Notícias

4 curiosidades sobre o Brics que podem te surpreender

Onde fica, quem presidente, por que esse nome? Entenda mais sobre o grupo que vem ganhando relevância novamente com a entrada de novos países membros

Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e presidentes dos países amigos do BRICS, posam para foto oficial após a reunião do grupo, no Sandton Convention Centre, em Joanesburgo.
O Brics é um grupos de países em desenvolvimento que busca coalizão política e desenvolvimento econômico Foto: Ricardo Stuckert / PR

Por Redação B3 Bora Investir

O Brics é o grupo de articulação política e econômica formado por cinco países promissores em território, população e potencial de crescimento econômico: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. 

Recentemente, o organismo anunciou a entrada de novos países e reafirmou suas intenções de expandir a economia dos integrantes através de ajudas mútuas e de oposição à dominância dos EUA na economia.

O Bora Investir explicou tudo que você precisa saber sobre o grupo, para não ficar boiando na discussão sobre o Brics. Agora, é hora de conhecer algumas curiosidades sobre o grupo e seus integrantes. Bora!

1. Onde fica o Brics?

O Brics é um organismo internacional formado por vários países. Isto é: o Brics não é um país em si, nem um Estado ou uma cidade. Por isso, não fica em lugar nenhum. Ainda assim, o grupo tem uma sede, que fica na cidade chinesa de Xangai.

A cada ano, os líderes dos países do grupo, bem como seus diplomatas e chanceleres, se reúnem para discutir assuntos do mundo que os interessam. Essas reuniões são revezadas entre cada um dos membros – em um ano é feito no país X, no outro é o Y quem cede o espaço e, no seguinte, o Z fica de escolher um local para a convenção. 

Neste ano, a Cúpula do Brics aconteceu em Joanesburgo, a cidade mais rica da África do Sul e tida como capital financeira do país. Em 2024, a reunião deve ser sediada na Rússia, em meados de outubro, na cidade de Cazã.”

2. Quem é o presidente do Brics?

A cada ano, a liderança do Brics é alternada entre seus participantes. Mas este posto é muito mais simbólico do que prático. Afinal, o Brics foi elaborado para ser um comitê de discussão dos países emergentes, em que as lideranças são equiparadas. 

O comandante do Brics, em 2023, é o presidente sul-africano Cyril Ramaphosa. Porém, o mandato é anual, e a liderança do bloco em 2024 será da Rússia, governada por Vladimir Putin. Na prática, o posto é mais uma forma de indicar qual país sediará o evento anual do grupo, que será aberto pelo chefe de Estado em questão. 

Um dos braços do Brics é o seu banco, conhecido como Novo Banco do Desenvolvimento (NBD). Fundado em 2014, na Cúpula dos Brics de Fortaleza (CE), o banco tem três presidentes em sua história: o primeiro, Kundapur Kamath, que o dirigiu entre 2015 e 2020, e foi sucedido por dois brasileiros – o economista Marcos Troyjo, entre 2020 e 2023, e a ex-presidente da República, Dilma Rousseff, que assumiu o cargo em março deste ano.

3. O Brics vai mudar de nome?

Depois da confirmação de que a Argentina, Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos, Etiópia e Irã passarão a integrar o grupo em janeiro de 2024, uma dúvida brotou na cabeça de todos: como vai ficar o novo nome do grupo?

Ora, se Brics é a junção das letras iniciais de cada um dos países que compunham a formação original, nada mais natural do que a inserção de novas letras para demonstrar a expansão. Bricsaaeei?

Ainda não se tem um posicionamento oficial sobre como será a nova nomenclatura, mas uma alteração como a acima já foi descartada por alguns chefes de Estado integrantes. O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, defende que o nome permaneça inalterado, assim como o chanceler russo, Sergei Lavrov. “É bonito, Brics. A criança já está registrada, já é adulta. Ela não quer mudar de nome”, disse Lula na cúpula deste ano. 

4. Como investir no Brics e na sua moeda?

Com a expectativa de que o NBD ganhe força nos próximos anos e capte mais recursos com os novos integrantes, muito se falou sobre a nova moeda do Brics. A nova divisa seria um instrumento de troca entre os países do grupo, que poderiam fazer negócios entre si sem depender do dólar.E, aí, a proposta é que a nova divisa se chame BricsCoin, e que ela seja um criptoativo lastreado em ouro. A proposta ousada chamou a atenção de alguns investidores, mas a nova moeda só será usada para comércio exterior. Isso quer dizer que a BricsCoin não estará na mão das populações, mas sim nas transações comerciais entre países.

Para saber mais sobre finanças pessoais, confira os vídeos e cursos gratuitos do Hub de Educação Financeira da B3. Este, por exemplo, é sobre como funciona o mercado de ações no Brasil.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias