Renda variável

Número de investidores na B3 cresce 34% em renda fixa e 23% em renda variável

Dados são referentes aos últimos 12 meses. Número total de investidores chega a 17,6 milhões, e valor sob custódia bate R$ 2,2 trilhões

Painel bolsa. Foto: Divulgação B3
Bolsa de valores: fôlego curto no exterior e agenda esvaziada no país devem limitar desempenho do Ibovespa. Foto: Divulgação B3

Por Redação B3 Bora Investir

O patamar elevado da taxa Selic nos últimos 12 meses fez aumentar o volume investido em produtos de renda fixa. O montante chegou a quase R$ 1,8 trilhão no encerramento do primeiro trimestre de 2023, alta de 42% em relação ao mesmo período do ano passado.

Durante esses 12 meses, a renda fixa atraiu 4 milhões de novos investidores, levando o número total de investidores da modalidade a 15,3 milhões.

Os dados fazem parte da mais recente edição do estudo que analisa a evolução dos investidores pessoas físicas na B3.

Na renda variável, os números também cresceram. Cerca de 1 milhão de pessoas abriram contas nos últimos 12 meses, levando o número total de investidores a 5,3 milhões. E, pela primeira vez, o número de contas superou a marca de 6 milhões – chegou a 6,1 milhões nos três primeiros meses deste ano, acumulando um total de R$ 439 bilhões sob custódia.

+ Ações listadas B3 têm desempenho recorde em maio; veja os destaques

Somando esse montante com o volume aplicado em renda fixa, o valor sob custódia bate R$ 2,2 trilhões. Importante ressaltar que o número de contas é superior ao de CPFs porque a mesma pessoa pode ter conta em mais de uma corretora.

O número de investidores totalizou 17,6 milhões, já excluindo duplicidades de investidores que estão tanto na renda fixa como na renda variável.

“Mais uma vez, constatamos que a diversificação nos mais variados instrumentos financeiros e o aprendizado durante a jornada de investimentos vieram para ficar, sobretudo, nas novas gerações, mesmo com esse cenário macroeconômico de total incentivo para renda fixa”, afirma Felipe Paiva, diretor de Relacionamento com Clientes e Pessoa Física da B3.

Mais de 260 mil pessoas físicas negociaram derivativos

Um total de 267 mil pessoas fizeram ao menos um negócio com contratos futuros, swap e opções no primeiro trimestre. Elas são responsáveis por 23% da quantidade média diária de contratos de derivativos negociados.

O futuro de minicontratos de Ibovespa B3 (WIN) foi o derivativo com a maior quantidade de investidores no período, com 235,5 mil pessoas, seguido pelo futuro de minicontratos de dólar (WDO), com 148,9 mil.

“Os perfis e formas de atuação nesses produtos são muito distintos do que vemos no mercado à vista de ações. Portanto, a divulgação desses dados traz mais insumos para iniciativas de educação financeira e conteúdo direcionado para esse público”, completa Paiva.

50% dos investidores do Tesouro Renda+ têm entre 25 e 39 anos

O estudo também destaca os resultados do primeiro trimestre de negociação do Tesouro RendA+, título disponibilizado em janeiro pela B3 e pelo Tesouro Nacional voltado para a aposentadoria. Metade dos investidores do produto têm entre 25 e 39 anos, mas os 42% com idade acima de 39 anos concentram 75% do saldo em custódia.

“O RendA+ está fechando o mês de maio com mais de R$ 782 milhões aplicados, e esse volume impressiona. O resultado demonstra que a união de esforços da Secretaria do Tesouro Nacional, de instituições integrantes do Programa do Tesouro Direto e da B3 está no caminho certo ao viabilizar novas alternativas de investimentos com iniciativas e ações de educação financeira”, diz Felipe Paiva.

+ Renda+ foi pensado até para quem ganha pouco e busca uma boa aposentadoria, diz Nobel de economia

Outros indicadores do Tesouro Direto que se destacam no trimestre são o estoque total do produto, considerando todos os títulos, que subiu cerca de 6% e chegou a R$ 105,3 bilhões, e o saldo mediano, que aumentou de R$ 2,8 mil para R$ 3,1 mil.

Jovens também são maioria entre os investidores na B3

Não é apenas no Tesouro RendA+ que os jovens compõem a maioria dos investidores. Das atuais 5,3 milhões de pessoas que investem em renda variável na B3, 49% têm entre 25 e 39 anos. Essa também é a faixa etária em que 45% dos novos investidores entraram no mercado de ações.

+ Renda+ permite poupar até 40% mais para a aposentadoria do que outros investimentos, diz Marcia Dessen

A distribuição por gênero vem se mantendo estável nos últimos anos. Os homens são 77% dos investidores, mas as mulheres começam a operar ativos de renda variável com valores maiores que eles. O valor mediano do primeiro investimento delas foi de R$ 199 em março, ante R$ 59 dos homens.

A democratização do acesso à bolsa pode ser constatada também nos aportes iniciais das 106 mil pessoas que entraram na B3 em março: a mediana do primeiro investimento foi de R$ 80, mas 41% começaram sua jornada com valores de até R$ 40.

Quer saber como funciona uma bolsa de valores? Confira este curso oferecido pela B3!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.