Notícias

EUA tem crescimento mais lento em meio a moderação no mercado de trabalho

Livro Bege, do BC americano, apontou que os salários cresceram no nível mais lento desde 2022 e queda nas pressões inflacionárias. Gastos do consumidor avançaram com turismo

Brasão do sistema de reserva federal dos Estados Unidos
Brasão do Fed, o BC americano. Foto: Adobe Stock

Por Redação B3 Bora Investir

A economia e o mercado de trabalho nos Estados Unidos registraram um crescimento mais lento entre julho e agosto deste ano. A perda de ritmo na atividade trouxe um impacto positivo para a inflação, que desacelerou de forma geral.

A análise consta no Livro Bege, relatório sobre as condições econômicas medidas pelo Federal Reserve (Fed), o Banco Central americano, publicado nesta quarta-feira, 06/09, duas semanas antes da reunião que vai decidir a taxa de juros no país.

“Os dados da maioria dos distritos indicaram que o crescimento econômico foi modesto”, diz um trecho do documento.

O que é o Federal Reserve (Fed) e por que a decisão de juros dos EUA é importante

A percepção dos membros do FED é que apesar do crescimento dos empregos em alguns setores, os ganhos salariais aumentaram no ritmo mais lento desde o início de 2022, diante da oferta reduzida de mão de obra qualificada.

A desaceleração trouxe um alívio para a inflação, que também sofreu menos pressão de produtos manufaturados e bens de consumo.

“A maioria dos distritos reportou uma desaceleração global no crescimento dos preços, mais rapidamente nos setores da indústria de transformação e bens de consumo”, diz o Livro Bege.

Comitê de Basileia: como funciona o Banco Central dos bancos centrais

Por outro lado, os gastos dos consumidores cresceram acima do esperado na área de turismo. Para analistas, esse aumento ainda é explicado pela demanda reprimida durante a pandemia.

Já os preços no varejo continuam em ritmo mais lento, especialmente em itens não essenciais.

Cenário econômico

Apesar dos números mais positivos, o Fed está longe de conseguir levar a inflação para a meta de 2%. Mesmo assim, há uma cautela dentre os membros do Banco Central americano quanto a um novo aumento dos juros na próxima reunião em setembro.

Em junho o Federal Reserve elevou a taxa básica de juros para o maior patamar em 22 anos, no intervalo de 5,25% a 5,5% ao ano.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.