Renda fixa

BDR de ETF de renda fixa: aprenda a investir no novo queridinho das carteiras

Com alta de mais de 150% em seu volume de negociação, o investimento é uma opção de diversificação rentável que apresenta poucos riscos

ETF. Foto: Adobe Stock
O tipo de investimento é uma opção para quem quer investir em ativos do exterior. Foto: Adobe Stock

Por Guilherme Naldis

BDR de ETF de Renda Fixa. Ou, ainda: BDRS de ETFs de RF. Que sopa de letrinhas, hein? Apesar do nome complicado, este tipo de investimento tem se popularizado e, só no mês passado, viu seu volume de negociações aumentar 153%.

Especialistas ouvidos pelo Bora Investir afirmam que esta é uma aposta segura em um investimento de baixa volatilidade ou risco – o que pode ajudar a sua estratégia de diversificação. Trata-se de um recibo comprovando o investimento em um fundo de títulos da dívida pública americana ou de dívidas corporativas de empresas do exterior.

BDRs: mitos e verdades sobre esse tipo de investimento

Mas, antes de aprender a investir neste tipo de ativo, Bora entender como ele funciona!

O que é o BDR de ETF de renda fixa?

Os BDRs são os Brazilian Depositary Receipts, aplicação que pode ser traduzida para o português como Recibos Brasileiros de Depósito.

Funciona da seguinte maneira: primeiramente, um banco sediado no Brasil precisa comprar as ações, títulos ou cotas do fundo no exterior. Depois disso, emite os recibos que serão oferecidos a investidores brasileiros na forma dos BDRs. Como os ativos originais são negociados lá fora, fatores como o câmbio e os juros do país original do investimento poderão afetar sua cotação, e não os do Brasil.

BDR: 5 pontos essenciais para entender antes de começar a investir

Já os ETFs (Exchange Traded Funds, na sigla em inglês) são fundos de índice negociados em bolsas de valores. Eles funcionam como fundos tradicionais, mas ao invés de o gestor escolher cada ativo para compor a carteira, define um índice que será acompanhado pelo fundo. Como há menos esforço do gestor para administrá-lo, suas taxas de corretagem tendem a ser menores.  

Por fim, a renda fixa é a categoria de investimentos que permite que se saiba ou estipule, com determinado grau de certeza, a taxa de retorno após o saque da aplicação. Alguns exemplos são os títulos da dívida pública, CDBs e debêntures.

Conheça os 20 ETFs que mais valorizaram na bolsa em 2023

Portanto, um BDR de ETF de renda fixa é um recibo da compra de um ativo do exterior realizada por um banco. Este investimento possui, como lastro, as cotas de um fundo com exposição a títulos de dívida de empresas dos Estados Unidos ou que dão acesso a seus títulos soberanos – o ‘Tesouro Direto’ deles.

Por que esses fundos estão sendo mais negociados?

O aumento da taxa de juros nos EUA fez com que a renda fixa americana ficasse atrativa para o investidor brasileiro que busca diversificação internacional. “Após anos de juros muito baixos por lá, alguns investidores buscam esse tipo de ativo visando obter retornos maiores em dólar”, explica João Vítor Freitas, analista da Toro Investimentos.

Para ele, o movimento ainda não é capaz de se equiparar aos investimentos em renda fixa nacional, visto que o volume de negociação continua bem menor do que o dos títulos brasileiros. Ainda assim, ele afirma que a busca saudável por diversificação é sempre recomendada.

Como o mercado internacional interfere nos BDRs do Brasil

“Para o investidor brasileiro, o retorno da renda fixa dos EUA é composto pela soma do retorno dos juros nos EUA mais a apreciação do dólar sobre o real. Nesse sentido, caso o dólar se aprecie em relação ao real, o que geralmente ocorre em cenário de crises, o retorno da renda fixa dos EUA pode ser bem maior que aquele da renda fixa no Brasil”, argumenta Celso Pereira, diretor de investimentos da Nomad.

Vinicius Romano, especialista de renda fixa na Suno Research, afirma que, com os riscos de alta nas expectativas de inflação e de incerteza sobre o arcabouço fiscal, muitos investidores optam por se expor a uma moeda forte – como o dólar, como uma forma de proteção. “Além do cenário favorável, os fundos são uma novidade recente, pois só foram liberados ao pequeno investidor na metade de 2022. Os dois fatores têm como resultado o crescimento forte do volume de negociação e estoque dos ativos”, afirma.

Como investir em BDR de ETF de Renda Fixa?

Após sua emissão, os BDRs de ETF podem ser negociados no mercado secundário através da plataforma da B3, a Bolsa de Valores do Brasil, de forma semelhante às ações. Todo o processo é acompanhado pela CVM e pela entidade reguladora do mercado financeiro do país de origem da aplicação. 

Só a B3 oferece os processos de negociação, liquidação e custódia dos BDRs de ETF no Brasil. Para acessar o sistema e fazer a compra da aplicação, você precisa:

  1. Abrir um conta em uma corretora de valores mobiliários ou banco de investimentos 
  2. Acessar o home broker da plataforma, que dará acesso ao sistema da B3
  3. Digitar o código de identificação, também conhecido como ticker, do BDR. Ele é composto por 4 letras maiúsculas que representam o nome da empresa mais o número 39, que representa o BDR de ETF
  4. Selecionar a quantidade de cotas a serem compradas 
  5. Concluir a transação e esperar o envio do recibo da operação

Quem pode investir em BDR de ETF de Renda Fixa?

Os investidores qualificados – que têm mais de R$ 1 milhão em ativos – podem comprar este tipo de investimento livremente. Já as pessoas físicas precisam seguir algumas regras.

O principal mercado de negociação do ETF deve ser classificado como “mercado reconhecido”. Também é preciso que o emissor dos ETFs que servem de lastro aos BDRs esteja sujeito à supervisão da entidade reguladora do mercado reconhecido. Além disso, a instituição depositária deve traduzir, para o português, os documentos e comunicados sobre o ETF.

O que diferencia um investidor qualificado, de varejo e profissional?

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias