Mercado

Mercado financeiro e Morning Call Safra: política monetária do FED e Copom

Dirigentes da Febraban recebem hoje a visita dos ministros da Fazenda, Fernando Haddad; do Planejamento, Simone Tebet e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Aloizio Mercadante

Pessoas em volta da mesa na sala de reuniões
Juros dos EUA e possível recessão econômica interferem na liquidez e dividendos de BDRs. Foto: Redes Sociais FED

Por Redação B3 Bora Investir

A primeira reunião do ano de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) e do Copom brasileiro começa nesta terça-feira, 31/1, sob forte expectativa pelas decisões e principalmente pelos comunicados de seus dirigentes, que serão divulgados amanhã. 

Com a agenda interna mais enxuta, as atenções ficam no relatório do Caged de dezembro e no ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em reunião da Febraban, juntamente com a ministra Simone Tebet (Planejamento) e Aloísio Mercadante, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Dados de produção e vendas da Vale no quarto trimestre de 2022 serão publicados também no fim da tarde. 

No exterior, os destaques são o índice de confiança do consumidor dos Estados Unidos em janeiro e a prévia mensal do CPI da Alemanha.

Balanços EUA e dados Europa

Os mercados de ações em Nova York e na Europa voltam a recuar nesta manhã, ampliando perdas de ontem, com mais uma série de balanços de grandes empresas dos EUA, além de dados da economia europeia e americana no radar. Também seguem na expectativa pelas decisões de juros do Fed, amanhã, e do Banco Central Europeu (BCE) e Banco da Inglaterra (BoE), na quinta-feira. 

Na Europa, o euro ampliou perdas, com investidores repercutindo a forte queda de 5,3% nas vendas no varejo da Alemanha em dezembro ante novembro, na contramão das projeções de avanço dos analistas, enquanto o PIB da zona do euro cresceu 0,1% no quarto trimestre de 2022, ante previsão de queda de 0,1%. 

Na Ásia, as bolsas recuaram após dados mostrarem recuperação mais fraca do que se esperava na manufatura chinesa. O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da China avançou de 47 em dezembro para 50,1 em janeiro, resultado abaixo das previsões dos economistas.

Ibovespa e Petrobras

A postura defensiva dos investidores no exterior pode extrapolar o Ibovespa, bem como as fortes perdas do petróleo devem pressionar também as ações da Petrobras, que ontem driblaram o recuo da commodity e subiram. 

A cautela externa e o risco fiscal podem pesar ainda no mercado de juros, em dia de leilão do Tesouro e novas falas do ministro da Fazenda. Ontem, Haddad defendeu na Fiesp a necessidade de se “harmonizar” a política monetária e fiscal e disse ver espaço para “acomodação virtuosa” do câmbio e juros no Brasil sem comprometer a competitividade da indústria brasileira.

O Ibovespa B3 fechou ontem perto da estabilidade, com leve baixa de 0,04%, a 112.273 pontos, com investidores atentos aos dados do boletim Focus, que mantém cautela sobre a economia e elevou mais uma vez a projeção da inflação para o ano. 

O Morning Call Safra desta manhã traz hoje mais detalhes sobre as negociações de ontem:

*Informações da Agência Estado

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.