Organizar as contas

Gastos natalinos: da ceia ao amigo secreto, como economizar nesta época

Planejamento antecipado é fundamental para não gastar além do necessário

Pessoa entregando caixa de presente para outra
o hábito de dar presentes no Natal virou tradição em todo o mundo. Foto: Adobe Stock

Por Redação B3 Bora Investir

O período de final do ano é marcado por confraternizações, muita comida e presentes. Mas para que os custos dessas festas não comprometam o orçamento do ano que termina e também do que começa é preciso planejamento e controle de gastos.

Da ceia ao amigo secreto, é possível organizar os gastos sem começar 2024 imerso em dívidas.

Como não deixar as festas de final de ano virarem ressaca financeira?

Por que muitos se endividam para presentear?

O ato de presentear abriga aspectos comportamentais do ser humano. “Presentear é considerado um fenômeno social, uma forma de se comunicar. Um mesmo presente pode ter diversos significados, ‘lembrei-me de você’, ‘lembre-se de mim’, ‘não te devo mais nada’, ‘estamos quites.’ Em muitas circunstâncias, o principal simbolismo do presente não está no ‘agradar’, mas em trocar, expressar hierarquia, poder, colocar o outro em dívida”, explica Paula Sauer, economista, planejadora financeira CFP® e professora de psicologia econômica na ESPM.

Há situações em que alguém não tem dinheiro sobrando, mas contrai dívidas para poder presentear um ente querido. Se do ponto de vista financeiro a prática não faz sentido, do lado comportamental há alguns fatores que explicam a situação.

Comprar um panetone ou investir? Confira opções para aplicar até R$ 100

“Existe um efeito manada”, explica Vera Rita de Mello Ferreira, doutora em psicologia social e presidente da Associação Internacional de Pesquisa em Psicologia Econômica. “Um comportamento automático de gastar no Natal, como se a época permitisse gastos extras. O caso é agravado quando há cartão de crédito. Quanto às dívidas, há muitas vezes uma normalização delas. Isso acontece quando, por exemplo, convive-se com pessoas endividadas. Desse modo, contrair dívidas acaba sendo um comportamento familiar.”

Como gastar menos no Natal?

O primeiro passo para controlar os gastos do Natal é estabelecer limites de verba para diferentes categorias de despesas. “Se a ideia é presentear entes queridos, então vale a pena pensar num valor ideal e dividi-lo pelo número de pessoas que receberão presentes. Isso evita um desequilíbrio de gastos e o risco de que algumas pessoas recebam presentes e outras só lembrancinhas”, aconselha a educadora e planejadora financeira Carol Stange.

Economizando na ceia

Também é importante estabelecer um teto de gastos para a ceia. “Os limites de verbas destinadas a comida e bebida devem sempre ser calculados com uma margem maior. Isso evita desconforto no caso de imprevistos, como um convidado que aparece de última hora”, considera Stange.

Se o orçamento está apertado, então a sugestão da educadora financeira é organizar uma ceia colaborativa, em que cada convidado fica responsável por um item e os gastos são divididos entre todos.

Como planejar uma viagem de fim de ano

Para aquela viagem tão esperada de final de ano, planejar com antecedência é muito importante. No entanto, nessa época do ano é comum que as viagens sejam de última hora. “Em caso assim, é preciso ter consciência de que os gastos vão ser maiores. Também mostra a importância de ter um investimento com liquidez diária, como o Tesouro Selic, por exemplo,” observa Stange.

Peso desvalorizado, vale a pena viajar para a Argentina? Veja preços e descubra

Para quem possui investimentos com liquidez diária e embarcou numa viagem de última hora, a educadora financeira ensina uma conta para saber se o resgate é vantajoso: “se o valor à vista das diárias é menor que o retorno do investimento, então pode valer a pena. Se o valor é igual ou maior, pode ser melhor guardar a remuneração e parcelar a hospedagem.”

10 dicas para economizar e viajar sossegado

Ensine as crianças a controlar gastos

Se os adultos já são estimulados a comprar no Natal, as crianças ficam ainda mais sujeitas a propagandas e ao anseio por produtos novos. Há pais que até evitam levar crianças a shoppings nessa época do ano, mas Stange acredita que existe outra solução:

“O Natal pode ser uma grande oportunidade de aprendizado para as crianças. Para que isso aconteça, é importante que os pais conversem com seus filhos. Uma boa ideia pode ser sugerir à criança que faça uma lista de presentes que gostaria de ganhar e pedir que ela escolha só um”, recomenda Stange.

Para saber mais sobre finanças pessoais, acesse os conteúdos gratuitos do HUB de Educação Financeira da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias