Objetivos financeiros

72% dos pais no Brasil não fazem nenhum tipo de poupança ou investimento para os filhos

Estudo mostra relação de pais e filhos com dinheiro. Mais de metade dos pais nunca falaram de finanças na infância

Filhos, poupança. Foto: Rawpixel
8 em cada 10 pais dizem falar sobre finanças com os filhos. Foto: Rawpixel

Por João Paulo dos Santos

A falta de educação financeira pode prejudicar, a longo prazo, também as crianças brasileiras. A 3º edição da Serasa Comportamento trouxe a pesquisa ‘Finanças para os Filhos: Dinheiro é Coisa de Adulto?’, realizada pela Serasa e o instituto de pesquisa Opinion Box, mostrou que 72% dos pais no Brasil não fazem nenhum tipo de poupança ou investimentos para os filhos atualmente.

A amostra que contou com mais de 800 entrevistados pelo país destacou o relacionamento dos pais com os filhos em relação ao tema dinheiro. Nela foi apontado que 56% dos atuais pais nunca falaram do assunto com seus genitores na infância. Porém, 8 em cada 10 dizem conversar com os próprios filhos sobre finanças.

Fonte: Serasa Comportamento

“Ninguém precisa ser administrador ou economista. Se você começa no dia a dia falando sobre o custo do lanche e do transporte, já começa a formar a consciência sobre finanças nos filhos”, afirmou Felipe Schepers, diretor de operações da Opinion Box.

Thiago Godoy, educador financeiro e criador do Papai Financeiro, alerta para a maneira correta de se falar de dinheiro com as crianças para uma relação saudável delas com a educação financeira. 

“Falar do assunto nem sempre é falar da forma correta. Se é falado apenas de forma negativa, é tão pior quanto não abordar o assunto. O tema dinheiro precisa ser abordado com leveza dentro de casa. A criança precisa e consegue entender a origem e o porquê do dinheiro existir”.

Ele destaca que a primeira educação financeira dos filhos é imitar os atos dos pais. Então, tem que se ter esse cuidado para começar a educação financeira também se organizando financeiramente.

A cultura da mesada

A pesquisa também revelou que apenas 39% dos pais dão mesada para os filhos. Dentre estes, o costume é maior em relação às crianças de 6 a 11 anos (54%), seguido pela faixa etária de 15 a 18 anos (45%). A maioria dos genitores adota a tradicional frequência mensal (62%) de pagamento.

Fonte: Serasa Comportamento

Já em relação ao valor, o ticket médio da mesada no Brasil é de até R$ 100, valor concedido por 74% dos pais entrevistados. Essa quantia é destinada, principalmente, para comprar lanche na escola (33%) e para ensinar os filhos a poupar para o futuro (32%).

“O mais importante na mesada é a criança ter a experiência de errar, por isso o valor não pode ser grande. É importante que ela erre enquanto criança para não errar quando for adulta”, afirma Godoy. 

O educador financeiro ainda ressalta que a mesada não ensina sozinha o que os filhos devem saber sobre educação financeira. “A mesada é uma ferramenta, um instrumento, que dá à criança a possibilidade de colocar na prática a teoria que deve ser ensinada. Ela não pode ser o único meio”.

+ Quanto custa criar um filho até os 18 anos?

+ São Paulo: programação de Dia das Crianças tem mais de 150 atrações

O sonho da poupança para os filhos

No Brasil, 72% dos pais não fazem nenhum tipo de poupança ou investimentos para os filhos atualmente. Porém 49% dizem que pretendem fazer no futuro.

“A questão da renda sempre vai ser um limitador. Porém, é importante que a família mostre a realidade para a criança. Ela precisa entender o que são as prioridades, e o que ela vai ter que deixar de fazer para cumprir essas prioridades”, alerta Godoy. 

E, mesmo entre os pais que fazem algum tipo de investimento ou poupança, metade não tem uma conta específica para essa finalidade. O que é o mais indicado.

A pesquisa ainda mostra que 7 em cada 10 pais não conhecem soluções financeiras para crianças, como contas digitais e cartões para menores de idade. 

Já entre quem utiliza algum produto desta categoria, o estudo mostra que é algo recente, onde 60% dos filhos os utilizam há menos de 1 ano. Ao analisar os impactos que os produtos tiveram na relação dos filhos com o dinheiro, os destaques são aprender a fazer a gestão do dinheiro e facilitar a forma de combinar coisas em casa.

+ Tesouro Educa+: novo título garante dinheiro para a faculdade dos filhos

Quer saber mais sobre educação financeira? Confira o curso gratuito ‘Como organizar suas finanças’ no Hub de Educação da B3!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.