Investir melhor

Banco Central reduziu Selic para 13,25%; onde investir agora?

Com a queda de 0,50 ponto porcentual da Selic, para 13,25%, veja as melhores opções de investimento

Porcentagem do real
A Selic é a taxa básica de juros do Brasil. Foto: Adobe Stock

Por Guilherme Naldis

Com a queda na Selic, a taxa básica de juros do Brasil, de 13,75% para 13,25%, o mundo dos investimentos começará a se reorganizar aos poucos, segundo especialistas ouvidos pelo Bora Investir. 

Com a mudança, a renda variável ganha mais espaço, ainda que a renda fixa não tenha perdido seu protagonismo nos portfólios. 

“O risco nas carteiras dos investidores mais moderados e arrojados deve aumentar. É claro que isso será de forma escalonada: não vai ser no primeiro corte de juros que as posições em renda fixa irão registrar mudanças relevantes. Mas, ao longo do semestre, o perfil das carteiras vai mudar bastante”, afirma Gustavo Cruz, estrategista-chefe da RB Investimentos.

+ Queda da Selic: como ficam os meus investimentos?

O patamar anterior da Selic, de 13,75% ao ano, foi estabelecido no encontro do Copom de agosto de 2022. Nas sete reuniões seguintes a taxa foi mantida. O último corte de juros feito pelo Copom havia sido na reunião de agosto de 2020, que colocou a Selic da época em 2%. Desde então, ou a Selic subiu, ou se manteve. A queda sinaliza uma retomada econômica em função da inflação que, de fato, parece estar convergindo para a meta.

Como ficam meus investimentos com a Selic a 13,25%?

Carlos Castro, CEO da SuperRico, afirma que os investidores não vão ver mudanças radicais em seus apetites para risco de imediato, pois a rentabilidade da renda fixa seguirá alta por algum tempo. A perspectiva é de que a renda variável seguirá pressionada pelos juros acima dos dois dígitos pelo menos até o ano que vem, de acordo com a última pesquisa Focus divulgada pelo BC. 

Contudo, as classes de renda variável e ativos alternativos ganham um potencial maior de rentabilidade, que já pode ser observado por conta da valorização recente do índice Ibovespa. 

Perfil do Investidor: o que é e por que é importante descobrir o seu?

Ainda assim, o especialista afirma que a estratégia de investimentos não deve mudar muito: “Primeiro, é importante definir seus objetivos de curto, médio e longo prazo e constituir uma reserva de emergência sólida. Depois, deve-se construir uma carteira bem distribuída de acordo com o perfil de cada um”.

Ele ressalta que é importante ter a carteira diversificada justamente para atravessar os diferentes ciclos econômicos. “Uma carteira bem equilibrada não sofre com os solavancos da economia. Quem já tinha um portfólio bem distribuído com a Selic em 13,75%, não vai sentir tanta diferença com as próximas quedas, mesmo que a Selic alcance as expectativas otimistas do mercado e da Focus”, diz.

Onde investir com esta Selic?

Antes de definir quais produtos devem ser incluídos no portfólio, Samuel Ferrarezi, estrategista Investimentos do Santander Brasil, afirma que o investidor precisa calibrar suas expectativas para o futuro com a realidade.

“As oportunidades tendem a surgir, justamente, onde estão as diferenças entre a expectativa do mercado e do próprio investidor”, explica. 

Ele propõe que o investidor que acreditar que os juros irão cair mais rápido do que o projetado nos próximos meses pode buscar os títulos pré-fixados – aqueles que já têm definido o seu valor de vencimento – pois taxas menores podem se traduzir em uma valorização mais rápida do título do que inicialmente esperado. 

Banco do Brasil e Caixa reduzem juros, logo após queda da Selic

“Outros tipos de investimento que se beneficiariam de juros reduzindo mais rapidamente, mas que só fariam sentido caso o investidor aceite oscilações maiores, são os investimentos em renda variável, como ações e fundos imobiliários”, diz.

Porém, se a aposta é de que a Selic caia mais lentamente do que o mercado estima, os investimentos pós-fixados atrelados à Selic ou ao CDI são opções interessantes, diz Ferrarezi.

Apesar de serem procurados por sua postura mais defensiva, os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) e fundos DI podem se beneficiar de uma Selic que passe por cortes mais brandos.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.