Organizar as contas

Seguro viagem: como saber se preciso pagar por esse serviço

Este tipo de cobertura é obrigatória para algumas viagens internacionais, como para 27 países da Europa

Seguro viagem é obrigatório para o exterior. Foto: Pexels
Seguro viagem é obrigatório para o exterior. Foto: Pexels

Se você pretende fazer uma viagem internacional ou mesmo nacional, fazer um seguro viagem pode ser uma proteção contra eventuais imprevistos. Este tipo de seguro, no entanto, vale somente durante o período da viagem, por isso, você deve ficar atento quanto ao dia da partida e da chegada.

Para se ter uma ideia, houve um aumento de 9,5% na procura por seguro viagem quando comparado com o ano passado, de acordo com um levantamento da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg). Como resultado, a arrecadação ficou em torno de R$ 143,1 milhões no primeiro bimestre deste ano. No mesmo período, a alta de pagamentos de prêmios foi de 4,0%, com o total de R$ 110 milhões em desembolsos.

No entanto, o número de brasileiros que fizeram viagens cresceu mais. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o número de viajantes teve um significativo aumento de 23,1%, para 2,2 milhões, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Para onde é obrigatório?

Durante algumas viagens internacionais, este tipo de seguro pode ser obrigatório. É o caso dos países que fazem parte do Tratado de Schengen, um acordo de livre circulação entre países da Europa, com exceção da Irlanda e Reino Unido que não fazem mais parte da UE.

Confira a lista dos países europeus em que é obrigatório ter seguro viagem.

  • Alemanha
  • Áustria
  • Bélgica
  • Croácia
  • Dinamarca
  • Eslováquia
  • Eslovênia
  • Espanha
  • Estônia
  • Finlândia
  • França
  • Grécia
  • Hungria
  • Islândia
  • Itália
  • Letônia
  • Liechtenstein
  • Lituânia
  • Luxemburgo
  • Malta
  • Noruega
  • Países Baixos
  • Polônia
  • Portugal
  • República Tcheca
  • Suécia
  • Suíça.

O que o seguro viagem pode cobrir?

Diversos imprevistos podem gerar riscos ao viajante, como perda de mala, acidente, desde que estejam relacionados à viagem. O seguro para viagem internacional, neste caso, oferece benefício como cobertura médica, hospitalar, odontológica, traslado de corpo, regresso sanitário, morte acidental, traslado médico, invalidez permanente total ou parcial por acidente em viagem, de acordo com a CNseg.

E o seguro personalizado?

Para Marlon Glaciano, planejador financeiro e especialista em finanças, saber o que vai precisar durante a viagem pode ajudar a escolher o melhor seguro. “Quando estamos fora do Brasil, os custos hospitalares variam de país para país. O ideal é que se tenha apólice de seguro viagem, em que o ponto principal desta apólice pode ser o de saúde. Você consegue escolher o capital assegurado e caso tenha um problema, pode usar a rede segurada da seguradora. Poucas pessoas fazem a apólice personalizada.”

No caso do seguro personalizado, o viajante não contrata uma apólice padrão, mas sim ajusta a cobertura de acordo com as necessidades que irá passar durante a viagem. Isso significa que se pode escolher a cobertura para os riscos mais relevantes de sua viagem específica. Por exemplo, em uma viagem aos EUA, em que o serviço de saúde é caro, vale mais a pena, segundo Glaciano, gastar em uma apólice personalizada que cubra melhor a parte de saúde, caso o viajante tenha algum acidente ou fique doente.

Conforme Glaciano, os viajantes não costumam se importar muito com seguro viagem, o que, segundo ele, é um erro. “As pessoas projetam a viagem e o seguro fica na menor prioridade. Gosto de calcular por dia, [por exemplo] vou ficar 13 dias no Canadá, então estimo em torno de US$ 20 por dia. Então, é bom fazer essa projeção de custo diário, assim como se faz com a alimentação, fica mais leve e cabe no planejamento”, afirma.

Seguro internacional ou nacional? Qual a diferença?

A cobertura do internacional é mais ampla do que a do nacional. De acordo com a SAP Concur, a principal diferença entre os pacotes é que o internacional cobre despesas médicas e hospitalares, repatriação sanitária, extravio de bagagem. O nacional, contudo, traz amparo médico e odontológico, mas oferece menos serviços.

Onde encontrar o seguro?

Você pode contratar o serviço em empresas especializadas no setor, no banco em que já possui uma conta bancária, agência de turismo e através da companhia aérea que irá fazer a viagem. Todos esses serviços podem ser encontrados no site das empresas escolhidas.

Recebo indenização?

Na viagem internacional, o seguro pode cobrir extravio e dano na bagagem, funeral, cancelamento de viagem e regresso antecipado, conforme Dyogo Oliveira, presidente da CNseg. Na nacional, a apólice também cobre possíveis danos na bagagem. Os valores a serem reembolsados variam de acordo com cada contrato, por isso o viajante precisa ficar atento no momento em que contrata o serviço de cobertura.

Para conhecer mais sobre finanças pessoais e investimentos, confira os conteúdos gratuitos na Plataforma de Cursos da B3.