Mercado

7 fatos e frases da terceira semana de agosto que resumem a economia e o mercado

Novidades na reforma tributária e nos investimentos, velhos problemas na Argentina, China e Europa. Inadimplência caiu, gasolina subiu e apagão deixou os brasileiros no breu

Bernard Appy, secretário extraordinário da Reforma Tributária no Ministério da Fazenda Crédito: divulgação
Bernard Appy, secretário extraordinário da Reforma Tributária no Ministério da Fazenda Crédito: divulgação

Por Redação B3 Bora Investir

As discussões em torno da reforma tributária no Senado já têm cronograma definido. A expectativa é votar a proposta em plenário até o fim do ano, após uma série de audiências públicas para discutir o texto.

Os impactos na economia foram tema da entrevista exclusiva do secretário extraordinário da Reforma Tributária ao Bora Investir. Bernard Appy apontou como positiva a transparência no pagamento dos impostos. No entanto, ressaltou que as diversas exceções vão elevar o valor da alíquota.

No lado dos investimentos, a presidente da Comissão de Valores Mobiliários, João Pedro Barroso, anunciou a agenda para fortalecer e expandir o mercado de capitais. E o Bora Investir explicou por que agora já é o momento das compras de Natal.

Na economia do dia a dia, a gasolina subiu, a inadimplência deu um leve respiro e o apagão que atingiu 25 estados e o DF fez o brasileiro perder o fôlego.

Mas quem ficou mesmo sem ar foi a economia da Argentina, que viu o outsider Javier Milei levar as prévias presidenciais e desestabilizar um país já abalado pelas crises sem fim.

Desarranjada está também a economia da China, onde os problemas no setor imobiliário escalaram. Já na Europa, a inflação começou a cair, mas a atividade fraca preocupa a economia mundial. Já os Estados Unidos se vê de volta ao dilema inflação x juros.

1) REFORMA TRIBUTÁRIA: “VAI FICAR MUITO MAIS TRANSPARENTE O QUANTO SE PAGA DE IMPOSTO”. (Bernard Appy, secretário extraordinário da reforma tributária)

A Reforma Tributária e o impacto no dia a dia dos brasileiros e empresas foi um dos temas da entrevista exclusiva do secretário extraordinário da reforma tributária ao B3 Bora Investir.

Na conversa, Bernard Appy explicou que a simplificação da cobrança de impostos é o ponto chave da proposta. Entretanto, as exceções para vários setores devem elevar o futuro Imposto sobre Valor Agregado (IVA) a uma alíquota de até 27%, uma das mais altas do mundo.

Para a 2ª fase da proposta, o secretário adiantou que os dividendos devem voltar a ser tributados, acompanhados por uma redução da alíquota do Imposto de Renda Pessoa Jurídica. Segundo uma pesquisa, a maioria dos deputados apoia a taxação de dividendos.

Nesta semana, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o plano de trabalho para a tramitação da Reforma Tributária na casa. Pelo cronograma, o relator pretende apresentar seu parecer em 28 de setembro. A votação na CCJ está prevista para 4 de outubro.

A Confederação Nacional de Municípios propôs ajustes na divisão da receita do futuro IBS (Imposto sobre Bens e Serviços), que reunirá o tributo municipal ISS (Imposto Sobre Serviços) e o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que é estadual.

O possível aumento do custo da transmissão de patrimônio por herança ou doação foi pauta de uma reportagem do jornal Valor Econômico. O imposto poderá subir em ao menos nove Estados se a proposta for sancionada como está.

2) “PODEMOS SIMPLIFICAR A JORNADA DE INVESTIMENTO E TORNAR O MERCADO DE CAPITAIS MAIS ATRAENTE”. (João Pedro Barroso do Nascimento, presidente da Comissão de Valores Mobiliários)

A semana que passou também teve novidades no mundo dos investimentos. O presidente da CVM, João Pedro Barroso, anunciou a agenda do Open Capital Markets, uma série de iniciativas para fortalecer e expandir o mercado de capitais no país.

Dentre os pontos anunciados estão o PIX dos investimentos, estímulo ao ativismo em assembleias, revisão de OPAs e a resolução 81. O B3 Bora Investir trouxe uma reportagem completa, que explica esses pontos.

Em uma outra iniciativa para melhorar o ambiente de investimentos, o presidente da Anbima, Carlos André, falou sobre os avanços do novo marco dos fundos, que entra em vigor em outubro.

A diversidade de investimentos também foi pauta na semana passada. Falamos sobre os BDRs de ETFs, ativos de renda variável emitidos no Brasil que permitem o investimento indireto em índices de ações no exterior.

Diante de uma infinidade de modalidades, muitos investidores se perguntam: existe garantia para quem investe em renda variável? Sim, o Bora te explica!

3) OS MAIS COMPARTILHADOS DA SEMANA: ALTA DOS COMBUSTÍVEIS, APAGÃO E O CASO LARISSA MANOELA

Na semana que passou, os três temas mais discutidos nas rodas de amigos e nas redes sociais foram:

  • aumento no preço da gasolina e do diesel nas distribuidoras;
  • apagão que deixou quase todos os estados do país sem energia;
  • Larissa Manoela:, que renunciou a R$ 18 milhões em troca de sua independência financeira.

O litro da gasolina subiu R$ 0,41, o que elevou o preço médio do combustível para R$ 2,93 por litro. Já o litro do diesel avançou R$ 0,78. Essa foi a primeira vez que a Petrobras aumentou os preços desde que Jean Paul Prates assumiu a presidência da companhia. Segundo Prates, a estatal fará “quantos reajustes forem necessários”. Contudo, negou que a empresa vá seguir a paridade de importação.

O impacto nas bombas para os consumidores deve chegar a 6,32% e, na inflação, a 0,38 pontos percentuais no ano. Para o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, a decisão foi acertada, apesar do impacto negativo esperado nos preços.

Com a alta da gasolina, vale a pena abastecer com etanol? Acesse uma calculadora digital, programada com base na regra dos 70%, que considera o preço e o rendimento de cada combustível.

A energia elétrica, ou melhor, a falta dela, também impactou a vida dos brasileiros na semana que passou. Um apagão foi registrado em 25 estados e no Distrito Federal. O blecaute interrompeu 27% do consumo de energia do Brasil, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico. O episódio foi desencadeado pelo desligamento de uma linha de transmissão da Chesf, subsidiária da Eletrobras.

O problema derrubou as ações do Índice de Energia Elétrica (IEEX) da Bolsa do Brasil (B3). “O apagão gera um impacto negativo sobre as receitas das empresas”, avaliou o sócio da One Investimentos, Rafael Schmidt.

No caso Larissa Manoela, o Fantástico revelou que a atriz e cantora abriu mão de todo o patrimônio, acumulado ao longo de 18 anos de carreira, por causa de uma briga com o pai e a mãe. A atriz afirmou que foi vítima de violência patrimonial, que é uma série de manipulações que restringem o acesso a recursos financeiros, bens e propriedades.

4) HOJE DEMOS O PRIMEIRO PASSO PARA A RECONSTRUÇÃO DA ARGENTINA”. (Javier Milei, candidato de extrema-direita à presidência da Argentina, vencedor das prévias)

No cenário internacional, o principal impacto da semana veio do resultado das prévias das eleições presidenciais na Argentina. O candidato ultraliberal Javier Milei venceu a disputa. Javier ganhou notoriedade como celebridade da TV ao fazer fortes críticas à classe política e defender propostas polêmicas. Uma delas é dolarizar a economia da Argentina para resolver a crise econômica.

Como consequência, o peso se desvalorizou 18%, o dólar subiu 22%, a taxa de juros precisou ser elevada de 97% para 118%. Isso sem falar que a inflação para os nossos hermanos acumula alta de 115,6%, a uma taxa anualizada.

Diante do aperto sem fim dos nossos vizinhos e de todas as restrições às importações, o Brasil elevou sua exportação e se recolocou na liderança global de embarques aos argentinos, ao menos nos primeiro seis meses deste ano. A posição foi perdida para os chineses em 2021.

Ainda no noticiário externo, a atividade fraca na zona do Euro, diante da desaceleração da inflação, e novos riscos à economia da China preocupam o mercado.

A situação ficou ainda pior após a incorporadora chinesa mais endividada do mundo, a Evergrande, pedir proteção contra falência nos Estados Unidos. O objetivo é reestruturar mais de US$ 19 bilhões em dívidas offshore.

Ainda em solo americano, a ata do Federal Reserve mostrou que o BC segue preocupado com a possibilidade da inflação não diminuir, o que “pode exigir maior aperto da política monetária”, ou seja, novos aumentos de juros.

5) INADIMPLÊNCIA DESACELERA, MAS AINDA ATINGE 71 MILHÕES DE BRASILEIROS

A inadimplência teve uma leve desaceleração em julho, puxada pela redução tímida nos débitos não pagos com cartão de crédito e bancos. Segundo os analistas, o resultado teve forte impacto do Desenrola Brasil, programa de renegociação de dívidas do governo federal. Em menos de um mês, a iniciativa renegociou R$ 8,1 bilhões em dívidas bancárias.

A desnegativação pode levar a uma elevação na concessão de novos empréstimos, com juros mais baixos. Uma ferramenta lançada pelo Serasa nessa semana também ajuda a conseguir crédito mais em conta.

A iniciativa permite ao consumidor compartilhar dados bancários, que serão utilizados para uma análise do perfil de cada consumidor. Isso auxilia na chamada pontuação (score), que indica as chances dos consumidores pagarem as contas em dia.

Na semana passada, o teto de juros do crédito consignado com desconto em folha foi reduzido de 1,97% ao mês para 1,91%. A mudança vale para aposentados e pensionistas do INSS.

6) B3 CONVIDA E NOVIDADES NA BOLSA DO BRASIL

O B3 Convida realizou uma entrevista com a influencer e empresária Mari Maria, que reúne 21 milhões de seguidores no Instagram. Em 2017, Mari lançou sua própria marca de maquiagem e, em 2022, tornou-se a única representante brasileira no ranking das 10 influenciadoras de beleza mais bem pagas do mundo.

“Não adianta nada ter um supermarketing de milhões e falar muito sobre o que eu sou, mas o meu produto é a conexão com quem me conecta. Aí a pessoa está ali, esperando algo a mais de mim. O que eu estou fazendo por ela? Eu quero que as pessoas pensem: ‘Eu gosto da Mari, mas o produto dela é muito bom’”.

Na semana que passou também teve novidades na Bolsa do Brasil. A B3 lançou o IDIVERSA, primeiro índice da América Latina a combinar critérios de gênero e raça para selecionar as empresas que irão compor a sua carteira.

O novo indicador é uma maneira de reconhecer as companhias listadas que se destacam em diversidade.

7) AGOSTO: MÊS DE COMPRAR OS PRESENTES DE NATAL! SERÁ?

A resposta é sim! Esse período da chamada entressafra de compras, entre o Dia dos País e o das Crianças, é um bom momento para começar a fazer a lista de presentes de Natal e sair em busca de descontos.  

Enquanto alguns consumidores deixam o planejamento financeiro de lado e aproveitam essa época para reabastecer os armários, outros já vão atrás das pechinchas. Dessa forma, conseguem guardar dinheiro para investir.

E na hora de pagar, vale a pena usar o PIX para obter descontos? Depende! O Bora te dá um exemplo.

Se o produto custa R$ 1 mil e tem desconto de 2% para pagar à vista no Pix, a economia é de R$ 20 na hora. Mas, se houver a possibilidade de parcelamento em cinco vezes sem juros e o cartão de crédito oferecer 1% de cashback, o ganho é de R$10 em cashback e cerca de R$ 20 em rendimento ao final dos 5 meses (considerando 100% do CDI de hoje).

E se eu precisar de um dinheiro extra para fazer as compras? Bora te ajudar. Esvazie as gavetas e venda itens usados. É possível aumentar a renda e ainda colaborar com a sustentabilidade do planeta.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.