Mercado

Mercado financeiro hoje: exterior mostra cautela antes de FED, Payroll e balanços

No Brasil, destaque ainda para as eleições para as Mesas Diretoras da Câmara e do Senado

O presidente do Banco Central dos Estados Unidos, Jerome Powell, em um púlpito em frente à bandeira dos EUA
O presidente do Fed, o Banco Central dos EUA, Jerome Powell. Foto: Divulgação

Por Redação B3 Bora Investir

A semana é de agenda pesada com as decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Banco Central Europeu (BCE), Banco da Inglaterra (BoE) e Comitê de Política Monetária (Copom). Nos EUA, tem ainda o relatório oficial de emprego, o payroll, além de uma bateria de balanços, como do UBS, Meta, Santander, Alphabet, Amazon, Apple. 

No Brasil, destaque ainda para as eleições para as Mesas Diretoras da Câmara e do Senado. E hoje o presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberá o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, e vários ministros no Palácio do Planalto, às 15h30.

Juros EUA e Europa

No exterior, as bolsas internacionais mostram cautela nesta manhã diante da expectativa com as decisões sobre juros nos EUA e Europa, com sinais de arrefecimento da inflação nos Estados Unidos e a percepção de que as expectativas inflacionárias seguirão ancoradas. 

Já a presidente do BCE, Christine Lagarde, disse em mais de uma ocasião nas últimas semanas que pretende “manter o curso”, alimentando expectativas de que uma nova alta de juros de 50 pontos-base está planejada para os próximos dias. O euro renovou máximas ante o dólar após divulgação de que índice de sentimento econômico da zona do euro avançou mais do que o esperado em janeiro. 

Copom, Focus e balanços

O movimento mais defensivo das bolsas no exterior tende a afetar o apetite a risco no Ibovespa. Ao contrário do Fed e BCE, aqui a expectativa majoritária do mercado em relação à decisão do Copom é de manutenção da Selic em 13,75% ao longo do primeiro trimestre. 

+ Como ficam os investimentos de renda fixa com a Selic a 13,75%

+ Quanto renderia R$ 1.000 em Tesouro Direto com essa taxa de juros?

Mas o investidor mantém no radar o Boletim Focus diante da contínua deterioração das expectativas de inflação e elevação na projeção para Selic para 2024 e 2025. O Focus da semana passada mostrou uma nova rodada de aumento das medianas para a inflação de 2023 (5,39% para 5,48%) e 2024 (3,70% para 3,84%), que representam o horizonte relevante da política monetária. 

O mercado também fica atento ao início da temporada de balanços, com o banco Santander dando a largada nos resultados de bancos sob a sombra do caso do rombo bilionário das Americanas.

Ibovespa

Bolsa do Brasil (B3) operou no negativo durante todo o pregão da última sexta-feira, 27/01, e encerrou com forte queda de 1,63%, aos 112.316 pontos. O mau desempenho foi puxado pelas Blue Chips Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4), que registraram baixas de 2,5% e 2,10%, respectivamente.

Já as perdas do Petrobras ainda refletem as expectativas acerca do novo presidente da estatal, Jean Paulo Prates, aprovado ontem pelo conselho da empresa.

*Com informações da Agência Estado

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.