Mercado

7 fatos e frases que resumem a primeira semana de dezembro no mercado e na economia

PIB do Brasil em desaceleração, o tudo ou nada da arrecadação e o revés no acordo Mercosul-UE. Semana teve afundamento da Brasken e Taylor Swift a personalidade do ano

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
O resultado foi considerado positivo por agentes do Mercado Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

A economia brasileira surpreendeu com uma leve alta no 3º trimestre e contrariou as projeções que já indicavam um PIB negativo. De um lado comemoração e de outro a pressão por mais cortes na taxa básica de juros para não deixar a atividade esfriar. 

No tudo ou nada da arrecadação, um novo revés. O relator da LDO rejeitou a proposta que limitava a R$ 23 bilhões o valor máximo a ser contingenciado no orçamento de 2024. Com gastos menos apertados, o cumprimento da meta de déficit zero preocupa. 

O noticiário ambiental trouxe o desastre em Maceió, provocado pela exploração de sal-gema em uma mina da Braskem. A empresa foi até retirada do Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3. 

No Mercosul, o acordo com a União Europeia empacou de novo. O bloco ainda vai precisar lidar com a fome de Nicolas Maduro pela região de Essequibo, na Guiana, rica em petróleo, gás e ouro. 

Nas finanças pessoais, a saúde financeira como parte do nosso dia a dia. E Taylor Swift, a bilionária que virou a personalidade do ano de 2023, segundo a revista Time. 

Relembre, a seguir, os principais fatos e frases que marcaram a semana:

1) “NÓS TIVEMOS UM PIB POSITIVO, MAS FRACO, MAS COM OS CORTES NAS TAXAS DE JUROS, NÓS ESPERAMOS QUE NESTE ANO NÓS FECHEMOS O PIB EM MAIS DE 3%. (…) O BC PRECISA FAZER O TRABALHO DELE”. (Fernando Haddad, ministro da Fazenda)

O Produto Interno Bruto do Brasil desacelerou para 0,1% no 3º trimestre, em relação ao anterior, segundo o IBGE. A perda de ritmo foi puxada pela queda de 3,3% na agropecuária e de 2,5% nos investimentos. 

Pelo lado do campo, especialistas alertam que o fenômeno climático El Niño teve impactos nos resultados e pode trazer incertezas para 2024. Já a baixa dos investimentos foi considerada a mais preocupante, porque mostra o freio na capacidade produtiva do país.

O Ministro da Fazenda comemorou o resultado, mas deixou o recado que o Banco Central precisa fazer o “trabalho dele” e cortar mais a taxa Selic. O presidente do BC, Roberto Campos Neto, não deixou barato e afirmou que o governo precisa perseguir a responsabilidade fiscal. 

2) “VAMOS TRABALHAR JUNTO AO CONGRESSO PARA QUE A GENTE CONCLUA A APROVAÇÃO DA LDO NA PRÓXIMA SEMANA”. (Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais)

O relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2024, deputado Danilo Forte (União-CE), rejeitou a proposta do governo que limitava a R$ 23 bilhões o valor máximo a ser contingenciado no orçamento de 2024. 

A medida pode impactar o cumprimento da meta de déficit zero das contas públicas no ano que vem. Para evitar um rombo maior, Fernando Haddad afirmou que todas as medidas de aumento de arrecadação encaminhadas ao Congresso são prioritárias.

O relator da LDO afirmou que está “sendo otimista” sobre o cumprimento da meta em 2024 em seu parecer. No entanto, analistas projetam um déficit de 0,73% do PIB. As contas do setor público consolidado tiveram rombo de R$ 82,3 bilhões nos dez primeiros meses de 2023.

Em uma outra frente, o deputado Danilo Forte colocou na LDO a obrigação de que emendas parlamentares impositivas, aquelas de execução obrigatória, sejam liberadas no 1º semestre. A votação da LDO deve acontecer na próxima terça-feira, 12/12.

3) MERCOSUL-UE: “TEXTO QUE TEMOS AGORA É MAIS EQUILIBRADO, MESMO ASSIM, É INSUFICIENTE”. (Luiz Inácio Lula da Silva)

O Mercosul e a União Europeia não conseguiram concluir o acordo que tentam costurar há mais de 20 anos, que estava previsto para ser anunciado durante a Cúpula do bloco sul-americano no Rio de Janeiro. No início da semana que passou, o presidente da França, Emmanuel Macron, disse ser contra a área de livre comércio.  

Em nota, os dois blocos disseram que continuam os esforços em busca de consenso. O presidente Lula foi além e afirmou que ainda não está satisfeito com o formato atual do tratado de livre comércio e classificou o desenho da parceria como “insuficiente”.

O Mercosul foi criado em 1991 e hoje cinco países fazem parte do bloco: Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia (nação que teve a sua adesão promulgada nesta semana). Dentre os principais objetivos estão aumentar a oferta de emprego e renda, melhorar a produtividade e intensificar as relações econômicas entre as nações.  

Durante o encontro dos chefes de Estado do bloco, o principal tema discutido foram as tensões entre a Venezuela e a Guiana. O país comandado por Nicolás Maduro voltou a reivindicar o território de Essequibo após a descoberta de cerca de 11 bilhões de barris de petróleo e gás na costa guianense.

Em comunicado conjunto, os países do Mercosul alertam para ‘ações unilaterais’ e pedem diálogo entre a Venezuela e Guiana. “A América Latina deve ser um território de paz e, no presente caso, trabalhar com todas as ferramentas de sua longa tradição de diálogo”, diz o texto. 

4) BRASKEM: O DESASTRE AMBIENTAL EM MACEIÓ

O desastre ambiental em Maceió, provocado pela exploração de sal-gema em uma mina da Braskem, se soma às dívidas bilionárias de seu principal acionista, a Novonor (antiga Odebrecht), o que pode melar a venda de 30% das ações da companhia para a Empresa Nacional de Petróleo de Abu Dhabi (Adnoc).

No front do problema na capital do Alagoas, o afundamento atingiu 1,99 metro e a velocidade do afundamento é de 0,25 centímetro por hora. O deslocamento vertical apresentando nas 24 horas anteriores foi de 6 cm.   

Diante dos graves problemas ambientais, a Braskem foi excluída do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3) da B3. O ranking reúne as companhias com melhores práticas de sustentabilidade ambiental, social e de governança.

No Senado, após pressão do presidente, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), líderes partidários fizeram as indicações para instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Braskem. 

5) DESEMPENHO DA CARTEIRA DE INVESTIMENTOS

A chegada do fim do ano tem levado muitos investidores a pensarem o quanto conseguiram fazer o dinheiro render em 2023. Saber avaliar o rendimento de uma ação, título, fundo é fundamental para manter a carteira saudável e rentável.

O Brasil tem se tornado uma nação de oportunidades diante da agenda de reformas econômicas. Segundo a consultoria Eurasia, o país parece oferecer ao mundo um ambiente “razoavelmente estável, apesar dos problemas internos e uma dívida elevada”.

6) SAÚDE FINANCEIRA: ONTEM, HOJE E SEMPRE

A busca por uma boa saúde, seja física ou mental, faz parte do nosso cotidiano. No entanto, há outra área que também pede destaque na discussão: a saúde financeira. Saber cuidar do dinheiro não é apenas evitar perdas, mas buscar ganhos de forma ponderada.

Para ajudar nessa jornada, o B3 Bora Investir fez uma lista dos 12 passos para colocar sua saúde financeira em dia nos 12 meses de 2024. Saiba cuidar das suas finanças de forma mais eficiente de janeiro a janeiro.

7) PERSONALIDADE DO ANO: TAYLOR SWIFT

O noticiário econômico da semana não poderia terminar sem o maior fenômeno artístico e bilionário do ano: a cantora e compositora Taylor Swift, que entrou para o hall dos bilionários com base apenas na renda de suas músicas e shows. A revista Time elegeu a cantora como a Personalidade de 2023.

Em um outro ranking, a atual presidente do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros, foi eleita a brasileira mais poderosas do mundo em 2023.

No destaque das redes sociais, a Anbima apresentou os produtores de conteúdo que se destacam ao levar dicas de finanças e investimentos de forma descomplicada ao público. Na ponta, o economista Sincero, Carol Dias e o Primo Rico. 

Quer conhecer muito mais sobre bolsa de valores e o universo dos investimentos? Acesse o Hub da B3, faça seu cadastro e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias