Investir melhor

Onde investir para fazer a festa de casamento em um ano

Não importa o tamanho: festas de casamento exigem fazer frente a múltiplos gastos. Mas é possível se preparar para que, assim que o evento terminar, as despesas estejam quitadas

Foto: Adobe Stock
Casamento e dinheiro. Foto: Adobe Stock

Por Marília Almeida

Festas de casamento podem ser do tamanho do seu sonho. Mas, de qualquer forma, exigem a contratação de muitos serviços. Além disso, a cerimônia pode ser repleta de detalhes: é necessário incluir até mesmo as taxas pagas ao cartório para formalizar a união. Isso sem contar a lua de mel: caso o casal queira viajar após o evento, acumulará ainda mais gastos.

+ Onde investir para viajar nas férias ou no feriado prolongado

Para fazer frente a imprevistos e evitar dores de cabeça em um momento tão especial, o objetivo financeiro exige planejamento. Portanto, antes de sair parcelando tudo no cartão de crédito, especialistas recomendam não se endividar por causa da festa. É possível se preparar para que, assim que o evento terminar, todas as despesas estejam quitadas.

Veja abaixo onde investir para realizar uma festa de casamento em um ano:

Onde investir para uma festa de casamento?

Por conta do prazo curto do objetivo, de até 12 meses, a opção mais segura para investir o dinheiro da festa será em títulos pós-fixados que acompanham a Selic, como o Tesouro Selic e CDBs. “Por mais que a Selic esteja em tendência de queda, os juros ainda estão na casa dos dois dígitos. O objetivo deve ser preservar o dinheiro do avanço da inflação”, diz Carlos Castro, CEO da SuperRico.

Os CDBs podem ter liquidez diária ou vencimento pouco antes da data do evento, em seis meses. É possível também aplicar em CDBs sem liquidez diária, que oferecem um rendimento maior do que os que permitem resgates diários, diz Nayra Sombra, sócia da HCI Invest e planejadora financeira certificada pela Planejar.

Enquanto um CDB com liquidez diária está pagando de 100% a 103% do CDI, um CDB com vencimento em 1 ano está pagando entre 111% e 113% do CDI. “É uma diferença relevante para quem vai investir o dinheiro do 13º salário ou um bônus durante um ano. Já se o intuito for guardar um valor a cada mês até a data da festa, a diferença entre ambos os títulos será menor”.

+ 3 planilhas gratuitas para planejar o seu casamento

Ou seja, se o cliente aplicar R$ 10 mil por 1 ano, terá uma rentabilidade líquida de R$ 1.040 em um CDB com liquidez diária que renda 100% do CDI. Já em um CDB sem liquidez, que pague 111% do CDI, terá R$ 1.154,40. Sombra considerou o CDI de 13% ao ano e a alíquota de 20% de Imposto de Renda sobre o rendimento.

A poupança não é recomendada para esse investimento. Além de sua baixa rentabilidade (equivalente a 70% da Selic), é necessário lembrar que a aplicação rende apenas após a data de aniversário. Ou seja, se o investimento foi feito no dia 15, o rendimento será gerado apenas no dia 15 do mês posterior. Portanto, caso os noivos precisem resgatar o dinheiro no meio do mês, perderá o rendimento de um mês inteiro.

Um mês antes da cerimônia é recomendado não investir: apenas deixar o dinheiro na conta corrente. Isso porque, caso a quantia seja aplicada e retirada em menos de um mês, haverá a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). “Como o tributo vai comer toda a rentabilidade, é melhor evitar a dor de cabeça de colocar e retirar o investimento”, diz Sombra.

Gastos maiores podem entrar no orçamento mensal

O investimento mensal pode se concentrar em despesas menores, como buquê, decoração, aluguel do traje e vestido de noiva. É recomendável, ao estimar esses gastos, guardar de 10% a 20% mais, diz Sombra, da Planejar. Afinal, sempre surgem despesas imprevistas, como adicionar convidados à lista de presença ou descobrir que o contrato não inclui um gerador de luz.

+ Peso desvalorizado, vale a pena viajar para a Argentina? Veja preços e descubra

Outros gastos maiores, como aluguel do espaço para o evento, DJ para casamento, contratação do buffet, maquiagem, penteado, fotografia e vídeo, exigem compra com antecedência, pois o serviço ou profissional necessita reservar a data do evento. Neste caso, é necessário dar um ‘sinal’, que pode ser o dinheiro do 13º salário ou um bônus. Se o casal não tiver reservas anteriores, é possível parcelar o valor restante e criar um fluxo de pagamento para cada profissional, de forma a diluí-lo no orçamento mensal até a data do evento.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.