Notícias

Arthur Vieira: Telegrama para quem aplica na caderneta de poupança

Artigo propõe reflexão sobre o quanto as maneiras de investir avançaram nos últimos anos, para além das opções tradicionais

liquidez. Foto: Adobe Stock
A liquidez diária diz da possibilidade do investidor se desfazer da aplicação a qualquer hora. Foto: Adobe Stock

Com Arthur Vieira

Professor de finanças, palestrante, consultor, apresentador e sócio do Clube FII

Que coisa antiquada, né? Te enviar um telegrama. Essa tecnologia foi criada em 1837 e chegou ao Brasil em 1852, tendo sido utilizada por mais de 120 anos. Hoje parece até piada, mas pode ter certeza de que o telégrafo e os telegramas tiveram muito valor no passado.

Vamos falar de finanças, claro. Mas permita-me um pouco mais de saudosismo e história.

A caderneta de poupança foi criada em 1861, por decreto assinado por Dom Pedro II. Uma revolução também para aquela época! O decreto dizia que os depósitos seriam remunerados a 6% ao ano e que seriam garantidos pelo Thesouro Federal (thesouro com th mesmo). Essa invenção também teve seus dias de glória, foi muito importante por um bom tempo. O que parece é que, nos dias de hoje, tem gente que ainda a utiliza.

Esse telegrama é sobre finanças, mas eu não vou fazer contas para te provar que inúmeras aplicações mais modernas e atuais rendem mais do que a poupança. Isso você já está careca de saber!

Provavelmente você lê essa mensagem pelo seu moderno smartphone, que está conectado à internet. Note como a comunicação avançou nesses cerca de 170 anos! Se não fosse pelo rústico telégrafo, não teríamos chegado à facilidade de compartilhar esse texto pelo whatsapp. Não podemos esquecer o passado, mas as coisas evoluem!

O mercado financeiro evoluiu muito também. De forma que hoje existem muitas opções que possuem exatamente o mesmo e baixíssimo risco da caderneta de poupança, só que rendem mais e de forma mais eficiente.

Enquanto você já está aí pensando em trocar o seu smartphone por um outro, com a novíssima tecnologia mega blaster plus, o seu dinheiro está parado lá em 1861. É isso mesmo?

Assim como o telégrafo evoluiu para o smartphone, a poupança evoluiu para produtos como o Tesouro Selic, CDB, Fundo DI e contas remuneradas. Tem mais outros tantos parecidos, como LCI, LCA, RDB. Opções não faltam.

+ Onde investir R$ 100 mil para resgatar o dinheiro em 2 anos?

+ Como começar a investir com R$ 1, R$ 10 ou pouco mais de R$ 100

Uma breve conversa com quem te assessora no banco ou na corretora já será suficiente para encontrar uma boa alternativa para você. Apenas certifique-se que o investimento ofertado renda, no mínimo, 100% do CDI. Menos do que isso, só se for um dos investimentos isentos de imposto de renda.

Sobre a segurança, hoje em dia a poupança não é mais garantida pelo governo e sim pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que é exatamente a mesma garantia que possuem os produtos de bancos e financeiras, como CBD, LCI, LCA, RDB, dentre outros. E se você aplicar por uma cooperativa de crédito, terá garantia praticamente igual, oferecida pelo Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop).

Quer garantia do governo? Então a escolha deve ser pelo Tesouro Selic, esse sim conta com a cobertura do Tesouro Nacional.

Já se a escolha for por um fundo DI, não há necessidade das garantias pois o patrimônio do fundo fica separado do patrimônio da instituição administradora. Atenção apenas para a taxa de administração e dê preferência para os que não a cobram.

Ah, mas isso aí é muito complicado! Esse monte de letrinhas que eu nem sei o que significam. Pois é, seu primeiro smartphone era complicado de usar também, mas você se interessou, aprendeu e hoje tudo ficou mais eficiente na sua vida. 

A questão principal aqui é interesse e atitude. Nos dias de hoje, insistir em aplicar dinheiro na caderneta de poupança é uma espécie de procrastinação.

Fico grato pelo obséquio de vossa mercê, que se dispôs a abrir este telegrama. Mas chega de ficar no passado! Tome uma atitude e comece a cuidar melhor do seu dinheiro. Foi muito difícil conquistá-lo e ele merece mais da sua atenção.

*as opiniões do colunista não refletem necessariamente a opinião do B3 Bora Investir

Quer conhecer investimentos mais rentáveis do que a poupança? Confira esse curso oferecido pela B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias