que rende 100% do CDI

Vantagens: resgate imediato do dinheiro

Desvantagens: tem o risco da instituição financeira emissora. Ainda que seja garantido pelo FGC, o investidor pode demorar para receber o dinheiro em caso de falência do banco

CDB de liquidez diária

Vantagens: ausência de taxas

Desvantagens: tem o risco da instituição financeira emissora, ainda que seja garantido pelo FGC, o investidor pode demorar para receber o dinheiro em caso de falência do banco

ETF Tesouro Selic

Vantagens: em até 6 meses tem a menor alíquota de IR (15% sobre os rendimentos)

Desvantagens: é necessário entrar no home broker da corretora para comprar uma cota. Cobra uma taxa de administração de 0,20%

LCI e LCA com liquidez diária após 90 dias

Vantagens: tem maiores rendimentos e são isentas do pagamento de IR

Desvantagens: é a opção menos líquida (só pode ser considerada como reserva de emergência após o período de carência) e tem risco da instituição financeira emissora (contudo, é garantido pelo FGC)

Rentabilidade não deve nortear investimento

Entre as aplicações de onde investir reserva de emergência listadas, Marcelo Milech, planejador financeiro certificado pela Planejar aponta que, no quesito rentabilidade, as LCIs e LCAs com liquidez diária saem na frente. “Caso paguem 90% do CDI para o prazo de um ano, o porcentual é equivalente a 112% do CDI (já que são isentos de IR). Ou seja 12% do CDI a mais que um CDB ou Tesouro Selic, o que em termos nominais significa 1,6% ao ano a mais”.

Contudo, LCIs e LCAs com liquidez após 90 dias só valem, naturalmente, para quem já tem uma reserva de emergência em aplicações mais líquidas. Isso porque o investidor terá de esperar três meses para considerá-la, efetivamente, como parte da reserva de emergência. Afinal, somente a partir deste prazo ela poderá ser resgatada a qualquer momento e são consideradas líquidas.

Facilidade não deve ser deixada de lado

Para Michel Viriato, sócio da Casa do Investidor, é importante que o investidor aplique o dinheiro no investimento com o qual se sinta mais confortável. Caso contrário, corre o risco de cometer erros em troca de um rendimento apenas ligeiramente maior do que o que receberia em outra aplicação.

“Não vale a pena esquentar a cabeça em troca de uma remuneração que pode significar mais R$ 4 por ano. É o caso de quem tem R$ 30 mil e receba 101% do CDI, e não 100%”.

Ele aponta que também não compensa, por exemplo, criar uma conta adicional apenas para deixar o dinheiro rendendo 100% do CDI. A recomendação é não deixar dinheiro espalhado em muitas corretoras ou bancos. “Quando os recursos estão concentrados em uma instituição financeira é possível obter maiores benefícios em taxas e outros produtos”.

Riscos também devem ser considerados

Em relação a riscos sobre onde investir reserva de emergência, Fontes pondera que, no caso de CDBs com liquidez diária e contas remuneradas é necessário considerar o risco de acordo com a instituição financeira emissora. “Para reserva de emergência, prefira CDBs de grandes bancos”.

Mesmo que contem com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), em caso de falência do banco o investidor pode demorar de 30 a 60 dias para receber o dinheiro. Isso pode ser um problema quando o objetivo é lidar com despesas imprevistas, que podem surgir a qualquer momento. Para quem deseja segurança total, para Milech o investimento direto em títulos Tesouro Selic é imbatível.

Quer conhecer investimentos mais rentáveis do que a poupança? Confira esse curso oferecido pela B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias